Estados e governo federal vão firmar pacto nacional contra a homofobia

Paulo Pinto / Fotos Públicas

Em 2017, o Disque 100 da Secretaria Nacional de Cidadania do Ministério dos Direitos Humanos recebeu 1.720 denúncias de violações contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. Do total, 70,8% foram por discriminação. Na sequência, aparecem violências psicológicas e físicas, com 53,3% e 31,8%, respectivamente.

Na busca pelo fim da violência contra o público LGBTT, a secretaria promove até sexta-feira (18) a Semana de Luta contra LGBTfobia, que terá a assinatura de um Pacto Nacional de Enfrentamento.

As atividades marcam também o Dia Internacional de Combate a Homofobia, lembrado no dia 17 de maio. A data foi escolhida, em 1990, quando a Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou a palavra homossexualismo da Classificação Estatística Internacional (CID). A decisão reconheceu que a homossexualidade não pode ser considerada doença, por se tratar de traço da personalidade do indivíduo.

No Brasil, somente em 2010, por meio de decreto presidencial, o Dia Nacional de Combate a Homofobia foi oficialmente instituído. A partir daí, estados e municípios iniciaram políticas específicas para intensificar ações de combate à violência, ao preconceito e discriminação.

Durante a semana, haverá uma série de debates sobre políticas públicas de enfrentamento. A abertura está marcada para esta terça-feira (15) quando serão relatadas as ações desenvolvidas. Em seguida, serão apresentados dados a respeito das denúncias de violações de direitos humanos. Conforme o levantamento, 27% das violações ocorrem na casa da vítima.

Para o ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, a semana traz visibilidade à causa. “Precisamos avançar neste assunto. É muito bom que já exista espaço para a população LGBT na política, mas esse é apenas mais um passo para que seus direitos sejam preservados”, destaca.

Pacto Nacional

Além dos debates, na quarta-feira (16) será assinado o Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência LGBTfóbica. O documento tem como proposta promover e articular ações que combatam à violência, priorizando o respeito à dignidade e diversidade humana.

Nele, estados, Distrito Federal e o governo federal assumem o compromisso conjuntamente enfrentar a violência LGBTfóbica. Uma consultoria especializada, via Nações Unidas, foi contratada e fez visitas técnicas nas 27 unidades da Federação, que puderam opinar e trazer informações para elaboração do pacto.

Segundo a diretora de Promoção dos Direitos LGBT do Ministério dos Direitos Humanos, Marina Reidel, a medida “visa unir esforços em todo território brasileiro no combate à violência”

Uma das demandas apresentadas pelos estados é a destinação de recursos para a execução das ações. Com isso, o ministro assinará um edital para seleção de propostas de ações de enfrentamento à violência LGBTfóbica, que serão financiadas pela da Secretaria Nacional de Cidadania do Ministério dos Direitos Humanos, por meio de convênio.

Ciberia // Agência Brasil

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA:

NASA vai criar o lugar mais frio do Universo (e será na Estação Espacial Internacional)

Os cientistas pretendem realizar uma experiência que irá “congelar” átomos com lasers, criando assim o ponto mais frio do Universo. Esta semana, a NASA enviou ao espaço uma nave repleta de equipamentos que devem auxiliar os …

Somos apenas 0,01% da vida na Terra; mas podemos causar a sexta extinção em massa do planeta

Um estudo recente, a primeira estimativa abrangente da biomassa da Terra, conduzida por Ron Milo, do Instituto Weizmann de Ciência, em Israel, conclui que as 7,6 bilhões de pessoas do mundo representam apenas 0,01% de …

Arqueólogos encontraram tribo bárbara assassinada em batalha misteriosa

Milhares de ossos de rapazes e homens, que teriam sido massacrados em uma batalha há 2 mil anos, são a prova que faltava da violência que se vivia nas tribos e povos germânicos, nos tempos …

EUA emitem alerta sobre “ataques sônicos” na China

Nesta quarta-feira (23), a embaixada norte-americana na China emitiu um alerta após um funcionário do governo ter sofrido uma lesão cerebral. A embaixada norte-americana na China emitiu um alerta depois de um funcionário ter sofrido uma …

Casos de câncer vão aumentar 58% até 2035

O número de casos de câncer vai aumentar 58% em menos de 20 anos. O estilo de vida é um dos principais responsáveis pelo aumento. O documento intitulado "Dieta, Nutrição, Atividade Física e Câncer: uma Perspectiva …

Trump está proibido de bloquear pessoas no Twitter

O presidente dos Estados Unidos está proibido de bloquear internautas no Twitter. A decisão é de uma juíza federal, que considera: Trump viola a primeira emenda da Constituição. Uma juíza federal norte-americana proibiu, nesta quarta-feira (23), …

Em troca de comida, mulheres estão submetidas a estupros na Nigéria

Milhares de mulheres e meninas sobreviventes do Boko Haram, que estão em campos de desalojados na Nigéria, têm sido alvo de abusos sexuais das forças de segurança que afirmam tê-las salvado, denuncia a Anistia Internacional …

EUA expulsam diplomatas venezuelanos e dão 48 horas para que saiam do país

O governo dos Estados Unidos ordenou nesta quarta-feira (23) a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu 48 horas para que abandonem o país. Trata-se de chefe de negócios da Venezuela em Washington, Carlos …

Trump cancela encontro com Kim Jong-un

Nesta quinta-feira (24), o presidente norte-americano cancelou a reunião com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, prevista para 12 de junho em Cingapura. Donald Trump justifica o cancelamento da reunião pela “hostilidade” da Coreia do Norte. O …

Avião militar cai na zona oeste do Rio; pilotos ejetaram

Um avião F5 da Força Aérea Brasileira (FAB) sofreu uma pane e caiu na manhã desta quinta-feira (24) na zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Segundo a Aeronáutica, os pilotos conseguiram se ejetar …