Bitcoins gastam mais energia que o Equador – mas há uma solução

Bitcoin, temos um problema. A criptomoeda e a blockchain (a tecnologia em “cadeia de blocos” em que se baseia) foram anunciadas há muito tempo como um exemplo brilhante do futuro das transações. Mas o impacto energético causado pelo processamento necessário para minar uma moeda e manter a plataforma é incontornável.

Sabemos há algum tempo que a bitcoin devora energia. Muita energia. O problema energético da bitcoin já gerou soluções estranhas, mas agora ela precisa de aquecedores que aproveitam a energia liberada enquanto um processador mina a moeda – uma espécie de “mining” sustentável de bitcoin.

Minar uma bitcoin requer energia. E cada transação de bitcoin implica que um utilizador tenha que transmitir os detalhes da operação para uma rede de computadores interligados, onde a transação é duplicada em milhares de ledgers, uma espécie de “livros de registro” infalsificáveis das operações todas desde o início da blockchain. E isso gasta energia. Muita.

“Uma blockchain, como é a bitcoin, tem que operar sob o pressuposto de que nenhum outro computador pode ser confiável”, diz Teunis Brosens, analista econômico da ING. Então, em vez de confiar no que quer que seja, cada computador verifica de forma independente parte da transação, em um processo chamado ‘mining‘.

O ‘mining‘ da moeda impede que os computadores criem falsos registros, exigindo uma “prova de trabalho”. O enigma criptográfico a ser resolvido requer tanto poder de processamento que criar uma entrada falsa se tornaria proibitivo.

Todo o processo exige muita eletricidade. Uma das últimas estimativas calculou que o consumo anual de eletricidade no ‘mining da bitcoin em 23.07 terawatt-hora, aproximadamente a mesma quantidade de eletricidade que o Equador gasta por ano.

É deste problema energético que surge a ideia de muitos empreendedores de ‘mining‘: fazer uso de todo o calor gerado no processamento da bitcoin para criar aquecedores.

A startup russa Comino espera tornar esta ideia um negócio inovador. No entanto, além de poucos programadores vivendo em locais muito frios, poucas pessoas pensam em usar a energia da criptomoeda.

O produtor de bitcoins OgNasty diz que “encontrar usos para o calor produzido quando se produz uma bitcoin não é uma solução realista”. Para compensar o peso energético que a bitcoin coloca, a OgNasty, que começou a produzir bitcoins em 2012, criou o projeto Green Energy Bitcoin Mining, que usa energia solar e eólica para produzir bitcoins.

Mas embora o uso de energias renováveis seja bom “a oferta ainda é escassa, e isso afeta outros usos de energia que beneficiam a sociedade, muito mais do que a produção competitiva de bitcoins”, diz Brosens.

A última solução é a mais radical: mudar por completo o funcionamento da blockchain. Vitalik Buterin, criador da rede de criptocircuitos Ethereum, uma plataforma que permite a criação de aplicativos de blockchain, anunciou no mês passado que adotaria uma forma completamente diferente de fazer transações, a “prova de participação“.

Em substituição da prova de trabalho, a prova de participação consiste em ‘investir’ uma pequena quantia de dinheiro em um fundo que retornaria a quem ‘investiu’ se a validação fosse real. “Ao mostrar que há recursos investidos, provam que seu trabalho pode ser confiável”, diz Brosens.

Ainda assim, esta abordagem poderia trazer várias desvantagens. A prova de participação poderia enviesar o sistema a favor de quem tem mais dinheiro. Segundo Brosens, “a solução passa por descobrir mecanismos de validação do processo de produção de bitcoins que consumam menos energia”.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Netanyahu é indiciado por corrupção pela Justiça israelense

A Justiça de Israel acusou nesta quinta-feira (21) o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, por uma série de crimes de corrupção, aprofundando ainda mais a crise política no país. O procurador-geral israelense, Avichai Mandelblit, indiciou o …

Processo de impeachment contra Trump deixa Ucrânia em posição difícil

Em meio a inquérito nos EUA, presidente Zelensky se vê num dilema: se confirmar pressão de Washington, perde a boa vontade de Trump. Se desmentir, arrisca fechar a porta para uma futura Casa Branca sob …

Caso Marielle: Moro defende Bolsonaro e fala em 'fraude' para envolver nome do presidente

  O ministro da Justiça, Sergio Moro, defendeu nesta quinta-feira o presidente Jair Bolsonaro (PSL), cujo nome nas últimas semanas esteve vinculado ao assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do seu motorista, no Rio de …

Príncipe Andrew vira centro de escândalo sexual

O príncipe Andrew do Reino Unido comunicou nesta quarta-feira (20/11) que decidiu se afastar da vida pública após o agravamento da controvérsia em torno de seu envolvimento com o milionário americano Jeffrey Epstein, acusado de …

Brasil é o maior hub de fintech da América Latina

O Brasil é o maior país da América Latina — tanto em massa quanto em população — e ocupa uma posição influente no cenário global. Depois dos Estados Unidos, o Brasil lidera a lista do …

Entomólogo dos EUA acredita ter identificado fósseis de insetos em Marte

O entomólogo William Romoser, professor emérito da Universidade de Ohio (EUA), analisou fotos captadas por rovers da NASA em Marte e afirma ter achado nelas fósseis de insetos. Romoser analisou detalhadamente estruturas parecidas a abelhas, bem …

China se irrita com decisão americana sobre Hong Kong e convoca diplomata

Pequim convocou nesta quarta-feira (20) um diplomata do alto escalão dos Estados Unidos após a adoção na terça-feira (19), pelo Senado americano, de um texto que apoia os "direitos humanos e democracia" em Hong Kong. Os …

Porteiro que citou Bolsonaro no caso Marielle recua em novo depoimento

O porteiro que citou o presidente Jair Bolsonaro nas investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco e do motorista, Anderson Gomes, depôs nesta terça-feira (19/11) à Polícia Federal e recuou da versão que havia …

Anistia Internacional denuncia mais de 100 mortes em protestos no Irã

ONG relata uso de munição real contra manifestantes e diz que total de mortos pode ser ainda maior. Presidente e líder supremo dizem que país teve êxito ao lidar com distúrbios provocados por inimigos externos. A …

Áustria decide sobre polêmica do destino da casa onde nasceu Hitler

Por enquanto, parece ter se encerrado a polêmica sobre qual destino dar à residência onde nasceu Adolf Hitler. O edifício, que fica na Áustria, se tornará uma delegacia de polícia, segundo anunciou o governo austríaco …