É oficial: 2017 foi um ano (muito) difícil para a Humanidade

O mundo é cada vez mais um lugar triste. Uma pesquisa global sobre as emoções humanas concluiu que 2017 foi o ano mais sombrio e miserável em mais de uma década.

Segundo o Science Alert, embora as experiências positivas tenham se mantido estáveis, o mundo atual está mais estressado, preocupado e triste do que em qualquer outra época desde 2005, ano em que começou o Gallup Global Emotions Report.

“Esta é a primeira vez que vemos um aumento significativo de emoções negativas”, afirma Julie Ray, principal autora e editora do relatório de 2018, ao New York Times. “É o valor mais alto que já registramos”, acrescenta.

Com a propagação do terrorismo, da guerra, da crise dos refugiados, bem como as mudanças climáticas, em 2017, o mundo continuou a parecer menos estável e cada vez mais perigoso. Mesmo em sociedades aparentemente pacíficas, o medo político e a polarização deixaram os cidadãos se sentindo isolados e oprimidos.

A pesquisa contou com a participação de mais de 154 mil pessoas em todo o mundo, tendo verificado que quase quatro em cada dez pessoas sentiram preocupação ou estresse no dia anterior à entrevista – um aumento de 2% frente ao ano anterior.

Tristeza e dor física são as sensações negativas que se seguem, com um aumento de 1%: pouco mais de três em dez disseram ter experimentado dor física no dia anterior e um em cada cinco disseram ter sentido tristeza. A raiva foi a única emoção negativa que se manteve estável quando comparado com os resultados do ano anterior (20%).

Assim como seria esperado, existem regiões no mundo que sentem mais emoções negativas do que outras. Até 2017 – e durante quatro anos consecutivos – o Iraque teve a maior pontuação no Índice de Experiência Negativa.

No ano passado, porém, a República Centro-Africana ocupou esse lugar, obtendo a maior pontuação que a Gallup já registrou em qualquer país na última década. Mesmo assim, devido aos intensos conflitos no país, a organização não conseguiu respostas de cerca de 40% da população.

Das respostas recolhidas, três em cada quatro pessoas disseram ter experimentado dor física e muita preocupação no dia anterior a serem questionadas – a mais alta registrada nos dois casos.

Na América Latina, os resultados já foram mais animadores. Ano após ano, a região continua a liderar o mundo relativamente às experiências positivas, com os autores do estudo alegando que isso pode ser explicado (em parte) pela tendência latino-americana de se focar nos pontos positivos da vida.

Mas, embora os fatores culturais tenham alguma relevância, a verdade é que quase todos os países com as piores pontuações passam por algum tipo de conflito interno ou externo contínuo.

“Nossa pesquisa ao longo dos anos nos ensinou que o rastreamento de como as pessoas vivem suas vidas é, sem dúvida, mais importante do que a pontuação geral em um único ano”, escreve Mohamed S. Younis, editor-chefe da Gallup, no novo relatório.

“Embora os desenvolvimentos a nível nacional e global tendam a dominar as manchetes, captar as tendências de esperança – ou desespero – a nível individual fornece a inteligência mais valiosa”.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

60% das espécies de café estão em risco de extinção

Pela primeira vez, o café integra a Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza como espécie em vias de extinção. De acordo com um estudo publicado esta semana nas revistas ScienceAdvances e Global Change Biology, 60% …

Pela felicidade dos professores, escola cria “licença do amor”

A escola de ensino médio de Dinglan, localizada na cidade chinesa de Hangzhou, apresentou esta semana a “licença do amor”, que visa melhorar o humor dos professores e, consequentemente, o trabalho com os alunos. Segundo relata …

Parte da Antártida está encolhendo (e não deveria)

Quando os cientistas falam sobre o derretimento da Antártida, geralmente se referem à Antártida Ocidental, onde gigantescos glaciares costeiros derramam grandes quantidades de água. Mas, do outro lado das montanhas transantárticas a leste, há um manto …

Estátua de diabo “alegre demais” gera polêmica na Espanha

Uma estátua que representa o diabo foi criticada por ser “alegre demais” pelos moradores da cidade de Segóvia, na Espanha. A escultura de bronze, que ainda não foi instalada, foi criada em homenagem a uma lenda …

Deputada britânica adiou o parto para votar contra o acordo do Brexit

Tulip Siddiq decidiu adiar o nascimento do segundo filho para poder votar contra o acordo do Brexit. A deputada trabalhista chegou ao Parlamento em uma cadeira de rodas. Tulip Siddiq decidiu adiar o nascimento do filho por …

Sorveteria em Florença cobra R$ 106 de turista por uma bola de sorvete

Uma sorveteria cobrou 25 euros (cerca de R$ 106) por um sorvete a um turista de Taiwan. Indignado, o turista reclamou ao guia que o acompanhava, que chamou a polícia. O estabelecimento foi multado em …

McDonald’s perde direitos do Big Mac para cadeia de fast food irlandesa

A irlandesa Supermac’s conseguiu uma vitória histórica: o Big Mac deixa de ser uma marca registrada na Europa. Mas a decisão ainda é passível de recurso. “É o fim do McBully”, disse Pat McDonagh, que recebeu …

Disco de gelo giratório gigantesco "invade" rio no Maine

Um enorme círculo de gelo giratório se formou esta semana no rio de Presumpscot, na cidade de Westbrook, no estado norte-americano do Maine. Esse disco bizarro, ainda que raro, é um fenômeno natural fruto da Física. …

Em um restaurante de Dubai, deixar comida no prato dá multa (e é mais cara que a refeição)

Com Dubai se tornando mais consciente do desperdício de alimentos, um restaurante se lembrou de uma maneira de fazer com que os clientes não deixem comida no prato. O restaurante Gulou Hotpot, em Al Barsha, uma sossegada …

Crivella quer abrir cassino no Rio

Com uma expansão em mente para atrair ainda mais turistas ao Rio de Janeiro, o prefeito Marcelo Crivella começou a trabalhar para abrir um cassino na cidade. A era de ouro dos cassinos no Brasil durou de …