Fórmula de economista que ganhou na loteria 14 vezes é revelada

The Reboot / Flickr

Stefan Mandel, economista romeno, nascido em 1934, ganhou na loteria 14 vezes. As primeiras duas vitórias garantiram a ele dinheiro suficiente para fugir da Romênia e voltar a implantar o esquema na Austrália.

Há quatro vezes mais chances de você ser atingido por um raio do que ganhar na loteria. Mas para Stefan Mandel, estas regras não se aplicam.

Nos anos 60, o economista romeno passava por tempos difíceis. Vivendo na Romênia comunista de Ceausescu, seu salário era o equivalente a R$ 360 mensais. Pouco para quem tinha duas filhas e uma mulher, e o dia a dia na miséria e na pobreza o faziam ambicionar por mais.

Muitos daqueles que, assim como Stefan, viviam no mesmo dilema e ambicionavam por mais conforto na vida, se viraram para vidas de crime, algo que Stefan Mandel conseguiu evitar focando-se na… loteria.

Com um dom natural para números, o economista gastava todo o tempo livre analisando documentos teóricos sobre probabilidade escritos no séc. XIII por Leonardo Fibonacci. Depois de anos de pesquisa, Stefan criou um algoritmo de escolha de números baseado em um método que apelidou de condensação combinatória.

Através deste algoritmo, Stefan Mandel afirmava conseguir prever 5 dos 6 números da loteria em que jogava, reduzindo o número de combinações possíveis de milhões para milhares.

Com argumentos fortes, o economista convenceu amigos e conhecidos a investirem e comprou grandes quantidades de bilhetes, seguindo as combinações da sua fórmula.

Para surpresa de muitos, Stefan Mandel conseguiu ganhar o primeiro prêmio da loteria no valor de mais de R$ 80 mil. Depois de pagar suas despesas e as comissões aos investidores, Stefan ficou com mais de R$ 16.600, o suficiente para subornar funcionários do Ministério dos Negócios Estrangeiros e fugir da Romênia, procurando uma vida nova e um prêmio maior ainda.

Depois de 4 anos a vagar pela Europa, Stefan Mandel se fixou na Austrália onde voltou a jogar na loteria, desta vez de maneira diferente.

Na loteria clássica, certa quantidade de números são escolhidos aleatoriamente e caso o jogador acerte os números, ganha o prêmio. As hipóteses de ganhar são, por isso, baseadas em um número possível de combinações destes números que, geralmente, se encontram na casa dos milhões de combinações.

No entanto, Stefan Mandel percebeu de algo: em algumas loterias, o número total de combinações é significativamente inferior ao valor do prêmio. E foi nesta teoria que o economista apostou todas as fichas.

Ou seja, se em uma loteria for necessário acertar 6 números entre 1 e 40, o número de possíveis combinações é de 3,838,380. Caso a loteria pague 10 milhões de euros (R$ 47 milhões) pelo prêmio, em teoria, o jogador pode comprar todas as combinações possíveis por 1 euro (R$ 4,75), sabendo que em um dos bilhetes de jogo estará o grande prêmio e um grande lucro.

O passo seguinte seria descobrir como conseguir preencher milhares de talões da loteria, número a número. Até o momento, Stefan era obrigado a escrever à mão todas as combinações possíveis, se arriscando cair em uma grande dívida por causa de um erro. E, para este passo, os computadores revolucionaram todo o processo.

O economista, depois de convencer centenas de investidores, criou um sistema de computadores e impressoras confiáveis que simplificavam todo o processo.

Durante os anos 80, Stefan e investidores aguardavam que uma loteria atingisse um valor de prêmio superior à totalidade das combinações e depois avançavam para a compra maciça de bilhetes. Com o esquema, conseguiram ganhar 12 grandes loterias e ainda 350 mil euros (R$ 1,6 milhão) em pequenos prêmios na Austrália e Inglaterra.

“Todo mundo me dizia que não iria conseguir. Agora as vozes que me rotulavam de sonhador foram silenciadas”, contou Stefan Mandel a um jornal romeno.

Contudo, o sistema do economista chegou ao fim. Em primeiro lugar, o risco que corria era grande para os lucros modestos que tinha. Em 1987, em um prêmio de R$ 5,2 milhões, lucrou pouco mais de R$ 380 mil depois de pagar os investidores.

As vitórias sucessivas e os grandes prêmios ganhos também chamaram a atenção das autoridades australianas responsáveis pelo jogo, que mudaram a lei por várias vezes.

No final da década de 80, os bilhetes impressos por computador e a compra em massa de bilhetes por um só individuo foram proibidas, dificultando as ações de Stefan Mandel.

Atualmente, e depois de mais um último grande golpe na Virgínia, onde arrecadou um primeiro prêmio de R$ 118 milhões, e de 20 meses em uma prisão em Israel por causa de outros esquemas, Stefan Mandel vive na ilha tropical de Vanuatu, na costa da Austrália.

Seu legado está para sempre marcado na legislação norte-americana de jogos, onde os 44 estados que permitem loteria promulgaram leis que impedem a replicação da estratégia milionária de Stefan Mandel.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …

Explosões deixam vários mortos em mesquita no Afeganistão

Ao menos 33 pessoas morrem após explosões em mesquita xiita durante a oração de sexta-feira. Testemunha diz ter visto homens-bomba. Incidente ocorre dias depois de ataque do "Estado Islâmico" contra xiitas no país. Fortes explosões atingiram …

Vênus tinha oceanos? Cientistas refutam hipótese popular usando modelagem

Cientistas da Suíça e França refutaram a hipótese de que anteriormente Vênus era coberta por oceanos. Um novo estudo revela que mesmo no início, quando o Sol era mais fraco do que agora, a superfície …

Suspeito de ataque na Noruega era fichado na polícia por radicalização

Convertido ao islã e conhecido da polícia, dinamarquês de 37 anos teria usado outras armas além de arco e flecha em ataque que matou cinco pessoas em Kongsberg. Ele está preso e reconheceu envolvimento no …