Argentina legaliza cultivo pessoal e venda de maconha medicinal nas farmácias

A partir de agora, cultivar maconha para uso medicinal e vender derivados do produto, como óleo e creme, não será mais um crime nas farmácias de toda a Argentina. O país também abre as portas para importação e exportação de cannabis com fins terapêuticos.

O governo argentino publicou um decreto-lei nesta quinta-feira (12) que permite o autocultivo controlado e o acesso à cannabis em farmácias autorizadas.

É inadiável uma regulamentação que permita o acesso oportuno, seguro e inclusivo daqueles que requeiram usar a cannabis como ferramenta terapêutica”, diz o texto do decreto no Diário Oficial.

A normativa estabelece a autorização para os cultivos pessoal e em rede (organizações civis e universidades) para pacientes, investigadores e cultivadores que se registrarem no Programa Nacional de Cannabis, que terá caráter confidencial.

O programa vai emitir “a autorização a um cultivo controlado de cannabis, bem como a produção de derivados, para tratamento medicinal, terapêutico e paliativo de dor”.

Limites ao uso medicinal

A autorização para o autocultivo vale para o próprio paciente, para um parente, para uma terceira pessoa ou para uma organização civil. Quem obtiver a autorização será controlado por uma “Autoridade de Aplicação”. Para se inscrever no Programa, será necessário ter indicação médica e atender as condições estabelecidas.

Nesse ponto, a quantidade de pés-de-maconha permitidos serão definidos posteriormente, através de resoluções do Ministério da Saúde. No entanto, a preocupação das autoridades sanitárias não passa tanto pela quantidade, mas pelas limitações dos princípios ativos de duas moléculas (THC e CBD), responsáveis pela psicoatividade da maconha.

Quem não quiser plantar poderá recorrer a farmácias autorizadas. O novo texto também habilita as farmácias a manipularem a substância para a produção de óleos e cremes. Além disso, a importação de produtos também passa a ser legal.

Essa regulamentação visa a qualidade, já que os usuários recorrem ao mercado negro, expondo-se a riscos devido à procedência duvidosa.

Estado promove a produção

O Estado argentino também vai garantir “o acesso gratuito ao óleo de cânhamo e aos demais derivados de cannabis a todos os que estiverem no Programa”.

A nova regulamentação também promove a criação de laboratórios públicos e privados que garantam o controle da produção e incentiva investigações universitárias vinculadas com cannabis medicinal. O Ministério da Saúde poderá estabelecer convênios com instituições e ONGs.

“O Estado fornecerá colaboração técnica para impulsionar a produção pública de cannabis em todas as suas variedades e a sua industrialização para uso medicinal, terapêutico e científico nos laboratórios de Produção Pública de Medicamentos”, afirma o texto.

Além de legalizar o circuito produtivo e consumidor, a nova regulamentação prepara as bases para a exportação de produtos.

A norma vigente até hoje criminalizava pacientes consumidores e cultivadores, mesmo os domésticos, com até 15 anos de prisão.

Fim da ilegalidade

Em março de 2017, foi aprovada uma lei que limitava o uso para pacientes com epilepsias refratárias. Por essa limitação, a legislação era criticada por pacientes, médicos, ativistas e empresários.

Mesmo sob risco de condenação, muitos cultivadores e famílias decidiram avançar com um circuito ilegal. O decreto que agora legaliza o uso detalha essa situação e exalta a iniciativa dos que atuavam na ilegalidade.

“Estas restrições significaram uma barreira ao acesso oportuno de cannabis por parte da população, levando um número significativo de usuários a satisfazerem a sua própria demanda de óleo através do autocultivo”, indica o texto.

“Com o tempo, foram criadas redes (de usuários) e organizações civis que atualmente contam com reconhecimento jurídico e legitimação social”, aponta.

“Eram famílias que, quando tinham a chance de atenuar as dores, adotavam um papel ativo, assumindo o risco de serem condenadas pela legislação vigente“, descreve o texto do decreto que põe fim à ilegalidade da maconha medicinal na Argentina.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …