Fórmula de economista que ganhou na loteria 14 vezes é revelada

The Reboot / Flickr

Stefan Mandel, economista romeno, nascido em 1934, ganhou na loteria 14 vezes. As primeiras duas vitórias garantiram a ele dinheiro suficiente para fugir da Romênia e voltar a implantar o esquema na Austrália.

Há quatro vezes mais chances de você ser atingido por um raio do que ganhar na loteria. Mas para Stefan Mandel, estas regras não se aplicam.

Nos anos 60, o economista romeno passava por tempos difíceis. Vivendo na Romênia comunista de Ceausescu, seu salário era o equivalente a R$ 360 mensais. Pouco para quem tinha duas filhas e uma mulher, e o dia a dia na miséria e na pobreza o faziam ambicionar por mais.

Muitos daqueles que, assim como Stefan, viviam no mesmo dilema e ambicionavam por mais conforto na vida, se viraram para vidas de crime, algo que Stefan Mandel conseguiu evitar focando-se na… loteria.

Com um dom natural para números, o economista gastava todo o tempo livre analisando documentos teóricos sobre probabilidade escritos no séc. XIII por Leonardo Fibonacci. Depois de anos de pesquisa, Stefan criou um algoritmo de escolha de números baseado em um método que apelidou de condensação combinatória.

Através deste algoritmo, Stefan Mandel afirmava conseguir prever 5 dos 6 números da loteria em que jogava, reduzindo o número de combinações possíveis de milhões para milhares.

Com argumentos fortes, o economista convenceu amigos e conhecidos a investirem e comprou grandes quantidades de bilhetes, seguindo as combinações da sua fórmula.

Para surpresa de muitos, Stefan Mandel conseguiu ganhar o primeiro prêmio da loteria no valor de mais de R$ 80 mil. Depois de pagar suas despesas e as comissões aos investidores, Stefan ficou com mais de R$ 16.600, o suficiente para subornar funcionários do Ministério dos Negócios Estrangeiros e fugir da Romênia, procurando uma vida nova e um prêmio maior ainda.

Depois de 4 anos a vagar pela Europa, Stefan Mandel se fixou na Austrália onde voltou a jogar na loteria, desta vez de maneira diferente.

Na loteria clássica, certa quantidade de números são escolhidos aleatoriamente e caso o jogador acerte os números, ganha o prêmio. As hipóteses de ganhar são, por isso, baseadas em um número possível de combinações destes números que, geralmente, se encontram na casa dos milhões de combinações.

No entanto, Stefan Mandel percebeu de algo: em algumas loterias, o número total de combinações é significativamente inferior ao valor do prêmio. E foi nesta teoria que o economista apostou todas as fichas.

Ou seja, se em uma loteria for necessário acertar 6 números entre 1 e 40, o número de possíveis combinações é de 3,838,380. Caso a loteria pague 10 milhões de euros (R$ 47 milhões) pelo prêmio, em teoria, o jogador pode comprar todas as combinações possíveis por 1 euro (R$ 4,75), sabendo que em um dos bilhetes de jogo estará o grande prêmio e um grande lucro.

O passo seguinte seria descobrir como conseguir preencher milhares de talões da loteria, número a número. Até o momento, Stefan era obrigado a escrever à mão todas as combinações possíveis, se arriscando cair em uma grande dívida por causa de um erro. E, para este passo, os computadores revolucionaram todo o processo.

O economista, depois de convencer centenas de investidores, criou um sistema de computadores e impressoras confiáveis que simplificavam todo o processo.

Durante os anos 80, Stefan e investidores aguardavam que uma loteria atingisse um valor de prêmio superior à totalidade das combinações e depois avançavam para a compra maciça de bilhetes. Com o esquema, conseguiram ganhar 12 grandes loterias e ainda 350 mil euros (R$ 1,6 milhão) em pequenos prêmios na Austrália e Inglaterra.

“Todo mundo me dizia que não iria conseguir. Agora as vozes que me rotulavam de sonhador foram silenciadas”, contou Stefan Mandel a um jornal romeno.

Contudo, o sistema do economista chegou ao fim. Em primeiro lugar, o risco que corria era grande para os lucros modestos que tinha. Em 1987, em um prêmio de R$ 5,2 milhões, lucrou pouco mais de R$ 380 mil depois de pagar os investidores.

As vitórias sucessivas e os grandes prêmios ganhos também chamaram a atenção das autoridades australianas responsáveis pelo jogo, que mudaram a lei por várias vezes.

No final da década de 80, os bilhetes impressos por computador e a compra em massa de bilhetes por um só individuo foram proibidas, dificultando as ações de Stefan Mandel.

Atualmente, e depois de mais um último grande golpe na Virgínia, onde arrecadou um primeiro prêmio de R$ 118 milhões, e de 20 meses em uma prisão em Israel por causa de outros esquemas, Stefan Mandel vive na ilha tropical de Vanuatu, na costa da Austrália.

Seu legado está para sempre marcado na legislação norte-americana de jogos, onde os 44 estados que permitem loteria promulgaram leis que impedem a replicação da estratégia milionária de Stefan Mandel.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …