“Millennials” se tornam símbolo de solidariedade após terremoto no México

(dv) Mexican Presidency

Demolindo a fama de individualistas e indiferentes da geração “milennial”, os jovens mexicanos levantaram nos últimos dias a bandeira da solidariedade em um país traumatizado pelo forte terremoto que já deixou 333 mortos e podem se transformar em um símbolo de mudança.

“Dizem que somos muito apáticos, (…) mas esta foi a oportunidade para demonstrar que, apesar de sermos jovens, vamos dar tudo pelo nosso país“, disse à Agência Efe Carlos Alberto Vázquez, recém-formado em Relações Internacionais e voluntário em um edifício que desabou com o tremor na Cidade do México.

Com um capacete, colete e botas, Carlos Alberto faz fila junto a 50 pessoas, a maioria com menos de 30 anos, para poder entrar no marco zero deste imóvel, onde se calcula que ainda haja 35 pessoas sob os escombros.

O jovem não tem conhecimento específico em obras nem em resgate, mas sim uma enorme vontade de ajudar. Já vacinado contra o tétano e com seu nome e número de telefone pintados no braço, está pronto para o que considera um dever.

Hoje Carlos Alberto continuará ajudando nos trabalhos de remoção de escombros e dividindo comida com os companheiros. Tal como fizeram centenas de milhares de jovens nos últimos dias no México, diante da que foi, provavelmente, a pior tragédia que se lembram.

Angélica Rodríguez tem 22 anos e é estudante de Direito. Está há vários dias trabalhando como voluntária. “Se eu estivesse em uma situação similar, gostaria de receber apoio”, contou a jovem, que disse estar ali “escondida”, porque seus pais não a deixam ajudar em áreas com risco de desabamento, por medo de que possa lhe acontecer algo.

O diretor-executivo da Rede pelos Direitos da Infância no México (Redim), Juan Martín Pérez, avalia muito positivamente este advento dos jovens após o terremoto de 7,1 na escala Richter que sacudiu a região central do México, especialmente sua capital, no último dia 19 de setembro.

Foi rompida a lógica imperante. Os protagonistas e líderes estão sendo eles”, disse o especialista, que considerou que a tragédia foi o estopim de uma necessária “ruptura geracional” que pode dar mais voz aos jovens.

Entretanto, há vários perigos. Um deles é a política tentar se apropriar deste movimento que, até hoje, carece de figuras claras. “É uma liderança coletiva. Uma liderança de ‘hashtags'”, afirmou Pérez.

A maioria dos jovens concorda que as redes sociais foram determinantes para que se dispusessem a ajudar. “Estamos mais informados. A tecnologia nos apoia”, resumiu Luis Enrique Jiménez.

As redes foram nos últimos dias uma fonte inesgotável de informação, e também de rumores. Mas para o titular da Redim, os mais jovens diferenciam melhor o que é verdadeiro e o que é falso.

De fato, a hashtag #verificado19S viralizou e uma plataforma para checar os dados foi montada.

Alex nasceu 16 anos após o terremoto de 1985, que deixou milhares de mortos na Cidade do México e também aconteceu em um dia 19 de setembro.

Aquele tremor foi um divisor de águas para a população e na política. Surgiram personagens como Superbarrio Gómez, um lutador pela moradia digna encarnado pelo ativista social Marcos Rascón.

Para os jovens é como um relato que escutam em casa desde pequenos. E após o terremoto de semana passada, chegou a hora de agir. “A lembrança de 1985 levou muitos a ajudar. Ao pensar no que aconteceu às suas famílias”, comentou Álex.

“Minha mamãe está orgulhosa por eu estar contribuindo. Eu queria dar comida, mas infelizmente as condições econômicas não me permitem, mas é melhor estender a mão“, acrescentou Carlos Alberto.

Hiperconectados com as redes sociais, desconfiando da política e dos meios de comunicação tradicionais e lembrando o exemplo de solidariedade do terremoto de 1985, os jovens se apoderaram das ruas.

No entanto, não se sabe se o movimento perdurará ou se será efêmero como tantos outros fenômenos em tempos modernos.

“É cedo para saber se o novo modelo coletivo será mantido em uma identidade geracional que consiga dialogar com outras gerações e se está comprometido com a reconstrução nacional”, concluiu Pérez, que considerou que será imprescindível “criar mecanismos de participação cidadã” para que os jovens não retornem ao seu mundo digital.

Ciberia // EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Secularismo e tolerância a minorias predizem a prosperidade de um país

Pesquisadores da Universidade de Bristol e Universidade do Tennesse analisaram dados de quase 500 mil pessoas de 109 países e concluíram que mudanças na cultura geralmente vêm antes da melhora na riqueza, educação e democracia. Os …

Estudo: declínio de abelhas se aproxima da extinção em massa

De acordo com um novo estudo liderado por cientistas da Universidade de Ottawa (Canadá), a probabilidade de uma população de abelhas sobreviver em qualquer lugar diminuiu 30% no curso de uma geração humana. Os pesquisadores sugerem …

Pesquisador diz ter descoberto droga capaz de apagar memória ruim de separação amorosa

Um pesquisador de Montreal, no Canadá, diz ter encontrado uma maneira de acabar com o sofrimento causado por uma separação traumática — ele "edita" as memórias dolorosas usando um betabloqueador e sessões de terapia. Alain Brunet …

Documento revela que Facebook poderia ter virado uma "Wikipédia da vida privada"

Steven Levy, conhecido editor da Wired, conseguiu colocar as mãos em algo que ele talvez nunca imaginou encontrar: um diário de Mark Zuckerberg, CEO e fundador do Facebook, datado de 2006 e que mostra algumas …

Missão suicida: satélite queimará na atmosfera da Terra, mas por uma boa causa

Na próxima semana, a Agência Espacial Europeia (ESA) vai destruir um satélite, lançando-o em direção à atmosfera da Terra, só para vê-lo queimar durante a reentrada. Sim, tudo de propósito. Trata-se de um experimento muito …

Pé Grande vagueia pelo Reino Unido enquanto centenas de relatos são registrados

Apesar de a lenda do Pé Grande ser tipicamente americana, centenas de pessoas relataram ter visto a enigmática criatura em diversas localidades do Reino Unido. Se por um lado o Reino Unido é um país relativamente …

Um terço de todas as espécies de animais e plantas pode desaparecer em 50 anos

Um novo estudo da Universidade do Arizona (EUA) estimou que um terço de todas as espécies de plantas e animais do planeta pode ser extinta em até 50 anos devido aos efeitos da mudança climática. Para …

Huawei ataca governo dos EUA e lembra caso Snowden

Em comunicado publicado nesta quinta-feira (13), a Huawei voltou a se defender dos ataques feitos pelos Estados Unidos nesta semana, afirmando que, se tem alguém envolvido com espionagem internacional, esse alguém é justamente o governo …

Os efeitos políticos e religiosos do encontro entre Lula e o papa

Reunião no Vaticano vai além de troca de gentilezas entre dois líderes sul-americanos. Para especialistas, audiência tem repercussões para o ex-presidente, o PT e a própria Igreja Católica, que vive disputa de poder. A reunião entre …

Candidato de Macron à prefeitura de Paris renuncia devido a escândalo sexual

Reviravolta na campanha pelas eleições municipais em Paris a apenas um mês da votação. O candidato do partido presidencial, Benjamin Griveaux, renunciou nesta sexta-feira (14) à corrida pela prefeitura da capital. A decisão foi anunciada …