Newton está errado. Einstein é o próximo

Z. Levay and R. van der Marel, STScI; T. Hallas; and A. Mellinger / NASA, ESA

Uma equipe internacional liderada pela astrofísica Andrea Ghez, da Universidade da Califórnia em Los Angeles (EUA), mostrou que Newton estava errado e disse que Einstein será o próximo a ser contestado.

Segundo os pesquisadores, quando o físico Isaac Newton fez seu trabalho inovador, ele explicou o mundo de acordo com as leis naturais, mas não tinha dados sobre a gravitação planetária ou o mundo subatômico que poderiam mudar sua compreensão da teoria.

Agora, a equipe diz que a gravidade não funciona de acordo com Newton nem no universo vasto, nem no muito pequeno.

Os dados sobre o estado da gravidade vêm de informações coletadas sobre a estrela S0-2, observada durante uma volta completa de 16 anos em torno do buraco negro no centro da Via Láctea, o Sagittarius A*, usando o Observatório Keck, no Havaí, a quase 4.000 metros de altitude.

Por conta da densidade dos buracos negros, nada pode escapar de seus “horizontes de eventos”, nem mesmo a luz. Sua influência em objetos próximos – mas não o suficiente para serem engolidos – também pode ser medida. É esse o caso da S0-2.

Quanto mais próxima do buraco negro ela passa, se move a mais de 25 milhões de quilômetros por hora. De acordo com Einstein, nessa região tão perto de um buraco negro, os fótons precisam trabalhar dobrado. O comprimento de onda à medida que saem da estrela depende não apenas de quão rápido ela se move, mas também de quanta energia os fótons consomem para escapar do poderoso campo gravitacional do buraco negro.

Newton estava errado

Perto de um buraco negro, a gravidade é muito mais forte que na Terra. De fato, os pesquisadores do novo estudo puderam ver essa “conjunção” de espaço e tempo nas proximidades do buraco negro no centro da nossa galáxia.

“Na versão de gravidade de Newton, o espaço e o tempo são separados e não se misturam; sob Einstein, eles ficam completamente misturados perto de um buraco negro”, disse Ghez.

Então Newton estava errado e Einstein – por enquanto – se mostrou certo. Mas Ghez e sua equipe acham que isso não vai durar muito tempo.

Einstein é o próximo

Os cientistas creem que a teoria da relatividade geral de Einstein é fraca porque não pode explicar completamente a gravidade dentro de um buraco negro. Embora ninguém tenha feito experimentos dentro de um buraco negro para obter dados ainda, a teoria deve vir primeiro.

Claro, os trabalhos de Newton e Einstein são incríveis e existem elementos de verdade em ambos. Einstein nos deu uma melhor compreensão que Newton com sua teoria da relatividade em 1915, mas tal entendimento da gravidade precisa funcionar em qualquer parte do universo, incluindo locais que ainda não estudamos.

Uma tarefa faraônica para qualquer físico teórico, mas uma maneira fácil de mostrar as lacunas de compreensão nas obras de “titãs” como Newton e Einstein.

Um artigo sobre o estudo foi publicado na revista científica Science.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Companhia aérea cria rede de restaurantes de ‘comida de avião’ em terra firme

Em princípio a comida de avião não lembra o sabor e a qualidade de nossos restaurantes preferidos, muito menos a delícia de uma boa comida caseira – a não ser, é claro, para aqueles que …

Forças Armadas alemãs voltarão a empregar rabinos como capelães militares

As Forças Armadas da Alemanha (Bundeswehr) vão empregar rabinos como capelães militares. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (11/12) pela ministra da Defesa do país, Annegret Kramp-Karrenbauer. As dezenas de milhares de católicos e protestantes em …

Plantas dão gritos ultrassônicos quando estressadas, e podemos até dizer por que

Uma nova pesquisa da Universidade de Tel Aviv, em Israel, descobriu que plantações de tomate e tabaco podem falar. Infelizmente, nós não conseguimos escutar. Usando gravações, os cientistas concluíram que as plantas fazem sons ultrassônicos …

Fones inteligentes que alertam pedestres sobre perigos já estão sendo testados

Um impressionante dado levantado somente nos EUA diz muito sobre o efeito da tecnologia sobre nosso comportamento mais cotidiano – e, com isso, sobre nossas vidas e, pasmem, nossas mortes: nos últimos sete anos, o …

Evo Morales vai fazer da Argentina o seu comitê de campanha para as eleições na Bolívia

Em uma operação secreta, o ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, chegou à Argentina de onde vai comandar a campanha do seu partido para as próximas eleições. Depois de passar quase um mês no México, Evo …

Vespas insaciáveis: outro desastre provocado pela radiação de Chernobyl?

A radiação de Chernobyl intensificaria o metabolismo e o consumo de néctar em vespas se comparadas com as de outras regiões. A intensificação pode ter maiores consequências ecológicas. A mudança poderia estar relacionada à constante exposição …

Maioria considera justa a soltura de Lula, mostra Datafolha

Uma pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta segunda-feira (09/12) sugere que a maioria da população brasileira considera justa a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ocorrida em novembro após ele cumprir um ano …

Agora sabemos sobre o que os orangotangos estão conversando: estudo

Um novo estudo da Universidade de Exeter desvendou a linguagem secreta dos orangotangos, descobrindo o que significam 11 sinais vocais e 21 gestos. Os pesquisadores passaram dois anos filmando mais de 600 horas do comportamento …

Cientistas desenvolvem holograma com som e toque iguais aos de Star Wars

Quando pensamos em desenvolver tecnologias baseadas nos filmes de Star Wars, a primeira, segunda e terceira coisa que passa pela cabeça dos fãs é a criação de sabres de luz da vida real. Mas, para os …

Secom diz que não há 'indicativo de câncer de pele' em Bolsonaro

Após o presidente Jair Bolsonaro declarar que tinha feito exame para investigar "possível câncer de pele", a Secretaria de Comunicação da Presidência disse por nota que não havia qualquer indicativo da doença. O chefe de Estado …