Câmara aprova projeto de lei e complica vida do Uber no Brasil

Fernanda Carvalho / Fotos Públicas

-

Após um dia de muitos debates e protestos em todo o Brasil, o polêmico projeto de lei que propõe a regulamentação de serviços como Uber e Cabify foi aprovada na Câmara dos Deputados, em Brasília, na noite de ontem (04).

Assim como tudo envolvendo essa discussão, o resultado final é controverso e até mesmo confuso em alguns momentos.

O texto-base que foi votado inicialmente pelos deputados é favorável às empresas que trabalham via aplicativos, pois reconhece sua atuação nas cidades. Dessa forma, eles deixam de ser considerados métodos de transporte clandestino ou pirata, como muitos taxistas bradavam ao longo dos últimos meses.

Porém, duas emendas que foram propostas pode mais uma vez virar o jogo e complicar a vida dos motoristas.

A primeira joga a responsabilidade de proibir ou liberar os serviços para os municípios, afirmando que as cidades em que essas empresas atuam é quem deve definir se esses veículos estão ou não autorizados a transportar passageiros.

Portanto, Uber e companhia devem receber uma autorização da prefeitura e realizar um cadastro de seus motoristas para receber a famosa placa vermelha. Na prática, isso aproxima os serviços de aplicativo daquilo que é feito com os táxis em todo o Brasil.

Segundo o texto da emenda, os apps não poderão funcionar enquanto não fizerem essa adequação em cada local de atuação.

Essa mudança pode fazer com que toda a polêmica volte à estaca zero. Isso porque se esperava que a regulamentação na Câmara colocasse um ponto final na disputa entre motoristas e taxistas, mas apenas fez alguns ajustes na discussão e a devolveu às cidades.

Assim, se um prefeito decidir apoiar o lobby dos táxis, o Uber e seus concorrentes podem não receber a autorização necessária, ficando novamente na ilegalidade naquela região.

A outra emenda apenas reforçou esse embate, principalmente ao revogar as autorizações que já eram válidas. De acordo com o complemento, os serviços do gênero deixam de ser considerados como “transporte de natureza privada” e passam a ser tratados como algo público, mais uma vez igual aos táxis.

E isso faz com que leis como as de São Paulo, onde o Uber é permitido, deixem de valer, já que os apps saem do escopo do texto original. Para funcionar na cidade, o app vai precisar de uma nova autorização.

Em nota, a Uber disse que o projeto é “retrógrado, que não regula o Uber no Brasil, mas tenta transformá-lo em táxi, proibindo, entāo, este modelo de mobilidade”.

Porém, a questão ainda pode passar por mudanças, já que o projeto segue para aprovação no Senado, onde pode ser novamente alterado e devolvido à Câmara. Em seguida, ele também precisa ser sancionado pelo presidente Michel Temer.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …