Fórmula de economista que ganhou na loteria 14 vezes é revelada

The Reboot / Flickr

Stefan Mandel, economista romeno, nascido em 1934, ganhou na loteria 14 vezes. As primeiras duas vitórias garantiram a ele dinheiro suficiente para fugir da Romênia e voltar a implantar o esquema na Austrália.

Há quatro vezes mais chances de você ser atingido por um raio do que ganhar na loteria. Mas para Stefan Mandel, estas regras não se aplicam.

Nos anos 60, o economista romeno passava por tempos difíceis. Vivendo na Romênia comunista de Ceausescu, seu salário era o equivalente a R$ 360 mensais. Pouco para quem tinha duas filhas e uma mulher, e o dia a dia na miséria e na pobreza o faziam ambicionar por mais.

Muitos daqueles que, assim como Stefan, viviam no mesmo dilema e ambicionavam por mais conforto na vida, se viraram para vidas de crime, algo que Stefan Mandel conseguiu evitar focando-se na… loteria.

Com um dom natural para números, o economista gastava todo o tempo livre analisando documentos teóricos sobre probabilidade escritos no séc. XIII por Leonardo Fibonacci. Depois de anos de pesquisa, Stefan criou um algoritmo de escolha de números baseado em um método que apelidou de condensação combinatória.

Através deste algoritmo, Stefan Mandel afirmava conseguir prever 5 dos 6 números da loteria em que jogava, reduzindo o número de combinações possíveis de milhões para milhares.

Com argumentos fortes, o economista convenceu amigos e conhecidos a investirem e comprou grandes quantidades de bilhetes, seguindo as combinações da sua fórmula.

Para surpresa de muitos, Stefan Mandel conseguiu ganhar o primeiro prêmio da loteria no valor de mais de R$ 80 mil. Depois de pagar suas despesas e as comissões aos investidores, Stefan ficou com mais de R$ 16.600, o suficiente para subornar funcionários do Ministério dos Negócios Estrangeiros e fugir da Romênia, procurando uma vida nova e um prêmio maior ainda.

Depois de 4 anos a vagar pela Europa, Stefan Mandel se fixou na Austrália onde voltou a jogar na loteria, desta vez de maneira diferente.

Na loteria clássica, certa quantidade de números são escolhidos aleatoriamente e caso o jogador acerte os números, ganha o prêmio. As hipóteses de ganhar são, por isso, baseadas em um número possível de combinações destes números que, geralmente, se encontram na casa dos milhões de combinações.

No entanto, Stefan Mandel percebeu de algo: em algumas loterias, o número total de combinações é significativamente inferior ao valor do prêmio. E foi nesta teoria que o economista apostou todas as fichas.

Ou seja, se em uma loteria for necessário acertar 6 números entre 1 e 40, o número de possíveis combinações é de 3,838,380. Caso a loteria pague 10 milhões de euros (R$ 47 milhões) pelo prêmio, em teoria, o jogador pode comprar todas as combinações possíveis por 1 euro (R$ 4,75), sabendo que em um dos bilhetes de jogo estará o grande prêmio e um grande lucro.

O passo seguinte seria descobrir como conseguir preencher milhares de talões da loteria, número a número. Até o momento, Stefan era obrigado a escrever à mão todas as combinações possíveis, se arriscando cair em uma grande dívida por causa de um erro. E, para este passo, os computadores revolucionaram todo o processo.

O economista, depois de convencer centenas de investidores, criou um sistema de computadores e impressoras confiáveis que simplificavam todo o processo.

Durante os anos 80, Stefan e investidores aguardavam que uma loteria atingisse um valor de prêmio superior à totalidade das combinações e depois avançavam para a compra maciça de bilhetes. Com o esquema, conseguiram ganhar 12 grandes loterias e ainda 350 mil euros (R$ 1,6 milhão) em pequenos prêmios na Austrália e Inglaterra.

“Todo mundo me dizia que não iria conseguir. Agora as vozes que me rotulavam de sonhador foram silenciadas”, contou Stefan Mandel a um jornal romeno.

Contudo, o sistema do economista chegou ao fim. Em primeiro lugar, o risco que corria era grande para os lucros modestos que tinha. Em 1987, em um prêmio de R$ 5,2 milhões, lucrou pouco mais de R$ 380 mil depois de pagar os investidores.

As vitórias sucessivas e os grandes prêmios ganhos também chamaram a atenção das autoridades australianas responsáveis pelo jogo, que mudaram a lei por várias vezes.

No final da década de 80, os bilhetes impressos por computador e a compra em massa de bilhetes por um só individuo foram proibidas, dificultando as ações de Stefan Mandel.

Atualmente, e depois de mais um último grande golpe na Virgínia, onde arrecadou um primeiro prêmio de R$ 118 milhões, e de 20 meses em uma prisão em Israel por causa de outros esquemas, Stefan Mandel vive na ilha tropical de Vanuatu, na costa da Austrália.

Seu legado está para sempre marcado na legislação norte-americana de jogos, onde os 44 estados que permitem loteria promulgaram leis que impedem a replicação da estratégia milionária de Stefan Mandel.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Incêndios causam mortes e devastação no sul da Europa

A União Europeia EU) enviou ajuda para a Turquia nesta segunda-feira (02/08), e voluntários se juntaram a bombeiros na luta contra fortes incêndios que já duram seis dias e mataram oito pessoas no país. Em …

Golpe militar em Mianmar completa seis meses e já resultou em quase mil mortes de civis

Aterrorizados pela repressão da junta militar e pela propagação do coronavírus, poucos birmaneses se atreviam a ir às ruas para protestar neste domingo (1º), quando completam-se seis meses do golpe de Estado que mergulhou …

Governo italiano vende casas a 2 euros na região da Sicília

Mais uma vez o governo italiano está vendendo casas em áreas rurais da Itália, após o sucesso da campanha para repovoamento de áreas abandonadas. Além de promover a ocupação por meio de incentivos para jovens e …

Bolsonaro admite não ter provas de fraudes eleitorais

Em live para a qual convocou veículos de imprensa, Bolsonaro exibiu uma série de teorias falsas, cálculos equivocados e vídeos antigos, já verificados e desmentidos, mas que ainda circulam na internet, como supostas evidências de …

A incrível civilização antiga que mumificava os mortos 2 mil anos antes dos egípcios

"As mais antigas evidências arqueológicas conhecidas de mumificação artificial de corpos", segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), estão presentes na América do Sul, na costa árida …

Delta pode causar covid-19 mais grave, alerta agência americana

Documento interno do órgão de prevenção de doenças dos EUA indica que a variante delta do coronavírus é tão contagiosa quanto a catapora e pode ser transmitida mesmo por indivíduos vacinados. "A guerra mudou", diz …

Vendas de vacinas anticovid impulsionam lucros de laboratórios

A empresa farmacêutica AstraZeneca anunciou nesta quinta-feira (28) que as vendas de sua vacina contra a Covid-19 alcançaram US $ 1,17 bilhão no primeiro semestre do ano. Este número corresponde à entrega de aproximadamente …

Cientistas transformaram água pura em metal pela primeira vez

Cientistas transformaram, pela primeira vez, água pura em metal. A pesquisa poderia permitir um estudo detalhado das condições de extrema alta pressão dentro de grandes planetas. A água pura é um isolante quase perfeito. Sim, a …

Imagens do satélite Amazonia-1 já estão disponíveis — e qualquer um pode acessar

O Ministério da Ciência e Tecnologia comunicou, nesta semana, que as imagens do Amazonia-1 já podem ser acessadas pelo público. O satélite Amazonia-1 foi lançado em fevereiro de 2021 e, desde então, já avançou por etapas importantes, …

Alemanha acusa médico sírio de crimes contra a humanidade

Promotores federais da Alemanha acusaram nesta quarta-feira (28/07) um médico sírio de assassinato e crimes contra a humanidade. O suspeito enfrenta 18 acusações de tortura contra pacientes de hospitais militares nas cidades sírias de Homs e …