Família vende tudo para investir em “bitcoins” e viver em parque de campismo na Holanda

(dr) Didi Taihuttu

A família Taihuttu

Uma família holandesa vendeu todas as suas propriedades, inclusive os brinquedos das três filhas, para investir todo o dinheiro na moeda virtual “bitcoin” e viver uma vida minimalista em um camping de Venlo, no sudeste da Holanda, enquanto observa seu capital aumentar.

“Apostamos nesta ideia com um duplo objetivo. O mais importante é levar uma vida simples, na qual nossa felicidade não dependa de coisas materiais. Enquanto isso, investimos o nosso dinheiro em ‘bitcoins’ e esperamos que se multiplique“, explicou à Agência Efe o pai desta família, Didi Taihuttu.

A primeira vez que Didi ouviu falar sobre esta moeda virtual foi em 2012, quando “não tinha nem ideia” do que era nem onde iria chegar esse sistema. “Comecei a pesquisar e a me interessar por isso. Por curiosidade, comprei alguns ‘bitcoins’, os vendi e pronto. Não o fiz pensando que iria muito além”, afirmou.

O “bitcoin”, inventado por um japonês que usa o pseudônimo de Satoshi Nakamoto, é uma moeda criptografada criada a partir de um código de computador e que, quando foi lançada, em fevereiro de 2009, valia apenas alguns poucos centavos de dólar.

O valor dessa criptomoneda já superou os US$ 6.100, mas hoje está cotada em US$ 5.727, segundo os dados atualizados da página de câmbio de moedas digitais Bitstamp, com sede em Luxemburgo. O sistema permite transações diretas entre utilizadores, sem intermediários, que ficam registradas em uma base de dados pública.

Nem Didi nem sua esposa, Romaine, imaginavam que os “bitcoins” seriam tão populares com o passar dos anos, portanto não deram maior importância ao assunto a princípio.

Após seu pai adoecer gravemente em 2015, Didi passou a dedicar mais tempo à sua família e deixou de lado seu negócio, seus interesses e inclusive sua curiosidade pela moeda digital e o dinheiro que tinha investido nesse novo sistema.

“Quando meu pai morreu, em janeiro de 2016, viajamos todos a Bali. Estava na praia, aproveitando um dia maravilhoso, quando um amigo me ligou e pediu para checar a aplicação dos ‘bitcoins’, pois eu teria uma surpresa”, lembrou.

Foi nesse momento que o holandês se deu conta de que as moedas digitais são “a revolução do sistema monetário” porque, ao verificar seu investimento após um ano e meio, o dinheiro que ele adquiriu e comercializou em 2013 “tinha ganhado vários zeros”.

Didi conversou com Romaine e disse estar “cansado” de trabalhar muitas horas afastado da família e de “como o apego a questões materiais tinha matado os seus sonhos” e que o mesmo poderia acontecer com suas filhas, de sete, dez e 12 anos.

Desde então, ele considerou que os “bitcoins” eram “a oportunidade perfeita” para uma mudança de vida e convenceu sua família a vender sua casa, sua empresa, três carros e uma moto na Holanda. “Vendemos até as roupas que não usávamos, os brinquedos das meninas, todos os bens de luxo que tínhamos e investimos tudo em ‘bitcoins”, afirmou o pai de família.

As filhas não entenderam este projeto a princípio, pois saíram de uma casa com cinco quartos para viver em um bangalô de 50 metros quadrados em um camping de Venlo. “Depois entenderam. Agora estão contentes. Gostam de dormir juntas e estão felizes com a nossa nova vida”, contou Didi.

Segundo o instituto holandês de pesquisas Kantar TNS, cerca de 135 mil famílias do país possuem moedas cifradas atualmente, o dobro em relação ao ano passado.

Muitas pessoas investem uma pequena quantia: 43% dos lares não gastaram mais de 100 euros e mais da metade obteve “lucros modestos” do seu investimento. “Estamos cientes de que isto é uma aposta e podemos perder tudo. Seria um desastre porque investimos tudo, mas sempre poderemos voltar à rotina de ter um salário e trabalhar”, explicou Didi.

O especialista em criptografia Kijn Soeteman se mostrou surpreso com a decisão da família e afirmou à rede de rádio e televisão pública NOS que “ainda há muitos obstáculos técnicos que podem causar fortes oscilações” nesta moeda digital.

O sistema, global e descentralizado, permite transações diretas entre usuários, sem intermediários, que ficam registradas em uma base de dados públicos.

Didi, que relata seu dia a dia na página Yolo Family Travel, se considera “um exemplo para outras pessoas que querem buscar liberdade” e mostra sua confiança nos “bitcoins” como a moeda do futuro. “Mesmo que sejamos milionários, continuaremos vivendo uma vida simples. A Holanda é um país muito caro, então o nosso plano é ir para outro lugar, como a Espanha, o país dos nossos sonhos. Ali sobreviveremos graças ao comércio de ‘bitcoins'”, concluiu Didi.

Ciberia // EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Governo argentino é alvo de roubo de 10 anos de arquivos administrativos

O governo da Argentina foi alvo de um ataque por meio de um ransonware e está com cerca de 10 anos de dados públicos sequestrados desde do dia 25 de novembro. Em entrevista, a ministra da …

Lausanne, na Suíça, é a melhor cidade pequena do mundo

A cidade de Lausanne, na Suíça, foi considerada a melhor cidade pequena do mundo pela influente revista britânica “Monocle”. A publicação fez uma lista com as 25 melhores cidades pequenas do mundo, com população …

Esse organismo unicelular toma "decisões" complexas mesmo sem um cérebro

Um organismo unicelular de água fresca chamado Stentor roeseli demonstra comportamento inteligente. Ele foi descoberto em 1906, e quando estimulado no microscópio, essa criatura com formato de trompete conseguiu tomar decisões consideradas complexas para um …

Rússia é banida de eventos esportivos mundiais por quatro anos

Decisão deixará o país de fora dos Jogos Olímpicos de 2020 e da Copa do Mundo de Futebol de 2022. Agência Mundial Antidoping (Wada) conclui que Moscou manipulou dados laboratoriais de seus atletas. A Rússia está …

Pessoas em situação de rua viram guias turísticos na Irlanda

Olha só que iniciativa maravilhosa. Na Irlanda, o projeto ‘Secret Street Tours’ treina pessoas em situação de rua para usar seu conhecimento sobre a cidade para serem guias de turistas em tours pela cidade de …

Cientistas finalmente criam neurônios artificiais

Uma equipe internacional liderada por pesquisadores da Universidade de Bath (Inglaterra) realizou um feito inédito: conseguiu reproduzir a atividade biológica de neurônios usando chips de silicone. E o que é ainda melhor: esses “neurônios artificias” requerem …

Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo

A Huawei oficializou, nesta quinta-feira, 5, uma plataforma de auxílio aos desenvolvedores para publicarem e divulgarem seus aplicativos para os dispositivos da companhia. Chamada Huawei Ability Gallery, trata-se de uma expansão do ecossistema da App Gallery, …

Metrô de Paris ficará em greve até segunda-feira contra reforma da Previdência

A greve dos metroviários de Paris contra o projeto de reforma da Previdência francesa foi prorrogada até segunda-feira (9). Nas assembleias-gerais realizadas pela categoria na manhã de quinta-feira (5), primeiro dia da paralisação, quase todos os …

"Operação Maleta Verde", o escândalo que atinge governo e oposição na Venezuela

Com semblante mais sério que de costume, Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela pelos Estados Unidos, pelo parlamento da União Europeia e por vários países da América Latina, dirigiu-se a jornalistas reunidos em …

Sarampo causou mais de 140 mil mortes em 2018

De acordo com OMS, maioria das vítimas tinha menos de cinco anos de idade e não havia sido vacinada. No ano passado, foram registrados quase 10 milhões de casos da doença no mundo. O sarampo causou …