OCDE: Brasil tem recuperação econômica ameaçada por situação política

Marcos Santos / USP Imagens

A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) constatou em seu relatório semestral de perspectivas a recuperação econômica no Brasil, que começou pela agricultura e deverá se generalizar no futuro, mas alertou que a confiança continuará sensível à situação política, com as eleições previstas para o ano que vem.

Com um crescimento de 0,7% este ano (igual ao antecipado em junho) e de 1,9% em 2018 (três décimos a mais que o prognóstico feito há seis meses), a OCDE se manifestou em seu relatório semestral de perspectivas sobre a melhoria prevista no Brasil.

“Após oito trimestres de quedas consecutivas, o crescimento finalmente voltou”, afirmou a organização, que também indicou que não é apenas a agricultura a responsável pela melhoria no Produto Interno Bruto (PIB), pois o crescimento está se expandindo para os outros setores econômicos do país e será ainda maior no futuro.

O ambiente parece propício graças a uma taxa de inflação abaixo da meta do Banco Central, o que repercutiu em uma maior renda real para as famílias. Isto também permitiu uma redução nas taxas de juros, favorecendo assim a recuperação do investimento, embora os créditos para as empresas continuem baixos.

A OCDE também destacou que os bancos brasileiros estão “bem capitalizados” e previu que os mesmos devem aguentar bem os riscos derivados de uma maior dívida corporativa.

“A profunda e prolongada recessão foi uma prova de resistência significativa para os bancos no mundo real, e não expôs debilidades nas instituições financeiras“, ressaltou a organização no relatório.

Para a OCDE, os indicadores revelam uma recuperação gradual, mas que ainda está ameaçada pela incerteza política.

A confiança empresarial está crescendo, assim como as vendas no varejo, o poder aquisitivo e o crédito doméstico, enquanto o desemprego está caindo (em um ponto percentual desde o seu pico de 14% este ano), assim como a inflação (de 11% para menos de 3%).

Para a OCDE, a política fiscal do governo brasileiro acompanhou a recuperação, mas deverá enfrentar um aumento da dívida pública de até 74% do PIB e do deficit público para mais de 9%.

A organização situa a reforma da previdência como o elemento fundamental para garantir a estabilidade das contas públicas, mas considera que também serão necessários “outros ajustes”, como uma melhor seleção dos beneficiados pelos programas sociais do governo.

Neste cenário, a OCDE aponta o “fracasso em implementar as reformas necessárias” como o maior perigo para a economia brasileira, algo que ela vincula às eleições previstas para outubro de 2018.

De acordo com essas projeções, a recuperação pode ser ainda maior daqui a dois anos, pois a OCDE prevê um crescimento do 2,3% em 2019.

Já em relação à economia mundial, a organização confirma sua recuperação, com melhorias do PIB de 3,6% em 2017 e 3,7% em 2018, mas não de maneira “sólida e integradora”, em um contexto de aumento do endividamento das famílias e das empresas não financeiras.

A economista-chefe da OCDE, Catherine Mann, reconheceu que “há sinais positivos” como o aumento do investimento empresarial, mas que não são firmes o suficiente para prolongar esse crescimento durante 2019, quando está prevista uma desaceleração da economia (3,6%).

“Os governos devem implementar mudanças políticas mais profundas para canalizar investimentos, produtividade e aumentos salariais para alcançar um crescimento mais inclusivo”, opinou Mann.

A organização defende medidas como reformas econômicas que facilitem o comércio internacional e que sirvam para reduzir os impostos nas empresas, entre outras.

As perspectivas da OCDE atribuem a melhoria das perspectivas semestrais às políticas de estímulos e lembram que a progressão do PIB não era tão alta desde 2010, depois do início da crise global.

Apesar da melhoria, a OCDE esclarece que ainda não foram alcançados os níveis de renda per capita registrados antes da explosão da crise, em 2008.

Ciberia // EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

As vovós que lutam pela democracia na Polônia

Idosas polonesas organizam protestos regulares contra erosão da democracia no país, governado por partido ultraconservador. "Não sou capaz de ficar tranquila em casa, cada violação dos direitos me dói", diz aposentada. Clima de fim de expediente …

Coruja super rara dá o ar da graça depois de 125 anos

A coruja rajá de Bornéu (Otus brookii brookii) é uma espécie tão pequena que apenas seu tamanho já tornaria sua identificação mais complexa. Nativa do Sudeste da Ásia e com peso médio de apenas 100 gramas, …

Nintendo bate todos os recordes de lucros com videogames durante a pandemia

A Nintendo apresentou resultados recordes para o ano fiscal de 2020/21 encerrado em 31 de março, impulsionada pela mania global dos videogames em tempos de pandemia, mas o grupo japonês não espera repetir essa …

Doença cerebral misteriosa intriga médicos no Canadá

Médicos no Canadá têm deparado com pacientes que apresentam sintomas semelhantes aos da doença de Creutzfeldt-Jakob, um mal raro e fatal que ataca o cérebro. Mas quando resolveram investigar o mal em mais detalhe, o …

Governador do Rio diz que operação que terminou com 25 mortos foi ação de 'inteligência'

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, afirmou que a operação da Polícia Civil realizada no Jacarezinho foi "ação pautada e orientada por longo e detalhado trabalho de inteligência e investigação".  A operação terminou com …

Butantan diz que ataques de Bolsonaro à China afetam vacinas

Presidente insinuou que chineses, principais fornecedores de matéria-prima para imunizantes ao Brasil, criaram vírus como parte de "guerra química". "Essas declarações têm impacto", diz diretor do Instituto Butantan. A direção do Instituto Butantan e o governador …

Fotos da última sessão de Kurt Cobain são vendidas como NFT

As imagens da última sessão de fotos da vida do compositor e cantor Kurt Cobain irão a leilão em formato de token não-fungível, os célebres NFTs. O anúncio foi feito por Jesse Frohman, fotógrafo por trás …

EUA, França e Rússia apoiam quebra de patentes contra a Covid-19, mas laboratórios resistem

A ideia de suspender as patentes da fabricação de vacinas contra a Covid-19 continuou a ganhar apoio em todo o mundo nesta quinta-feira, após o impulso inicial dado Estados Unidos. Porém, os laboratórios resistem, …

Descoberta a evidência mais antiga de atividade humana

Uma das atividades mais antigas de humanos foi identificada em uma caverna na África do Sul. Uma equipe de geólogos e arqueólogos encontrou evidências de que nossos ancestrais estavam fazendo fogo e ferramentas na Caverna …

Jeff Bezos: os planos do homem mais rico do mundo para voo espacial turístico

O fundador da Amazon, Jeff Bezos, afirma que está pronto para levar pessoas ao espaço. A empresa Blue Origin, do empresário americano detentor de uma fortuna estimada em R$ 1 trilhão, diz que lançará uma tripulação …