Apesar da alta radiação, evacuados de Fukushima são forçados a voltar para casa

O Greenpeace e outras ONGs denunciaram nesta terça-feira que o governo japonês está “forçando” os evacuados de Fukushima a retornar a seus lares em zonas próximas à central acidentada e declaradas seguras, apesar dos elevados níveis de radioatividade.

Uma plataforma de ONGs acusou hoje o Executivo de “tentar normalizar a situação em Fukushima” e de “vulnerar os direitos humanos” dos evacuados, cinco dias antes do sexto aniversário do pior acidente nuclear desde o ocorrido em Chernobyl (Ucrânia) em 1986.

Estas são as conclusões de um relatório realizado pelo Greenpeace Japão, Human Rights Now e outras ONGs japonesas, e baseado em medições da radioatividade em áreas próximas à usina de Fukushima Daiichi.

O documento afirma que a radiação em grande parte da cidade Iitate – declarada habitável a partir de abril – supera amplamente o umbral seguro para a saúde humana.

As ONGs detectaram níveis de até 2,61 milisieverts anuais, mais do que o dobro do teto de 1 milisievert recomendado pela Comissão Internacional de Proteção Radiológica (CPR), e que acumulado representa “um sério risco a longo prazo para que os retornam a seus lares”.

Os níveis são ainda maiores em zonas florestais de Iitate, que correspondem a 75% do município, onde a radioatividade “é comparável à zona de exclusão de Chernobyl”, na qual o acesso segue proibido mais de 30 anos depois do acidente.

Estas doses de radiação representam “um perigo muito mais elevado” para mulheres e crianças, grupos demográficos “muito mais vulneráveis à radiação acumulada” do que os homens adultos.

“Não há retorno possível à normalidade em Iitate”, afirmou o especialista do Greenpeace Kendra Ulrich, que acrescentou que à indústria atômica “não interessa que exista uma ampla zona de exclusão, já que simboliza a irreversibilidade de um acidente nuclear”.

Além disso, no final de mês terminará o programa de ajudas estatais para os evacuados de Fukushima consistente em alojamentos temporários gratuitos ou casas de aluguel subvencionadas.

O Estado custeava estas despesas tanto para os originais de municípios dentro da zona de exclusão – uma área que se reduziu de forma paulatina graças às tarefas de descontaminação – como para os que deixaram seus lares “de forma voluntária”.

Cerca de 12 mil pessoas ficarão sem estas ajudas em abril, o que na prática significa “uma coação econômica e um vulneração deliberada de seus direitos básicos”, segundo Ulrich.

O governo, no entanto, seguirá pagando durante um ano estes subsídios aos que residiam naquelas localidades que permanecem dentro da “zona de exclusão”.

“É um crime fazer as pessoas voltarem a zonas que não são seguras. Estamos sendo abandonados pelo governo”, afirmou Noriko Matsumoto, representante de um centro de ajuda a evacuados e colaboradora do relatório.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Pode mesmo haver vida nas nuvens de Vênus, dizem cientistas

Quem gosta de astronomia não deve saber que Vênus não é o mais habitável dos planetas. Com temperaturas em torno de 470ºC e com uma atmosfera formada por dióxido de carbono e nitrogênio noventa vezes …

Cientistas rebatem decisão da China de coletar DNA de homens e meninos

Um relatório que revelou que a China está coletando DNA de milhões de pessoas para ajudar a solucionar crimes. Essa informação tem levantado preocupações entre os pesquisadores sobre privacidade e consentimento, sob o argumento de que …

China revela análise de substância estranha encontrada na Lua em 2019

Em julho de 2019, a equipe da missão chinesa Chang'e 4 encontrou uma substância estranha na Lua. A descoberta foi anunciada em agosto do mesmo ano, chamando a atenção da comunidade científica, mas nada foi …

Cientistas alertam OMS para transmissão aérea do coronavírus além de dois metros

A transmissão aérea do novo coronavírus interpela os especialistas desde o início da pandemia. Nessa segunda-feira, um grupo de 239 cientistas alertou as autoridades de saúde do mundo inteiro, e em particular a OMS, …

Governo tem que tirar garimpeiros de terras yanomami em 15 dias para começar a enfrentar covid-19 em áreas indígenas

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou que o Governo Federal deveria retirar os garimpeiros das terras yanomami de Roraima como medida para conter o avanço do novo coronavírus nos territórios indígenas. A decisão liminar …

Encontrada a origem da vida no universo

Uma estrela morre por segundo no universo. Mas esses objetos estelares não somem totalmente, algo sempre fica para trás. Certas estrelas entram em supernova, que geram um buraco negro ou uma estrela de nêutrons, enquanto a …

Bolsonaro afirma que está com covid-19

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (07/07) que seu exame para detectar a covid-19 teve resultado positivo. Bolsonaro, de 65 anos, se submeteu ao exame na segunda-feira, após dizer que estava sentindo sintomas leves da …

Caso de peste bubônica é confirmado na China

Enquanto o mundo vem buscando tratamentos para a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), antigas doenças e ameças podem ressurgir, como um sinal de alerta para a sociedade. É esse o caso relatado pelas autoridades da saúde …

Petição que substituir estátua de Cristóvão Colombo por uma do músico Prince

O histórico processo de revisão das estátuas, nomes de rua e outras homenagens a personagens ligados ao racismo ou outros massacres étnicos prevê a retirada de tais homenagens, mas não somente: figuras efetivamente merecedoras dos …

EUA podem proibir aplicativos chineses, incluindo TikTok, diz secretário de Estado

Mike Pompeo já acolheu uma medida semelhante da Índia, que emitiu uma ordem provisória bloqueando o TikTok e outros 58 aplicativos ligados à China em meio ao primeiro choque fronteiriço mortal em décadas. O secretário de …