Parkinson poderá ser detectado com simples exame de sangue

Uma equipe portuguesa desenvolveu um teste que, com um simples exame de sangue, permite descobrir se sofremos do mal de Parkinson.

Atualmente, os médicos se baseiam nos sintomas – como tremores em repouso, rigidez muscular ou descoordenação motora – para identificar a doença de Parkinson. Agora, uma equipe portuguesa desenvolveu um teste para facilitar o diagnóstico dessa doença neurodegenerativa.

Segundo o periódico Expresso, são quatro ‘cicatrizes’ em uma proteína específica nos glóbulos vermelhos os primeiros biomarcadores descobertos para identificar o mal de Parkinson.

Isso torna possível que, com uma simples análise ao sangue, possamos descobrir se sofremos da doença. O método aguarda agora um ensaio alargado para ser aprovado para a prática médica.

“Estamos em estreita colaboração com os clínicos, sobretudo do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, focados em testes para encontrar novas formas de diagnosticar a doença”, diz Hugo Vicente Miranda, cientista do Centro de Estudos de Doenças Crônicas (CEDOC) da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa.

“Procuramos biomarcadores. Isto é, retirar uma amostra de sangue e identificar alterações que revelem a doença, e já encontramos quatro marcas numa proteína, alfa-sinucleína, que são assinaturas da doença”, explica o especialista.

A descoberta já foi compartilhada com a comunidade científica no fim do ano passado, e deverá continuar avançando até entrar no mercado. Ainda assim, Hugo Vicente Miranda admite não saber quanto tempo irá demorar “até termos um kit de diagnóstico“.

“Recorremos a um grupo pequeno de 100 pessoas, das quais 60 com Parkinson, e é preciso replicar os testes em um número muito grande de doentes, incluindo de outros países e com outras características”, afirma o cientista, frisando que só depois de obtida essa validação, o teste sanguíneo poderá sair do laboratório.

O mal de Parkinson não tem cura nem explicação clara sobre como se desenvolve. No entanto, a comunidade científica tem dado passos significativos no que diz respeito a um conhecimento mais profundo.

É o caso do grupo de pesquisa DysBrainD: Dysmetabolism in Brain Diseases, no qual Hugo Vicente Miranda é líder. O grupo acredita que em breve será possível encontrar um tratamento só com medicação. E a chave poderia estar nas diabetes.

“A ligação entre o açúcar e o mal de Parkinson tem uma evidência epidemiológica desde a década de 60 e o que fizemos foi tentar perceber as modificações patogênicas que o açúcar provoca na proteína alfa-sinucleína, levando à morte dos neurônios produtores de dopamina”, que são essenciais para o cérebro poder controlar a parte motora, explica.

O DysBrainD chegou à conclusão de que glicação – reação adversa entre açúcar e neurônios produtores de dopamina – pode ser prevenida ou controlada com os fármacos utilizados comumente para a diabetes. “Nos modelos celulares tivemos uma boa resposta e agora transitamos para os modelos animais.”

Hugo Vicente Miranda espera ter resultados daqui a três anos para sustentar a relação. “Será muito fácil transladar a terapêutica da diabetes para os doentes com Parkinson porque já está aprovada, ou seja, não seriam precisos ensaios clínicos”, conclui.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cientistas finalmente descobriram como capturar o espectro todo da luz solar para gerar hidrogênio

Pela primeira vez, cientistas da Universidade Estadual de Ohio (EUA) desenvolveram uma molécula que é capaz de coletar a energia de todo o espectro da luz solar. O processo, 50% mais eficiente que as atuais …

Você agora pode ouvir a voz de uma múmia de 3 mil anos

Com uso de tomografia computadorizada, impressão 3D e laringe eletrônica, pesquisadores do Reino Unido reconstruíram o trato vocal de uma múmia egípcia. Para a realização do projeto que teve início em 2013, foi preciso combinar medicina, …

Krakatoa, o inferno de Java: a erupção há 137 anos que foi sentida no planeta inteiro

Em 1883, o mundo presenciou um evento natural tão bombástico e violento que pôde ser notado de alguma forma por praticamente todos os habitantes do planeta. A erupção do vulcão Krakatoa, na Indonésia, lançou detritos a …

Educação e confiança fazem da Dinamarca país menos corrupto do mundo

Imagine poder almoçar tranquilamente num restaurante ou fazer compras enquanto deixa o seu bebê no carrinho, estacionado do lado de fora na calçada. Essa cena, que faz parte do cotidiano dos dinamarqueses, só é …

Brasil adianta ponteiros do Relógio do Juízo Final

O Relógio do Juízo Final teve seus ponteiros ajustados nesta quinta-feira (23/01) para a marca de apenas 100 segundos para a meia-noite, simbolizando o maior perigo para a humanidade registrado desde criação do dispositivo em …

Estudo comprova ligação entre estresse e cabelos brancos

Pesquisadores brasileiros e americanos investigaram processo de embranquecimento dos cabelos e concluem que estresse leva à liberação de substância que pode danificar células-tronco regeneradoras de pigmentos. Quando Maria Antonieta foi capturada durante a Revolução Francesa, consta …

Japão pretende desenvolver tecnologia ultrarrápida 6G até 2030

O governo japonês elaborará uma estratégia abrangente sobre as futuras redes de comunicação sem fio ultrarrápidas 6G e montou um painel para discutir o assunto, declarou ministra japonesa do Interior e Comunicações. O anúncio foi feito …

Tesla atinge valor de mercado de US$ 100 bi — e Musk receberá um grande bônus

A Tesla é uma das companhias mais promissoras do mundo, mas ainda gera dúvidas entre os investidores, devido aos problemas para atingir as metas de produção e polêmicos acidentes envolvendo seus veículos — além de …

Por que o príncipe da Arábia Saudita hackeou celular de Jeff Bezos, segundo investigação da ONU

Uma intriga internacional envolve, desde 2018, o homem mais rico do mundo e uma ditadura ultrafechada acusada de matar seus inimigos com requintes de crueldade. E, agora, o caso está sendo investigado por especialistas em …

Garoto de apenas 6 anos arrecada $270 mil para ajudar animais em incêndios australianos

Nos incêndios que devastaram algumas regiões da Austrália, mais de 1 bilhão de animais morreram. No esforço para salvar os animais resgatados e tentar, o mais rápido possível, lhes oferecer um novo lar, este garotinho …