Tunelamento quântico permite gerar energia a partir de radiação desperdiçada – e dá início a uma revolução

Um grupo de cientistas da Universidade de Ciências e Tecnologia do Rei Abdullah, na Arábia Saudita, descobriu uma forma de transformar a energia desperdiçada que chega à Terra em forma de radiação infravermelha e calor em eletricidade.

A inovação agora descoberta só é possível graças ao tunelamento quântico, um dos fenômenos mais estranhos da mecânica quântica. Os resultados foram publicados em novembro na revista Materials Today Energy.

A chave para a ideia é uma antena especialmente projetada para detectar o desperdício ou o calor infravermelho como ondas eletromagnéticas de alta frequência, transformando esses sinais de onda em uma carga direta.

Há muita energia chegando à Terra todos os dias, e não usamos grande parte dela. A maioria desse desperdício vem na forma de luz solar que atinge o planeta e é absorvida pelas superfícies, oceanos e pela atmosfera. O aquecimento leva a um vazamento constante de radiação infravermelha que, estima-se, está na casa dos milhões de gigawatts a cada segundo.

O problema é que os comprimentos de onda infravermelhos são muito curtos. Para aproveitá-los, são necessárias antenas super pequenas. De acordo com a equipe internacional de cientistas responsável pelo novo estudo, a solução está no tunelamento quântico.

“Não há nenhum diodo comercial no mundo que possa operar em alta frequência. É por isso que nos viramos para o tunelamento quântico”, diz o líder da pesquisa, Atif Shamim.

O tunelamento quântico é um fenômeno bem estabelecido na física quântica, no qual uma partícula pode atravessar uma barreira mesmo sem ter energia suficiente para isso.

Um dos exemplos usados ​​mais frequentemente é o de uma bola que desce uma colina: na física clássica, a bola precisa de uma certa quantidade de energia a impulsioná-la para subir a colina e chegar ao outro lado.

Na física quântica, no entanto, a bola pode atravessar a colina com menos energia, graças à incerteza do posicionamento, o coração de tudo que é quântico.

Esse “atalho” permite que os elétrons sejam movidos por uma pequena barreira, através de um dispositivo de tunelamento como um diodo metal-isolador-metal (MIM), que transforma as ondas infravermelhas em corrente ao longo do caminho.

Os cientistas conseguiram criar uma nova nanoantena emparelhando um filme de isolamento fino entre dois braços metálicos ligeiramente sobrepostos feitos de ouro e titânio.

O aparelho foi capaz de gerar os campos elétricos intensos necessários para o trabalho de tunelamento. “A parte mais desafiadora foi a sobreposição de nanoescala dos dois braços da antena, o que exigiu um alinhamento muito preciso”, diz Gaurav Jayaswal. “No entanto, ao combinar truques inteligentes com as ferramentas avançadas na instalação de nanofabricação, realizamos esse passo”.

Ao escolher metais com diferentes funções, o novo diodo conseguiu capturar as ondas infravermelhas com zero tensão aplicada, uma função passiva que liga o dispositivo apenas quando necessário. Experiências com exposição ao infravermelho revelaram que a energia foi recolhida com sucesso apenas vinda da radiação, e não de efeitos térmicos.

Em comparação com os painéis solares, que só captam uma parte da luz visível, ser capaz de aproveitar todo o excesso de radiação infravermelha representaria uma mudança revolucionária na produção de energia.

Além disso, ao contrário das usinas de energia solar, esses coletores de energia podem operar sem interrupções, independentemente do clima.

Apesar disso, este é apenas mais um passo no caminho para desenvolver a tecnologia que deve revolucionar a produção de energia – outros cientistas trabalham em outros ângulos da questão. Os pesquisadores dizem que muitos desafios técnicos ainda estão pela frente – atualmente, a antena não é muito eficiente em termos de energia, por exemplo.

“Este é apenas o começo – uma prova de conceito”, diz Shamim. Eventualmente, porém, a técnica poderia fazer uma grande diferença. “Poderíamos ter milhões desses dispositivos ligados para aumentar a geração de eletricidade do planeta”, acrescenta.

Ciberia // Science Alert / HypeScience / ZAP

COMPARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Excelente. Temos energia infinita, gerando matéria continuamente em nosso universo. Esta energia faz girar os átomos, os sistemas solares, as galáxias e o universo. Já temos esta energia que faz o universo se comportar como um moto contínuo. Só falta aproveita-la. Chegou a hora.

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Os estados quânticos mais extremos são descobertos por cientistas

Pela primeira vez, físicos descobriram uma maneira de definir matematicamente o grau de quanticidade que qualquer coisa — seja partícula, átomo, molécula ou mesmo um planeta — exibe A partícula de luz é uma bola zunindo …

Itália supera a marca de 50 mil mortos por COVID-19

Primeiro país ocidental a registrar casos da doença torna-se o sexto do mundo a alcançar esta marca. País é o que mais teve mortes no continente nos últimos dias. O governo italiano informou nesta segunda-feira (23) …

Covid-19: EUA pretendem lançar campanha de vacinação em dezembro

O país, o mais atingido pela epidemia no mundo, espera vacinar sua população 24 horas após a concessão da autorização de emergência pelo FDA, a agência americana reguladora de medicamentos. A reunião pública de …

França quer punir delito de "ecocídio"

Membros do governo francês anunciaram neste domingo (22/11) que pretendem promover uma projeto de lei para punir o "delito de ecocídio" com o objetivo de combater danos graves e intencionais ao meio ambiente, com previsão …

Barco em formato de ziper “abre” os mares enquanto navega

Se na fábula bíblica Moisés abriu o Mar Vermelho, o designer japonês Yasuhiro Suziki decidiu tornar a metáfora quase literal, ao criar um barco no formato de um imenso zíper. O resultado é ao mesmo tempo …

Soldado medieval encontrado com espada e facas no fundo de um lago da Lituânia

Mais de 500 anos atrás, o corpo de um soldado medieval assentou no fundo de um lago da Lituânia e por séculos ficou escondido sob a lama. Agora, esses restos submersos finalmente foram encontrados. O esqueleto …

Como cientistas querem fazer 'viagem no tempo' por meio do olfato

Pinturas como a Mona Lisa atraem milhões de visitantes todos os anos a museus em todo o mundo. Imagine se, junto ao impacto visual da obra-prima de Leonardo da Vinci, eles também pudessem sentir o …

Companhias aéreas que voam para o Brasil em meio à pandemia

Maioria das empresas aéreas cortou rotas internacionais para o Brasil devido ao coronavírus e fechamento de fronteiras. Porém, algumas ainda têm voos programados. Veja a lista. Várias companhias aéreas cortaram voos internacionais para o Brasil devido …

Mais de 500 pescadores contraem doença de pele misteriosa no Senegal

Mais de 500 pescadores foram infectados por um doença de pele misteriosa no Senegal após retornarem do mar, informou um oficial sênior de Saúde do governo nesta quinta-feira (19). Os homens, que vêm de diversas cidade …

Animais domésticos ou silvestres não transmitem Covid-19 na França, diz agência sanitária

Após a análise de novos dados científicos, a agência nacional de segurança sanitária da França (ANSES) atualizou nesta quinta-feira (19) o relatório publicado em abril de 2020 sobre o potencial de transmissão da Covid-19 por …