Jessie Knight, a história da primeira mulher tatuadora do Reino Unido

Jessie Knight foi a primeira mulher tatuadora na história do Reino Unido. O seu trabalho está em exposição no National Maritime Museum Cornwall, na Inglaterra.

Jessie Knight desistiu da promissora carreira como tatuadora quando se casou, aos 27 anos, porque o marido não aprovava a profissão. Anos mais tarde, o casamento terminou depois que ela atirou nele — sem intenção de matar — quando ele chutou o cachorro do casal escada abaixo. O fim da relação fez Jessie voltar para a arte em que foi vanguardista e a tornou popular nos anos 1940.

A tatuadora nasceu em 1904, filha mais velha em uma família de oito irmãos. Seu pai era marinheiro e a mãe, “louca”, nas palavras dela. Sabe-se que, ao atirar no marido, ela não tinha como objetivo matá-lo porque Jessie foi, por anos, atiradora de circo.

Naquela época, trabalhar neste ramo, especialmente sendo mulher, não era visto com bons olhos. Mas Jessie era uma mulher à frente de seu tempo e não costumava fazer o que lhe diziam ou o que achavam moralmente aceitavam para alguém do sexo feminino.

“Ela costumava ler livros atrevidos para as crianças da família para animar os pais”, diz Neil Hopkins-Thomas, seu sobrinho-neto. “Ela era uma personagem cheia de histórias e aventuras”, conta.

O trabalho da tatuadora está em exposição no National Maritime Museum Cornwall, na Inglaterra, em uma exposição sobre a história social da tatuagem na Grã Bretanha.

“Na melhor das hipóteses, as tatuagens eram desprezadas como uma arte inferior desfigurante; na pior, eram uma marca de criminalidade”, explicam os curadores da mostra, Matt Lodder e Derryth Ridge, em entrevista ao “Guardian”.

Quando seu talento começou a ficar conhecido, Jessie foi roubada uma série de vezes, tendo perdido não só dinheiro, mas também projetos pessoais que guardava. Chegou a ser inclusive caluniada: além de ser chamada de prostituta, como se fosse algo não digno, ainda sofreu com alegações de que o material que utilizava para tatuar não era esterilizado.

Em 1955, ela concorreu ao prêmio Tattoo Artist of All England (“Tatuador de toda a Inglaterra”, em tradução livre) e terminou em segundo lugar. Seu sobrinho acredita que ela só não ganhou o prêmio principal por ser mulher.

Jessie parou de tatuar na metade dos anos 1960, embora tenha continuado a tatuar amigos e familiares na sala de sua casa. Quando morreu, aos 90 anos, deixou para a mãe de Neil sua coleção de desenhos e os poemas que guardou ao longo dos anos.

Sua importância na história acabou se perdendo um pouco pelo tempo, até por uma característica dela mesma. A primeira tatuadora mulher do Reino Unido não costumava espalhar sobre seu talento e sobre suas conquistas.

“Acho que as pessoas olhavam para ela e pensavam: ‘Aquela mulher estranha’, sem saber o que ela tinha feito na vida”, diz Neil. “Eles sempre ficavam absolutamente pasmos quando descobriam.”

 

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Não vacinados ameaçam combate à covid nos EUA

Em meio à disseminação de teorias da conspiração e a uma alta das infecções pelo coronavírus entre não vacinados, autoridades de saúde dos EUA lutam para convencer mais pessoas a se imunizarem contra a covid-19. Em …

Helicóptero da NASA estabelece novo recorde durante seu 10º voo em Marte

Neste sábado (24) o pequeno helicóptero da NASA em Marte, Ingenuity, conseguiu ultrapassar a marca de 1,6 km de distância percorrida acumulada após sobrevoar uma região rochosa na cratera Jezero. No sábado, o helicóptero robótico completou …

A curiosa rejeição de parte dos franceses ao passaporte sanitário na pandemia

No país onde o debate é uma espécie de esporte nacional, qualquer imposição verticalizada do governo pode ser considerada um acinte. Desde a Revolução, os franceses alimentam uma espécie de ojeriza ao compulsório que …

Astrônomo amador descobre nova lua na órbita de Júpiter

O corpo celeste recebeu o nome provisório de EJc0061 e mais provável é que seja um novo membro do grupo Carme, que orbita o planeta junto a outras 78 luas. O estudante Kai Ly se tornou …

Microsoft diz que 70% dos brasileiros já foram alvos do golpe de suporte técnico

Imagine estar navegando pela internet e se deparar com uma janela afirmando que há algo de errado com sua instalação do Windows. Ao clicar, você consegue entrar em contato com um técnico, que dá instruções …

Orçamento recorde não salva Jogos Olímpicos de Tóquio do desânimo causado pela Covid-19

Os jornais franceses desta detalharam o desafio dos organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que começaram oficialmente nesta sexta-feira (23) sob a ameaça da Covid-19 e uma impopularidade recorde no Japão. Para a imprensa …

Comunidade LGBTQ da Hungria teme repressão e perseguições

Nos últimos meses, Boldizsár Nagy teve que lidar com situações que nunca imaginara. Por muito tempo, ele foi um jornalista e editor de livros infantis desconhecido, "ninguém especial", em suas próprias palavras. Quando, em 2020, ele …

68 anos! Conheça a história do homem com a maior crise de soluço do mundo

Você provavelmente já teve soluços ao longo da vida, certo? Alguns minutos de soluço são suficientes para deixar qualquer um emburrado. Mas já pensou soluçar por nada menos que 68 anos seguidos? Pois foi isso …

Mesmo após crise gerada por pandemia, Brasil terá 10 milhões de desempregados, dizem economistas

Com a aceleração da vacinação na maior parte do país, os brasileiros já começam a vislumbrar uma luz no fim do túnel da pandemia do coronavírus. Diante da perspectiva de gradual volta à normalidade, espera-se …

Pentágono confirma que 7 colombianos presos no Haiti passaram por treinamento militar nos EUA

Pentágono revelou que sete dos ex-militares colombianos acusados de assassinar o presidente haitiano Jovenel Moïse receberam treinamento nos EUA enquanto estavam no serviço militar colombiano. Além disso, os militares participaram de um programa de elite do …