Funcionários de subprefeitura de SP dormiram no trabalho para evitar “algazarra” da greve

José Cruz /Agência Brasil

-

O subprefeito de São Paulo, que atraiu atenções na véspera da greve geral por anunciar que servidores dormiriam no trabalho, diz que apenas “colaborou” com o desejo dos funcionários.

“Eles só queriam trabalhar, não queriam algazarra“, afirmou à BBC Brasil Paulo Mathias, de 26 anos, administrador da região paulistana de Pinheiros. “A gente apenas colaborou, da forma como pode, para que eles pudessem trabalhar”, disse.

Na noite de quinta-feira, Mathias publicou vídeo no Facebook informando que seis funcionários tinham solicitado passar a noite na subprefeitura.

O grupo, afirmou, temia não conseguir voltar na manhã seguinte pelas interrupções no transporte público que a greve causaria.

Na gravação, em que os subordinados aparecem, mas não falam, o subprefeito afirma que a atitude dos subordinados o deixara “arrepiado” e “emocionado”.

“Somos a favor do direito à greve, mas não em dia de trabalho. Queria olhar para vocês e dizer: ‘Aqui na prefeitura de Pinheiros amanhã [sexta-feira] é dia de trabalho'”. O vídeo foi criticado por supostamente expor os funcionários e apresentar uma definição inusitada de paralisação trabalhista.

Mathias afirmou à BBC Brasil que se expressou mal. Disse ser contrário a manifestações, e não a greves, em dias de trabalho.

O gestor rebateu as críticas – que incluíram a presença de sindicalistas na subprefeitura protestando contra o que classificaram como trabalho escravo.

“[Na sexta-feira] chegaram aqui cerca de 20, 30 sindicalistas protestando contra trabalho escravo. Nunca vi trabalho escravo no qual as pessoas simplesmente querem trabalhar. É só isso. E ninguém obrigou ninguém“, afirmou Mathias.

O subprefeito reiterou que a ação não foi iniciativa da prefeitura, mas de funcionários – motoristas, marceneiros, membros da manutenção e da limpeza – com mais de 20 anos de experiência, que “não pediram suas aposentadorias”, “gostam de trabalhar” e “têm amor pelo que fazem”.

Histórico da medida

Mathias afirmou ter recebido, na tarde de quinta-feira (27), uma mensagem da chefe do setor administrativo informando que alguns funcionários dormiriam ali para não perder o dia seguinte de trabalho.

Àquela altura o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), já havia anunciado o desconto nos salários de contratados pelo município que aderissem à paralisação.

O subprefeito disse ter sido tocado pela iniciativa – “que gesto de cidadania, que exemplo de funcionalismo público” – e que por isso chamou os funcionários na mesma hora.

“Perguntei: ‘Vocês querem dormir aqui?’. Eles falaram: ‘Sim, porque a greve vai atrapalhar nossas vidas’.”

A administração montou uma estrutura para o pernoite: seis colchões, seis cobertores e uma pizza, dividida com Mathias. Todos jantaram juntos. “Foi muito bom, muito bacana“, diz o gestor.

Críticas

A publicação de Mathias no Facebook suscitou comentários como “explorador” e “escravocrata“, além de ícones expressando rejeição ao conteúdo. Para o subprefeito, as críticas vieram de uma “massa robótica acionada pelos sindicatos“.

“Entramos em alguns perfis para dar uma olhada. Tudo fake, a grande maioria tem um amigo, dois amigos. Você já percebe a coisa construída”, disse o subprefeito, que foi um dos coordenadores da campanha de Doria e presidiu o setor de juventude do PSDB paulista por duas gestões.

Em resposta às críticas, ele disse que a situaçãoque motivou a polêmica não foi causada por ele, mas por “quem está parando a cidade“.

“Infelizmente, [são] algumas pessoas que insistem em paralisar avenidas e causar transtorno na cidade, impossibilitando pessoas de bem, como eles [funcionários da subprefeitura], de trabalhar”, ponderou.

Nas redes sociais, críticos também questionaram o silêncio dos servidores durante a gravação. Para Mathias, porém, a presença dos servidores já era suficiente naquele momento.

“Só de estarem junto comigo no vídeo… são funcionários públicos concursados, não são comissionados. Então, trabalham aqui há muitos anos… não teria sentido, sabe? São pessoas que aderiram, que realmente quiseram fazer aquilo“, afirma.

Servidores

Após a entrevista com o subprefeito, a BBC Brasil tentou localizar o grupo que pernoitara no local, mas todos tinham sido chamados por Mathias. Enquanto aguardava os seis, a reportagem conversou com alguns de seus colegas. Na cozinha dos empregados, a caixa de pizza estava no lixo.

“Pois é, o pessoal dormiu aqui. Sou terceirizado, não tem como não trabalhar, não é? Até pensei em pedir para dormir também, mas aí acordei às 4h30 e vim“, disse um funcionário da equipe de manutenção.

Os servidores acabaram não aparecendo. “Talvez tenham ido almoçar”, palpitou o colega.

Meia hora depois, um novo vídeo apareceu na página de Paulo Mathias.

E começa assim:

“Meu nome é João, trabalho há 35 anos aqui na [sub]prefeitura de Pinheiros. Eu, com meus amigos, resolvemos conversar com o prefeito para posarmos aqui à noite, devido a essa greve do dia seguinte. Que eu moro longe, [em] Ibiúna, eu e meus amigos moramos longe. Então, o prefeito deu colchão, coberta, lanche, que nós não trabalhamos, mas posamos aqui à noite”, disse um dos funcionários.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …