Mulheres negras continuam com menos oportunidades no Brasil

Marcelo Casal Jr / Agência Brasil

Marcha das Mulheres Negras em Brasília, em 2015

Ser mulher e negra no Brasil significa trabalhar mais, ganhar menos e ver limitadas as oportunidades em um mercado de trabalho ainda dominado pelos homens, apesar dos avanços registrados nas duas últimas décadas, como mostra um relatório pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O estudo intitulado Retrato das Desigualdades de Gênero e Raça afirma que, entre 1995 e 2005, as mulheres negras brasileiras foram o coletivo que recebeu o menor salário pelo trabalho desempenhado.

“A mulher negra está na base da sociedade. Está com mais desvantagens”, disse à Agência Efe a pesquisadora Natália Fontoura, uma das autoras do relatório.

A marginalização começa no âmbito educativo, onde a taxa de analfabetismo em 2015 foi de 10,2%, contra 4,9% registrado entre as mulheres brancas.

A questão racial é somada à desigualdade de gênero, também profunda no país, o que coloca as mulheres negras em uma posição ainda pior.

“Viemos de uma sociedade em que as mulheres sempre ocuparam posições inferiores, com escravidão. Nunca houve políticas para impulsionar a população negra”, denunciou a especialista.

Em média, o salário mensal de uma mulher negra no Brasil é quase R$ 1,5 mil menor que o salário médio de um homem branco. Em 2015, o salário médio de um adulto branco era de R$ 2.509,7 frente aos R$ 1.027,5 que recebia uma mulher negra.

A tendência se manteve inalterada durante os últimos 20 anos, com as mulheres negras como o setor populacional menos remunerado, apesar de nesse período seu salário ter se valorizado 80%, contra os 11% de crescimento no sálario dos homens brancos.

As maiores dificuldades no âmbito educativo se traduzem em uma formação pior e, por sua vez, no acesso a piores postos de trabalho com remunerações menores.

De acordo com Fontoura, 18% das trabalhadoras negras e 10% das brancas estão empregadas no setor doméstico, embora, em igualdade de situações, as últimas tenham melhores condições.

A diferença também é percebida na taxa de desemprego, que em 2015 chegou a 17,4% para as mulheres negras com ensino médio, contra 11,6% da média feminina.

Em nível geral, os avanços para reduzir as diferenças de gênero na educação não se refletiram no mercado de trabalho, “onde a maior parte dos indicadores mostra uma hierarquia estagnada” dominada pelos homens brancos, segundo o relatório.

As mulheres brasileiras trabalham em média 53,6 horas semanais e os homens apenas 46,1, ou seja, 360 horas a mais ao longo de um ano.

“Precisamos de políticas públicas para enfrentar essas desigualdades”, disse Fontoura, que lamenta que as diferenças salariais entre ambos os sexos “continuem sendo muito grandes”.

Além disso, a taxa de participação laboral feminina ainda é muito baixa, segundo o relatório, que ressalta que quase a metade das brasileiras em idade ativa continua fora do mercado de trabalho.

O documento constata que existem “barreiras” para que as mulheres deixem a casa e se incorporem ao mercado de trabalho, apesar dos avanços das últimas décadas, e alerta que esse “teto” de participação será “difícil” de ser superado.

No âmbito doméstico, 40% das famílias do Brasil são lideradas por mulheres, embora em 34% dos casos exista um cônjuge no núcleo familiar.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

China revela análise de substância estranha encontrada na Lua em 2019

Em julho de 2019, a equipe da missão chinesa Chang'e 4 encontrou uma substância estranha na Lua. A descoberta foi anunciada em agosto do mesmo ano, chamando a atenção da comunidade científica, mas nada foi …

Cientistas alertam OMS para transmissão aérea do coronavírus além de dois metros

A transmissão aérea do novo coronavírus interpela os especialistas desde o início da pandemia. Nessa segunda-feira, um grupo de 239 cientistas alertou as autoridades de saúde do mundo inteiro, e em particular a OMS, …

Governo tem que tirar garimpeiros de terras yanomami em 15 dias para começar a enfrentar covid-19 em áreas indígenas

O Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou que o Governo Federal deveria retirar os garimpeiros das terras yanomami de Roraima como medida para conter o avanço do novo coronavírus nos territórios indígenas. A decisão liminar …

Encontrada a origem da vida no universo

Uma estrela morre por segundo no universo. Mas esses objetos estelares não somem totalmente, algo sempre fica para trás. Certas estrelas entram em supernova, que geram um buraco negro ou uma estrela de nêutrons, enquanto a …

Bolsonaro afirma que está com covid-19

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (07/07) que seu exame para detectar a covid-19 teve resultado positivo. Bolsonaro, de 65 anos, se submeteu ao exame na segunda-feira, após dizer que estava sentindo sintomas leves da …

Caso de peste bubônica é confirmado na China

Enquanto o mundo vem buscando tratamentos para a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), antigas doenças e ameças podem ressurgir, como um sinal de alerta para a sociedade. É esse o caso relatado pelas autoridades da saúde …

Petição que substituir estátua de Cristóvão Colombo por uma do músico Prince

O histórico processo de revisão das estátuas, nomes de rua e outras homenagens a personagens ligados ao racismo ou outros massacres étnicos prevê a retirada de tais homenagens, mas não somente: figuras efetivamente merecedoras dos …

EUA podem proibir aplicativos chineses, incluindo TikTok, diz secretário de Estado

Mike Pompeo já acolheu uma medida semelhante da Índia, que emitiu uma ordem provisória bloqueando o TikTok e outros 58 aplicativos ligados à China em meio ao primeiro choque fronteiriço mortal em décadas. O secretário de …

Brasil tem mais de 65 mil mortes por covid-19

O Brasil superou a marca de 65 mil mortos por covid-19 nesta segunda-feira (06/07), segundo dados do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Ministério da Saúde. Foram 620 óbitos registrados nas últimas …

Homem cria uma "cadeira de rodas" off-road para que sua esposa possa ir a lugares que ela nunca imaginou

Quem precisa de uma cadeira de rodas para se locomover sabe que não é nada fácil percorrer certos terrenos. Viagens a lugares nevados, trilhas tropicais, montanhas… Tudo isso parece impossível. Mas não deveria ser. Aliás, …