A NASA apresentou seu plano para destruir o asteroide do fim do mundo

Detectar e destruir: esse é o novo plano da NASA para afastar asteroides potencialmente perigosos da Terra. A agência espacial norte-americana acredita que pode destruir asteroides ou qualquer outro objeto espacial indesejado.

Na quarta-feira (20), o Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia dos EUA divulgou um relatório no qual descreve como é possível proteger a Terra de asteroides que representem um perigo real para a Humanidade, de acordo com a AP.

Segundo o especialista da NASA, responsável pela defesa planetária, Lindley Johnson, os cientistas já descobriram 95% de todos os objetos na proximidade da Terra com diâmetro superior a um quilômetro. No entanto, alerta que os objetos espaciais não precisam ser grandes para terem uma força destrutiva – assim como aconteceu quando caiu o meteorito de Chelyabinsk, em 15 de fevereiro de 2013.

O diâmetro desse meteorito era de apenas 20 metros, mas liberou um poder explosivo equivalente a 500 mil toneladas de TNT, 30 vezes a energia liberada pelas bombas nucleares lançadas sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, em 1945.

De acordo com o relatório, se um desses meteoritos caísse diretamente sobre uma cidade populosa, mataria milhões de pessoas.

No entanto, o assunto implica várias dificuldades. De acordo com Johnson, para prevenir a ameaça proveniente da queda de um asteroide ou meteorito, é necessário saber com antecedência quando o corpo celeste chegaria à Terra, e seu local de impacto.

Nesse caso, será possível construir uma nave especial para interceptar o asteroide ou evacuar a população do local da sua possível queda. Além disso, o especialista destaca que há numerosos objetos perigosos, que voam em torno do Sol e se aproximam de nós do lado iluminado pela luz do dia.

Projeto HAMMER

A NASA já tinha divulgado um plano, conhecido como HAMMER, para destruir objetos espaciais potencialmente perigosos. Esse plano consiste em enviar uma nave até o asteroide, para que ela penetre no objeto perigoso e detone uma carga nuclear, destruindo-o.

O plano deveria ser aplicado se o asteroide não fosse detectado a tempo. Caso possa ser detectado, os cientistas também enviarão a nave, mas com uma carga convencional.

O HAMMER – Hypervelocity Asteroid Mitigation Mission for Emergency Response – é fruto da colaboração entre a Administração Nacional de Segurança Nuclear dos EUA, a NASA e os departamentos de energia de duas empresas norte-americanas. Até o momento, o plano  continua apenas um projeto, não tendo sido construída ainda a nave.

Existe ainda outro projeto elaborado pela NASA e pelo Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins, nos EUA, que prevê ações necessárias para afastar asteroides que sejam grandes demais para serem destruídos –  trata-se do Teste de Reorientação de Asteroides Duplos (DART). O DART será a primeira missão da NASA que prevê o ataque contra um asteroide para mudar a trajetória de seu voo.

Esses planos são, na prática, retratados em filmes de ficção científica como Armagedon, com Bruce Willis, ou Impacto Profundo, com Morgan Freeman. Em ambos os casos, a Humanidade reage à chegada iminente do “meteorito do fim do mundo” enviando ao seu encontro uma nave (ou duas, no caso de “Armagedon”) com a missão de destruí-lo.

Mas, pelo menos na ficção científica, esse conceito não é propriamente novo. Há quase 40 anos, o filme Meteor, com Sean Connery, já explorava a ideia de enviar uma nave espacial carregada de armas nucleares ao encontro de um asteroide potencialmente apocalíptico.

Ciberia // Sputnik / ZAP

COMPARTILHAR

15 COMENTÁRIOS

  1. Gente , sabemos o quanto a NASA é mentirosa, quanto tempo vem nos escondendo assuntos importantíssimos e agora vem como a protetora da humanidade, cuidado , eles do governo oculto não só querem eliminar milhões de humanos da face da terra como tb. detonar bombas atômicas. Prestem atenção e não acreditem sem antes verificar a real necessidade DISTO.

  2. Há um perigo óbvio de usar explosivos para destruir os asteroides; os fragmentos dos asteroides. Uma explosão não mudaria muito a rota, tampouco anularia a energia cinética dos pedaços grandes. Logo, não vejo como uma boa solução. Na minha opinião, NASA, ESA, ROSCOMOS E JAXA e CNSA deveriam trabalhar juntas em um bólido com propulsão de fissão nuclear. Basicamente, acelerar uma pequena quantidade de urânio com laser, em seguida submetê-lo a um feixe de maser para desestabilizar o núcleo quando o urânio estiver saindo pelo escape em forma de cone, cuja proteção das paredes seria um brutal campo eletromagnético. Em um processo contínuo, poderia produzir alguns Giga Joules, que agindo em uma orientação perpendicular em relação à direção da energia cinética, por um certo tempo, poderia desviar grandes objetos. Se não fosse essa natureza humana reprovavel, poderiam trabalhar juntos nisso fora, em uma base lunar. Assim poderiam estar trabalhando no desenvolvimento de naves interestelares e na proteção da nossa casa. Mas como disse Karl Sagan, até agora tivemos sorte, mas podemos estar escolhendo nosso destino pela pequenês de nossas mentes.

  3. Sinto muito mas é bíblico Está escrito que cairá do céu uma estrela (asteroide)chamada absinto é que destruirá uma terça parte da terraTudo passa menos as palavras do senhor

  4. Não sendo chato como os críticos, a Nasa presta um favor ao pesquisar se pode desviar ou tentar desviar bólidos espaciais.

  5. É muito engraçado a quantidade de bobagens que se escreve aqui! “Sinto muito mas é bíblico” kkkkk. Tá faltando alguém citar os Illuminati.

    • PODE ser um sinal bíblico, não quer dizer que é. E é bíblico SIM. Em apocalipse fala que uma nave vai destruir o asteróide, porém esse vai virar muitos pedaços que cairão na terra e farão a tão famosa chuva de asteróides. Tome o seu rumo.

  6. De uma coisa eu sei que tem mesmo um asteroide vindo em rota de colisão com nosso planeta tem sim sem sombra de dúvida,só não estão alermando para n virar um pandemônio.

  7. Gente vai sim cair sobre a terra um grande asteroide e não e só a NASA que confirma isso a Bíblia também veja só:
    Apocalipse 8: 10 ao 11
    O terceiro anjo tocou a trombeta , e caiu do céu sobre a terra a terça parte dos rios e sobre as fontes da água uma grande estrela ardendo como tocha. O nome dessa estrela é absinto e a terça parte das águas se tornou em absinto e muitos dos homens morreram por causa dessas águas por que se tornaram amargas.

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Assembleia-Geral da ONU: exigência de vacina ainda não está decidida, mas é improvável que Bolsonaro seja barrado

Perdeu força a possibilidade de que líderes de países tenham que comprovar que se vacinaram contra a covid-19 para participar da 76ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece na semana que vem …

Submarinos: França perde o "contrato do século" para a Austrália, que opta por EUA e Reino Unido

O jornal econômico Les Echos estampa em sua primeira página desta quinta-feira (16) uma notícia, ainda no condicional, que se concretizaria durante a madrugada: "A Austrália desiste de uma encomenda de 12 submarinos franceses …

VSR: o pouco conhecido vírus que se espalha entre crianças no mundo e também no Brasil

No início de 2021, a equipe do Hospital Infantil de Maimonides, no Brooklyn, em Nova York (EUA), começou a experimentar uma cautelosa sensação de alívio. Os casos de covid-19 na cidade estavam em queda. Como …

Com popularidade em queda, premiê britânico Boris Johnson reforma equipe de governo

Após semanas de boatos, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, decidiu modificar o governo nesta quarta-feira para formar uma "equipe unida" e enfrentar os desafios depois de um ano e meio de pandemia e em …

Relatório lista mais de uma dezena de crimes atribuídos a Bolsonaro

Um grupo de juristas liderados pelo ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior entregou nesta terça-feira (14/09) à CPI da Pandemia um relatório de 226 páginas com possíveis crimes cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro durante a …

Simulação virtual mais realista de sempre do Universo é revelada

Um dos aspectos mais incríveis da simulação é que mostra a evolução da matéria durante praticamente os 13,8 bilhões de anos de história do Universo, desde o Big Bang até a atualidade. Uma equipe internacional de …

Asteroide que dizimou dinossauros determinou sucesso das cobras, aponta estudo

As cobras devem seu sucesso na Terra, em parte, ao asteroide que atingiu o planeta há 66 milhões de anos e levou à extinção dos dinossauros, de acordo com um estudo publicado nesta terça-feira (14/9) …

“Abandonados pelo resto do mundo”: África vacinou apenas cerca de 3% da população contra a Covid

As autoridades alertam para os baixos índices de vacinação contra a Covid-19 no continente africano. Segundo dados divulgados nesta terça-feira, cerca de 3,5% da população foi totalmente imunizada contra o coronavírus. O balanço foi anunciado …

Europeus aprovam Merkel e confiam na liderança da Alemanha

Os europeus têm alta estima pela chanceler federal da Alemanha, Angela Merkel, e aprovam o estilo de liderança dela, baseado na busca de consensos, mostra uma pesquisa do Conselho Europeu de Relações Exteriores (ECFR, na …

Mudanças climáticas: número de dias com calor acima de 50ºC no mundo dobrou em 40 anos

O número de dias extremamente quentes, quando a temperatura passa de 50°C, registrados a cada ano dobrou desde a década de 1980. Essa foi a conclusão de um estudo realizado pela BBC, que apontou também que …