Em crise, Uerj faz vestibular com menos da metade dos candidatos do ano passado

Fernando Frazão / Agência Brasil

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) realizou neste domingo (16) a primeira etapa do vestibular 2018. O segundo exame de qualificação está programado para 17 de setembro, com inscrições entre 21 de julho a 7 de agosto. A fase final do vestibular da Uerj é uma prova discursiva, que será aplicada no dia 3 de dezembro.

A crise financeira do estado reduziu a mais da metade o número de candidatos inscritos este ano. Foram 37.393, contra 80 mil no ano passado. O primeiro dia de exame registrou 10,38% de faltas, um pouco acima da média que oscila entre 8% e 9%.

O diretor do Departamento de Seleção Acadêmica (DSEA) da Uerj, Gustavo Krause, atribuiu o aumento de faltas não à crise, mas à saída da corporação dos bombeiros do vestibular perto do fim das inscrições. Com isso, muitas pessoas que só estavam se inscrevendo para cursar a Academia de Oficiais Bombeiros desistiram da prova.

Krause disse que mais que se concentrar nos candidatos que não compareceram, a preocupação tem de ser com as “milhares de pessoas que ainda acreditam na Uerj, na universidade pública, inclusiva, uma universidade de tradição, a despeito de toda crise do estado e do país”. “Ainda acreditam na gente”, destacou.

Aposta na Uerj

Marcela Dib é uma das candidatas que não desistiram de tentar entrar na Uerj apesar da crise. Em sua segunda tentativa, ela fez engenharia no Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet/RJ) e pretende cursar medicina.

“Acho que, quando a gente diz que não vai entrar para a universidade porque ela está em crise, a gente está deixando de lado aquela situação. Quando a gente entra como aluno para a luta, para que aquilo se mantenha, é um ato político que a gente está fazendo virando estudante da Uerj”, justificou.

O gesto de Marcela Dib emocionou o diretor Krause. ”É um gesto muito bonito de apostar nessa universidade inclusiva, de todas as cores. Os alunos que ficam aqui sentem uma experiência única porque convivem com várias classes, com toda a periferia do Rio de Janeiro. É algo que nos estimula muito”, disse.

Krause ressaltou que a Uerj foi pioneira no sistema de cotas “e aqui as cotas funcionaram”.

Tentando uma vaga no curso de engenharia civil, Eduardo de Souza Fernandes, de 19 anos diz que a Uerj mantém o prestígio mesmo com a atual crise. “Essa é uma instituição de excelência, muito conhecida, e todo mundo se interessa, apesar da situação em que está atualmente”, diz.

Ex-aluna da Uerj, formada em 1984, a médica Lumena Tereza Gandra acredita que a universidade vai sair da situação de penúria. “Esta é uma universidade de excelência, com excelentes professores, que já formou uma série de bons profissionais, e por tudo que ela oferece”, comenta.

Resistência

A esperança de Krause é que a situação atual melhore mais adiante. Os professores e demais funcionários da universidade estão com salários atrasados desde maio e ainda não receberam o décimo terceiro de 2016.

Segundo o diretor do DSEA, a instituição decidiu manter o vestibular apesar da crise porque o cancelamento das provas agravaria ainda mais a crise em vez de ajudar a resolvê-la. Ele diz que a Uerj necessita, de todas as maneiras, conseguir trabalhar e continuar a existir.

Para Krause, há um ataque maciço contra as universidades estaduais, as escolas técnicas e a cultura, como o Theatro Municipal, que estão sofrendo mais.

“Praticamente, todas as outras categorias do estado já receberam até o décimo terceiro de 2017 e nós recebemos [o salário de] abril na terça-feira e nem estamos com o décimo terceiro do ano passado. Há uma série de servidores com depressão, perdendo apartamento, sendo despejados e dormindo em sofás dentro da Uerj, porque não têm para onde ir”, relatou.

Apesar das dificuldades, disse Krause, a Uerj conseguiu encerrar o ano letivo de 2016 e em agosto, começará o ano letivo de 2017. Ele lamentou que o acordo fiscal do governo fluminense com o governo federal não tenha sido ainda concluído para resolver a situação dos servidores, que se “arrasta desde 2015 e só está piorando”.

A palavra de ordem, sustentou Krause, é resistir. “A gente precisa insistir em sobreviver”, destacou.

“A gente está contente com os que vieram”, manifestou, referindo-se aos futuros alunos que fizeram a primeira prova do vestibular 2018 neste domingo. Professor da Uerj há 39 anos, Gustavo Krause disse que a crise não é só do estado do Rio de Janeiro, mas nacional, e também afeta outras universidades.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …