China apresenta seu novo Palácio Celestial, a estação espacial do futuro

Equipada com painéis solares, com um peso mínimo de 60 toneladas e aberta a todos os países para experiências científicas. A China apresentou uma réplica da sua primeira grande estação espacial, que pretende colocar no espaço a partir de 2022.

A Estação Espacial Chinesa (CSS), também chamada de Tiangong (que significa “Palácio Celestial”) foi apresentada na Feira Aeronáutica e Aeroespacial em Zuhai, localizada no sul da China.

A réplica da futura estação é composta por três partes: um módulo principal com cerca de 17 metros de comprimento, destinado à vida e trabalho dos ocupantes e dois anexos disponíveis para a realização de experiências científicas. O início da montagem da CSS está previsto para 2022 e tem uma estimativa de vida de 10 anos.

Com um peso total mínimo previsto de 60 toneladas, equipada com painéis solares, a estação espacial do futuro tem capacidade para três astronautas, que poderão viver lá continuamente e realizar pesquisas em áreas como ciência, biologia e microgravidade.

A China anunciou também que a estação estará aberta a todos os países, para fins de experimentação científica, tendo já vários institutos, universidades e empresas públicas e privadas sido convidadas a apresentar propostas.

Até o momento, contam-se 40, provenientes de 27 países e regiões que vão, posteriormente, passar por um processo de seleção.

Bill Ostrove, especialista em questões espaciais no gabinete de aconselhamento Forecast International, garante que “ao longo do tempo, a China colherá bons frutos“. “Muitos países e um número crescente de empresas privadas e universidades têm programas espaciais, mas não têm o dinheiro para construir a sua própria estação espacial.

A possibilidade para eles (graças à China) de enviar cargas úteis para uma plataforma de voo habitada e realizar experiências é algo extremamente precioso”, observa.

A Agência Espacial Europeia (ESA) está já envia astronautas para treinar na China com o objetivo de viajar um dia para a estação chinesa.

Apesar da rivalidade entre Pequim e Washington, envoltos em uma guerra comercial, Chen Lan – analista para o site especializado no programa espacial chinês GoTaikonauts.com – afirma que é possível que um astronauta americano venha a trabalhar a bordo da CSS: “A agência espacial chinesa e a ONU poderiam pensar em algo assim. Mas não é certo que o Congresso americano tenha a mesma opinião”.

A Estação Espacial Chinesa (CSS) deverá se tornar a única a existir no espaço, uma vez que está prevista a retirada da Estação Espacial Internacional (EEI) — que associa Estados Unidos, Rússia, Europa, Japão e Canadá — em 2024.

“A China vai utilizar sua estação espacial da mesma maneira que os parceiros da EEI utilizam a sua atualmente: pesquisa, desenvolvimento de tecnologia e preparação das equipes chinesas para voos de longa duração”, explicou Chen Lan.

Apesar do gigante asiático passar a ser “uma das grandes potências do espaço”, Bill Ostrove (especialista em questões espaciais na Forecast International) refere que a Rússia, o Japão e a Índia vão continuar a desempenhar um “papel importante“, com os Estados Unidos continuando a ser o atual “poder espacial dominante”.

“Dominar o espaço nunca foi uma meta para a China”, aponta Chen Lan, referindo que as questões comerciais são cada vez mais importantes a nível espacial, sendo a inovação e a ciência fortes impulsionantes econômicos.

Pequim investe milhões no seu programa espacial, com a coordenação do Exército. Coloca satélites em órbita por conta própria (observação, telecomunicações e sistema de geolocalização Beidu) e espera ainda enviar um robô a Marte e humanos à Lua.

Ciberia, Lusa // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

China faz história: pela primeira vez, nasce uma semente de algodão na Lua

A missão espacial chinesa conseguiu fazer brotar uma semente de algodão na Lua, informou nesta terça-feira (15) a imprensa estatal, em um feito inédito, alcançado pelo Chang'e 4, a primeira sonda a pousar no lado …

Submarinos russos serão equipados com “torpedos do Juízo Final”

Os submarinos das frotas do Norte e do Pacífico da Marinha russa deverão brevemente contar com 32 drones nucleares Poseidon, conhecidos como “torpedos do Juízo Final”, capazes de destruir completamente cidades costeiras. Segundo revela o portal Russkoe …

Universidade egípcia expulsa aluna por abraçar o noivo (fora do campus)

A aluna abraçou o noivo quando o rapaz a pediu em casamento, mas o gesto, que não aconteceu no interior do campus, foi o suficiente para a jovem ser expulsa pela universidade. A universidade egípcia de Al …

Escultura “McJesus” provoca protestos em Israel

Uma escultura representando a figura de Ronald McDonald (da cadeia de fast food McDonald’s) crucificado, em uma exposição de arte em Israel, está provocando protestos da minoria cristã árabe no país. Centenas de cristãos árabes pediram …

Há uma espiral misteriosa na atmosfera de Vênus

A nave espacial não tripulada Akatsuki, do Japão, encontrou gigantescas estruturas espirais na atmosfera de Vênus, formadas por ventos polares e pela rápida rotação do planeta. A atmosfera de Vênus ganha atenção de astrônomos há quase …

Tem “barriga de cerveja”? Seu cérebro pode estar encolhendo

Uma equipe de pesquisadores britânicos concluiu que quem acumula mais gordura na zona do abdômen apresenta uma maior probabilidade de redução do cérebro e de aparecimento de demência. Com a linha da cintura em expansão, surgem …

Até os antigos egípcios faziam tarefa de casa

Uma tarefa de casa, escrita por uma criança do Antigo Egito, ficou preservada desde o segundo século a.C. – e as palavras podem parecer familiares até nos dias de hoje. Uma lição antiga preservada em uma …

Dinamarca avança com plano ambicioso de criar 9 ilhas na costa de Copenhague

O governo dinamarquês e a prefeitura de Copenhague, em conjunto com um gabinete de arquitectura e planejamento urbano, vão avançar com um ambicioso plano de criar nove ilhas na costa da capital do país. Um grandioso …

(cv) Euronews

Submarino alemão da Primeira Guerra Mundial aparece na costa da França

Os destroços de um submarino alemão da Primeira Guerra Mundial emergiram em uma praia de Wissant, no norte da França. Há décadas enterrada na areia, a carcaça enferrujada da embarcação naufragada em 1917 agora pode …

Não somos só o que comemos, “somos o que vemos” no dia a dia

No que diz respeito à saúde física, somos o que comemos. Mas e quanto à saúde mental? Segundo o médico David Fryburg, endocrinologista, somos o que vemos. Conforme aponta Fryburg, a comida é uma mistura complicada de fontes …