Escritórios “open space” podem prejudicar funcionários e empresas

Novas pesquisas científicas revelam aspectos negativos da organização do ambiente de trabalho em espaços abertos, os chamados “open space“.

Há quatro anos, Chris Nagele fez o que muitos executivos no setor da tecnologia já tinham feito – transferiu a sua equipe para o chamado escritório aberto, sem paredes e divisórias.

Os funcionários trabalhavam, até então, a partir de casa, mas ele queria que estivessem todos juntos, para se conectarem e colaborarem mais facilmente. Mas em pouco tempo ficou claro que Nagele tinha cometido um grande erro. Estavam todos distraídos, a produtividade caiu e os nove empregados estavam insatisfeitos, sem falar do próprio chefe.

Em abril de 2015, quase três anos após a mudança para o escritório aberto, Nagele transferiu a empresa para um espaço de 900m², onde hoje todos têm o seu próprio espaço, com portas e tudo.

Inúmeras empresas adotaram o conceito de escritório aberto – cerca de 70% dos escritórios nos EUA são assim – e até onde se sabe, poucos retornaram ao modelo de espaços tradicionais com salas e portas.

Contudo, há pesquisas que mostram que podemos perder até 15% da produtividade, desenvolver problemas graves de concentração e até ter o dobro das possibilidades de ficarmos doentes em espaços de trabalho abertos – fatores que contribuem para uma reação contra este tipo de organização.

Desde que se mudou para o formato tradicional, Nagele já ouviu colegas do setor da tecnologia dizerem sentir falta do estilo de trabalho do escritório fechado. “Muita gente concorda – simplesmente não aguentam o escritório aberto. Nunca conseguem terminar as coisas e precisam levar mais trabalho para casa“, diz ele à BBC.

É improvável que o conceito de escritório aberto caia em desuso, mas algumas empresas estão seguindo o exemplo de Nagele e a voltar aos espaços privados.

Quanto mais foco, melhor

Há uma boa razão que explica porque é que todos adoram um espaço com quatro paredes e uma porta: foco. A verdade é que não conseguimos cumprir várias tarefas ao mesmo tempo e pequenas distrações podem desviar a nossa atenção por até 20 minutos.

E mais: alguns escritórios abertos podem até afetar negativamente a nossa memória. Isto vale especialmente para o esquema conhecido como hotdesking, uma versão extrema do espaço aberto, onde as pessoas se sentam onde quiserem, levando o equipamento consigo.

Retemos mais informações quando nos sentamos em um local fixo, afirma à BBC Sally Augustin, psicóloga ambiental e de design de interiores em La Grange Park, no Estado americano de Illinois.

Não é algo assim tão óbvio no nosso cotidiano, mas descarregamos memórias – normalmente pequenos detalhes – no nosso ambiente, afirma Augustin.

Esses detalhes – que podem ser desde uma ideia rápida que queremos dividir, até uma mudança de cor em um projeto em execução – podem ser recuperados apenas naquela configuração.

Não colaboramos como pensamos

Para a maioria das pessoas, o barulho é o que mais incomoda. Pesquisadores da Universidade de Sidney, na Austrália, descobriram que quase 50% das pessoas, em um ambiente totalmente aberto de trabalho, e quase 60% das pessoas, em cubículos com divisórias baixas, se dizem insatisfeitas com a privacidade sonora dos ambientes. Apenas 16% das pessoas em salas particulares afirmaram o mesmo.

O estudo questionou pessoas em diferentes tipos de escritórios sobre o grau de satisfação com o espaço em 14 aspectos, como a temperatura, a qualidade do ar e a privacidade sonora e os ambientes fechados saíram-se melhor do que os abertos.

Além da economia de custos, um argumento principal pelos espaços abertos é que aumentam a colaboração. No entanto, já foi documentado que raramente temos ideias brilhantes quando estamos apenas a fazer conversa em grupo.

É mais comum, como é notório, que fiquemos sabendo do presente de Natal que um colega comprou ou de problemas conjugais do vizinho de mesa.

“As pessoas conversam mais (em ambientes abertos), mas não necessariamente sobre assuntos de trabalho”, diz Augustin. Uma sessão de brainstorm requer algum grau de planejamento e privacidade, e não à toa costuma-se reservar uma sala de reunião para esses momentos.

Ocorre que os nossos melhores trabalhos costumam acontecer quando estamos 100% focados, diz a pesquisadora. “É ineficiente. É uma pena desperdiçar pessoas por não lhes dar um lugar que apoie o que elas façam”, afirma a psicóloga.

Naturalmente que é importante criar laços e conhecer os colegas, diz Augustin. Mas há várias maneiras de fazer isso em escritórios fechados. A equipe de Nagele, por exemplo, almoça junta todos os dias. Algumas ideias costumam surgir nesses momentos, diz o executivo, mas a maioria nasce de sessões planejadas e mais focadas de brainstorm.

Encontrar o equilíbrio certo

Para funções que exigem foco, como a escrita, a publicidade, o planejamento financeiro e a programação, algumas empresas que não estão prontas para abandonar os escritórios abertos estão testando salas mais reservadas e espaços fechados.

O problema é que muitos não se sentem confortáveis em deixar o espaço comum para ficarem sozinhos – pode parecer que não estariam se esforçando se não estiverem presentes.

Isto de fato ocorre em ambientes de trabalho de alta pressão – alguns podem até achar que ir para uma sala mais tranquila é uma demonstração de fraqueza, afirma Augustin.

Outras empresas estão criando espaços fechados para equipes menores. Ryan Mullenix, da NBBJ, uma empresa global de arquitetura, trabalhou com companhias de tecnologia que construíram escritórios com capacidade para três a 16 pessoas.

Elas ainda podem colaborar nesses espaços, mas também podem bloquear o ruído de outras equipes que não precisam de ouvir. Ou seja, a tecnologia também pode ser útil.

O escritório de trabalho de Mullenix tem sensores, instalados a três metros de distância entre si, que podem identificar ruído, temperatura e quantidade de pessoas no local. A equipe pode se conectar ao aplicativo para descobrir o ponto mais tranquilo do escritório em determinado momento.

A má notícia para ocupantes insatisfeitos de escritórios abertos é que o conceito não sairá de moda tão cedo. No entanto, afirma Nagele, mais empresas deveriam considerar o que ele descobriu. Os seus funcionários, afirma, estão mais felizes e mais produtivos – e isso ajuda a companhia e toda a gente.

“As pessoas agora podem fazer um trabalho mais focado e têm mais tempo para trabalhar. Isso ajudou a organizar as ideias de todos”, conclui.

// ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Acordo entre Israel e Emirados é "punhalada pelas costas", denuncia Teerã

"O governo dos EAU e outros governos que o acompanham devem aceitar a responsabilidade por todas as consequências desta ação", destacou o Ministério das Relações Exteriores do Irã. O ministério condenou nesta sexta-feira (14) o acordo …

Fabricante toca música para seus queijos suíços ficarem melhores

O que será que faz com que os queijos suíços sejam tão bons? De acordo com este fabricante, a resposta é a música. Desde setembro, Beat Wampfler coloca grandes sucessos musicais para tocar para seus queijos …

É isso que acontece com seu corpo quando você come muito apenas uma vez

Qual foi a última vez que você comeu tanto, mas comeu muito, a ponto de se empanturrar? No último churrasco de família? Na noite da pizza? No reveillón? No almoço de ontem? Inúmeros estudos investigaram o …

Reino Unido impõe quarentena a viajantes vindos da França. Paris contra-ataca

O Reino Unido impôs uma quarentena obrigatória para os viajantes que entram no território britânico vindos da França, Holanda e Malta, após um aumento dos casos de covid-19 nesses países. Os viajantes terão que ficar isolados …

Israel e Emirados Árabes chegam a acordo de paz histórico

Mediado pelos EUA, pacto visa normalizar relações diplomáticas entre os países. Israel se compromete a suspender anexações de territórios. Emirados Árabes são primeiro Estado do Golfo a estabelecer laços com Tel Aviv. Israel e Emirados Árabes …

Fortnite dá desconto por fora, é banido pela Apple e caso vai parar na justiça

A Epic está processando a Apple pela retirada de Fornite da App Store. Após um embate jurídico entre as duas companhias, o jogo foi bloqueado na loja do iOS, criando reação imediata da desenvolvedora. A história, …

Com 1000 anos, maior cidade pré-colombiana da região dos EUA fica sob a cidade St Louis

Por mais que tenhamos sido ensinados que a história do continente americano começa pela chegada por aqui dos navegadores europeus – e o próprio nome de tal território sublinha essa recorrente doutrinação – o fato …

Asteroide Psyche poderia ser núcleo de planeta que não se formou, dizem cientistas

Cientistas examinaram um asteroide que deve ser visitado por uma missão da NASA em 2022, encontrando provas que suas propriedades atraíram sucessão de outros asteroides. Após realizar diversas simulações em 2D e 3D usando um supercomputador, …

Essa “formiga-diabo” pré-histórica ataca sua presa há 99 milhões de anos

Uma linhagem extinta há tempos, nomeada afetuosamente de “formiga do inferno” ou “formiga-diabo”, foi encontrada presa em âmbar há 99 milhões de anos atrás, com sua mandíbula em formato de foice agarrada firme na presa. No …

Mataram um crocodilo de meia tonelada e 4,5 metros depois de 50 anos de perseguição

Notícia triste para quem luta pela preservação do meio ambiente. Conhecido como Demônio, um crocodilo de meia tonelada e 4,5 metros, que segundo moradores aterrorizava vilarejos na ilhas Bangka Belitung (Indonésia), foi morto na semana …