Vítimas de Brumadinho são lembradas no Vaticano

(h) Corpo de Bombeiros

Em meio à luta de familiares por justiça, homenagem aos 270 mortos na tragédia da Vale ocorre paralelamente ao Sínodo para a Amazônia. Em Mariana, Samarco ganha licença para retomar atividades quatro anos após desastre.

Enquanto Marcela Rodrigues distribui 270 fotos pelo piso da igreja Transpontina, no Vaticano, outros voluntários acendem velas e empurram os bancos para trás.

É preciso mais espaço para abrigar as imagens impressas em folha A4 das vítimas do desastre de Brumadinho, soterradas nove meses atrás, após o rompimento da barragem da Vale, em 25 de janeiro. Uma reprodução de duas ultrassonografias de bebês mortos na barriga das mães também são acomodadas no local. Escrito em inglês, um cartaz pede justiça para o desastre na cidade mineira.

“Estamos lutando para que o que aconteceu em Brumadinho não se repita, para que não existam mais essas mortes desnecessárias”, afirma Marcela durante a homenagem neste sábado (26/10). A jovem, que perdeu o pai Denílson na tragédia, conta que muitos sobreviventes e pessoas no município estão enfrentando problemas psicológicos.

O grupo que veio do Brasil percorrerá ao todo sete países. Eles já estiveram na Alemanha, onde a empresa TÜV Süd, que emitiu o certificado de segurança da estrutura que rompeu, é sediada. Em Munique, os familiares apresentaram uma denúncia contra a companhia alemã e um diretor da empresa no país, sob acusações de homicídio culposo, negligência e corrupção.

Do Vaticano, o grupo irá a Bruxelas. Na capital da União Europeia, parentes e advogados que representam as vítimas têm uma série de reuniões marcadas com parlamentares.

“Iremos defender a proposta de uma lei europeia para devida diligência em relação a direitos humanos e meio ambiente de todas as empresas europeias em toda a cadeia de valor”, detalha Danilo Chammas, advogado que acompanha o grupo.

A lei obrigaria as empresas a averiguarem a origem das matérias-primas e produtos que compram de outros países e, em caso de uma análise malfeita ou insatisfatória, as compradoras seriam responsabilizadas legalmente.

“Ou seja, elas seriam responsabilizadas pelas violações aos direitos humanos, aos danos ao meio ambiente que as empresas das quais compraram causaram nos países onde atuam”, esclarece Chammas.

França e Holanda são os países europeus que mais importaram minério de ferro do Brasil até setembro, segundo dados do Ministério da Economia. A Vale, maior exportadora dessa matéria-prima no mundo, praticamente vende ao exterior toda a sua produção.

Segundo Chammas, uma proposta de lei semelhante à que será levada ao Parlamento Europeu foi aprovada na França. Campanhas para a criação de regras similares estão em andamento na Alemanha e na Suíça. “Nós estamos aqui para demonstrar também que empresas europeias estão diretamente implicadas em tragédias como a de Brumadinho”, argumenta o advogado.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

'Síndrome de Havana': lesão cerebral atinge ao menos 130 diplomatas e oficiais americanos, dizem EUA

Diplomatas, agentes da CIA e oficiais de defesa dos EUA relataram sintomas graves da perturbação conhecida como "síndrome de Havana" nas últimas semanas. O elevado número de casos causa espanto. Nas últimas semanas, foram relatados mais …

RJ comunica 1º caso de raiva em cachorro em quase três décadas

Pela primeira vez desde 1995, o Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp) do Rio de Janeiro diagnosticou um caso de raiva animal. A descoberta parte do resultado de perícia no corpo de um cão morto …

O que dizem cientistas sobre isenção de máscaras para vacinados nos EUA

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (13/05) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção na maioria das situações para pessoas que já foram completamente vacinadas contra a covid-19. Segundo a nova orientação do …

Putin: Rússia reagirá de maneira devida às ameaças perto de suas fronteiras

Durante reunião com membros do Conselho de Segurança da Rússia nesta sexta-feira (14), o presidente da Rússia pediu que lhe fosse reportado sobre o agravamento do conflito israelo-palestino, que toca diretamente os interesses de segurança …

Covid: 16 mil pessoas foram imunizadas com doses de vacina trocadas no Brasil

Um levantamento de dados da Folha de São Paulo com informações do DataSUS, base de dados do Ministério da Saúde, mostrou que pelo menos 16 mil pessoas receberam doses de vacinas diferentes em seu processo …

Covid-19: diretor do Butantan prevê vacinação lenta até setembro no Brasil

Como diretor do Instituto Butantan desde 2017, Dimas Covas sempre precisou aliar o conhecimento técnico e científico com as particularidades do mundo político que, na visão dele, não parecem seguir uma lógica. E essa necessidade se …

Escalada de violência entre israelitas e palestinianos já fez mais de 100 mortos

O conflito entre israelitas e palestinianos subiu de tom na madrugada de hoje, com o Exército israelita a bombardear a faixa de Gaza. Desde segunda-feira já morreram 119 palestinianos nestes ataques, entre eles 31 …

Maduro diz estar disposto a negociar com oposição

Declaração é feita após líder oposicionista Juan Guaidó propor diálogo mediado por comunidade internacional. Noruega já estaria em contato com regime e oposição. O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta quarta-feira (12/05) que está disposto …

CPI da Covid ouve Pfizer para entender como Brasil foi para o 'fim da fila' das vacinas

O depoimento do comando da farmacêutica Pfizer na sessão desta quinta-feira (13/5) da CPI da Covid tem o objetivo de esclarecer as circunstâncias da recusa do governo Bolsonaro à compra de vacinas da empresa, ainda …

Google é multado pela Itália em mais de € 100 milhões

A Autoridade Garantidora da Concorrência e do Mercado da Itália multou a Google por abuso de posição dominante no mercado, acusando-a de restrições do aplicativo Enel X no sistema Android Auto. A Autoridade Garantidora da Concorrência …