Crianças amputadas vão poder jogar com seu braço Lego

Carlos Arturo Torres

IKO, o braço prostético Lego desenvolvido por Carlos Arturo Torres

IKO, o braço prostético Lego desenvolvido por Carlos Arturo Torres

Um novo braço protético apelidado de “Iko” pode ser infinitamente personalizado com peças de Lego para que as crianças o transformem no que desejarem.

A nova prótese personalizável, uma invenção de Carlos Arturo Torres, tem um enorme potencial de ajudar pequenos com debilidades a serem vistos de forma diferente pelo mundo.

O campo das próteses tem visto avanços significativos nos últimos anos. Designers têm aproveitado as novas tecnologias como a impressão 3D para torná-las mais bonitas, elegantes ou à prova d’água.

Tornar próteses mais expressivas capacita as pessoas que as usam. Iko tem como objetivo ajudar as crianças a superar o estigma de ter uma prótese, fazendo com que seja divertido usá-la.

“Meus amigos em psicologia costumavam dizer-me que, quando uma criança tem uma deficiência, não está realmente consciente disso até que enfrenta a sociedade”, diz Torres.

O projeto do designer colombiano é voltado para crianças entre 3 e 12 anos, uma faixa etária ampla, abrangendo os anos cruciais de construção de autoestima.

A ideia

Torres, baseado em Chicago, desenvolveu Iko durante um estágio de seis meses no Future Lab da Lego. Ele percebeu que o brinquedo tinha a habilidade de promover conexões sociais e teve a ideia de transformar crianças com próteses em ímãs sociais através de seus membros divertidos.

A Lego patrocinou uma viagem de Torres para sua terra natal, a fim de que ele observasse pacientes protéticos em Bogotá. Lá, ele conheceu Dario, um menino vibrante de 8 anos com uma malformação congênita que o deixou sem um antebraço direito.

Um dia, Torres viu Dario desenhar um robô de dez braços em um caderno. “Ele estava falando das características diferentes do robô e apontou para um olho biônico. Ele disse que o robô construiu a si próprio, porque era o único que sabia o que precisava”, conta.

De repente, Torres sabia exatamente como a Lego poderia se integrar em próteses.

Carlos Arturo Torres

Algumas das opções de personalização do IKO

Algumas das opções de personalização do IKO

Protótipo carregado de esperanças

Iko permite que as crianças façam suas próprias criações em um terminal conector. A base, que se liga a parte superior do braço do membro amputado, contém uma bateria, um processador e sensores mioelétricos que detectam o movimento muscular e o transferem para o que quer que esteja sobre a extremidade do braço Iko, quer se trate de um robô ou uma nave espacial.

A prótese Lego ainda está em fase de prototipagem, mas a consultoria de design IDEO, atual empregadora de Torres, está subscrevendo um modelo de baixo custo impresso em 3D.

Se a ideia se tornar uma realidade comercial, pode ajudar muitas crianças. Em Bogotá, Torres testemunhou em primeira mão o poder de transformação dos membros personalizados.

Antes de dar a Dario uma nave espacial Lego que foi anexada a seu braço Iko, Torres perguntou a um dos amigos do garoto como ele percebia a condição de Dario. O amigo respondeu que se sentia mal por ele.

Depois que a mão com a nave espacial foi dada a Dario, Torres repetiu a pergunta. A resposta? “Eu queria uma dessas também”

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

UE exportou mais de um bilhão de doses contra Covid-19, diz Comissão Europeia

A União Europeia exportou mais de um bilhão de doses de vacinas contra a Covid-19 para mais de 150 países. Essa quantidade representa a metade das doses produzidas na Europa, de acordo com dados …

Colin Powell, ex-secretário de Estado dos EUA, morre aos 84 anos

Primeiro negro a ocupar topo da diplomacia e da máquina militar americana, ex-general teve papel de destaque na Guerra do Golfo e arranhou sua credibilidade ao apoiar a invasão do Iraque uma década depois. Colin Powell, …

Criminosos usam escaneamento por código do próprio usuário para 'sequestrar' contas do WhatsApp

Em 2019, um relatório divulgado pelo laboratório de pesquisa da empresa de segurança virtual Eset alertou que uma das formas crescentes de sequestro de contas do WhatsApp era feita por meio de um ataque conhecido …

EUA: Manobras de Trump bloqueiam investigação sobre invasão do Capitólio

Vários parceiros e associados do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se recusaram a comparecer à comissão da Câmara que investiga a invasão de 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, sede do …

Dor nos olhos após COVID-19: cientistas explicam causa de complicação inesperada do vírus

Uma pesquisa de cientistas alemães mostrou que o coronavírus pode penetrar nos olhos e infectar os fotorreceptores e células ganglionares na retina. Isso pode ser uma causa de problemas com os olhos após a COVID-19. Os …

Estudo mostra como mudanças climáticas afetarão a energia hidrelétrica no Brasil

Um novo relatório publicado pela Global Environmental Change revela que, nas próximas décadas, as reduções de precipitação e vazão dos rios na região amazônica — a maior bacia hidrográfica do mundo e uma forte candidata …

Merkel é premiada por compromisso com a União Europeia

"Somente uma Europa unida é uma Europa forte", diz a líder alemã ao receber o prêmio Carlos 5º. Rei espanhol destaca pragmatismo e confiabilidade da chanceler federal, descrevendo-a como uma "mulher extraordinária". Prestes a deixar o …

França: crianças pobres são ainda mais vulneráveis à poluição do ar, aponta relatório

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e a rede mundial Climate Action Network International, que reúne associações que lutam contra o aquecimento global, divulgaram, nesta quinta-feira (14), o relatório "Injustiça social …

'Love is in the Bin': a obra semidestruída de Banksy vendida a R$ 121 milhões em leilão

Uma obra de arte de Banksy que se autodestruiu parcialmente em um leilão anterior foi arrematada agora a um preço recorde de 16 milhões de libras (cerca de R$ 121 milhões). Love is in the Bin …

EUA tentam virar a página da era Trump e voltam ao Conselho de Direitos Humanos da ONU

Os Estados Unidos voltaram, nesta quinta-feira, ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, órgão que o país havia deixado durante o mandato de Donald Trump. O retorno mostra a vontade de Washington de fazer …