Ataque a jornalista da “Folha” gera onda de condenações

Fabio Rodrigues Pozzebom / ABr

Entidades de imprensa, jornalistas e políticos repudiaram nesta quarta-feira (12/02) as acusações feitas contra a repórter Patrícia Campos Mello, do jornal Folha de S. Paulo, durante a comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) das fake news no Congresso.

Em depoimento prestado aos parlamentares da comissão na terça-feira, Hans River do Rio Nascimento, ex-funcionário da empresa de marketing digital Yacows, proferiu insultos contra a jornalista e fez uma série de declarações logo desmentidas pela Folha.

River foi convocado à CPMI para esclarecer o envio em massa de mensagens pelo Whatsapp durante a campanha eleitoral de 2018. O caso foi revelado pelo jornal paulista em reportagens publicadas em dezembro daquele ano, sendo Campos Mello uma de suas autoras.

Segundo a Folha, a Yacows, agência em que River trabalhava, é uma das empresas que recorreu ao uso fraudulento de dados pessoais de idosos para registrar chips de celular e, com isso, disparar mensagens em massa para beneficiar certos políticos.

Ao apurar a história, Campos Mello entrou em contato com River diversas vezes para saber sobre os disparos. À época, ele movia uma ação trabalhista contra a Yacows.

River chegou a responder a perguntas feitas pela reportagem, em novembro de 2018, até mudar de ideia após fazer um acordo trabalhista com sua antiga empresa. “Pensei melhor, estou pedindo pra você retirar tudo que falei até agora, não contem mais comigo”, disse ele em mensagem à jornalista, segundo capturas de tela publicadas pela Folha.

Nesta terça-feira, em depoimento à CPMI das fake news, que apura disseminação de notícias falsas durante a eleição, River afirmou, entre outras acusações, que Campos Mello teria se insinuado sexualmente para ele em troca de informações para a reportagem.

“Quando eu cheguei na Folha de S. Paulo, quando ela [repórter] escutou a negativa, o distrato que eu dei e deixei claro que não fazia parte do meu interesse, a pessoa querer um determinado tipo de matéria a troco de sexo, que não era a minha intenção, que a minha intenção era ser ouvido a respeito do meu livro, entendeu?”, disse River.

O jornal afirma, porém, que Campos Mello nunca se insinuou ao entrevistado e, na verdade, foi ele quem a convidou para ir a um show, mas ela não respondeu à mensagem e não foi ao evento. A declaração de River foi mais tarde reforçada pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que aproveitou para disparar uma série de ataques contra a jornalista no plenário da Câmara e nas redes sociais.

“Eu fiquei aqui perplexo de ver, mas eu não duvido, que a senhora Patrícia Campos Mello, jornalista da Folha, possa ter se insinuado sexualmente, como disse o senhor Hans, em troca de informações para tentar prejudicar a campanha do presidente Jair Bolsonaro”, disse o filho do presidente.

Em nota, a Folha de S. Paulo disse repudiar os ataques proferidos por River e por Eduardo e, em um artigo extenso publicado em seu site, rebateu cada uma das acusações contra seu jornalismo, bem como desmentiu algumas afirmações feitas pelo depoente durante a CPMI.

 

“O jornal está publicando documentos que mais uma vez comprovam a correção das reportagens sobre o uso ilegal de disparos de redes sociais na campanha de 2018. Causam estupefação, ainda, o Congresso Nacional servir de palco ao baixo nível e as insinuações ultrajantes do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP)”, escreveu o jornal. ​

“A ilação de que a jornalista teria sugerido a troca de matéria por sexo causa danos a ela, não apenas porque se trataria de um desvio de natureza ética da profissão como também por atingir sua condição feminina”, afirmou Taís Gasparian, advogada da Folha.

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) também se manifestou, chamando de “machistas e misóginas” as ofensas proferidas contra Campos Mello que, segundo a entidade, “é uma das mais respeitadas jornalistas do país”.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Bill Gates vai financiar sete pesquisas de vacina contra COVID-19

Bill Gates, o fundador, ex-CEO e atual filantropo, anunciou durante entrevista no talk show norte-americano Daily Show With Trevor Noah que, por meio de sua própria fundação, estará financiando sete pesquisas clínicas que buscam descobrir …

Bolsonaro é denunciado no TPI por “crime contra a humanidade”

A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) denunciou o presidente Jair Bolsonaro por crime contra a humanidade no Tribunal Penal Internacional.  A denúncia foi protocolada nesta quinta-feira (2) na corte de Haia. Segundo …

O primeiro ‘autor’ do mundo era uma mulher

Enheduanna viveu no século 23 antes da nossa era na Mesopotâmia. Princesa, sacerdotisa e poeta, ela pode se orgulhar de ter sido a primeira autora do mundo a ter seu nome conhecido em uma época …

Maduro envia carta ao povo dos EUA pedindo "cessação das sanções"

Nicolás Maduro enviou uma carta ao povo dos Estados Unidos expressando uma mensagem de solidariedade e paz, e pedindo fim das ameaças militares e das sanções contra Venezuela. No documento, o chefe de Estado venezuelano exprime …

Governo dos EUA alerta população para novo "11 de Setembro" devido à covid-19

Chefe da Saúde Pública do país prevê que próxima semana será "a mais difícil e mais triste da vida da maioria dos americanos". Ele compara repercussão a dois dos maiores traumas da história dos Estados …

Quarentena em todo o mundo deixou a crosta terrestre mais "silenciosa"

As medidas de isolamento social adotadas para conter o novo coronavírus (SARS-CoV-2) estão deixando a Terra mais silenciosa - ao menos para os “ouvidos” sensíveis dos sismógrafos. É que as atividades humanas, tais como a circulação …

IA sincronizada com música cria rostos falsos, o resultado pode se aterrorizante

As pessoas ainda aprendem a melhor forma de empregar as redes neurais artificiais, aprendizado de máquina e avanços em inteligência artificial. Entre as pesquisas práticas há a busca por empregar essas técnicas de forma a …

Coronavírus: 92% das mães nas favelas dizem que faltará comida após um mês de isolamento

"Muitas pessoas entraram na linha de pobreza da noite para o dia. O casal que trabalhava no shopping na semana retrasada, que recebia por semana, fez a compra da semana passada e nesta semana já …

Dois anos após mortes de Marielle e Anderson, Anistia Internacional cobra identificação de mandantes

Dois anos após os assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Gomes, em 14 de março de 2018, o crime permanece sem solução e ilustra a impunidade no combate à violência …

Coronavírus poderia ser a 1ª de muitas outras pandemias futuras, adverte cientista

Apesar do registro de mais de um milhão de infectados à escala mundial, a doença poderia ser suplantada por patologias bem mais perigosas. Comparando com as doenças que poderiam reaparecer como resultado do aquecimento global, o …