Dopamina no momento certo: este pode ser o segredo do tratamento do mal de Parkinson

Neurocientistas da Fundação Champalimaud, em Portugal, descobriram que os neurônios que liberam dopamina são essenciais para iniciar um movimento. A descoberta pode trazer um futuro promissor ao tratamento do mal de Parkinson.

A dopamina é um neurotransmissor produzido em uma parte do cérebro chamada substância negra. O mal de Parkinson é causado pela morte de células cerebrais que produzem o neurotransmissor. Um estudo, publicado esta semana na Nature, pode significar um importante passo no tratamento da doença.

Segundo o Expresso, há muito tempo que os pesquisadores tentam entender por que a ausência de dopamina conduz aos sintomas motores característicos do mal de Parkinson – como a rigidez dos movimentos, a lentidão e os tremores.

Uma equipe de neurocientistas da Fundação Champalimaud e da Universidade da Columbia, nos EUA, descobriu uma diferença significativa no que diz respeito ao início da caminhada e ao resto dela.

De acordo com o estudo, liderado pelo cientista Rui Costa, os neurônios responsáveis pela produção de dopamina são fundamentais no início do movimento da caminhada.

Os doentes de Parkinson “não têm um problema global de motivação”. Em vez disso, “o problema dos doentes com Parkinson reside na dificuldade para iniciar o movimento e na lentidão do movimento”, explica o neurocientista e primeiro autor do estudo Joaquim Alves da Silva.

Através de experiências com ratos, os pesquisadores concluíram que os animais sem a doença apenas precisam de um pico de atividade das células dopaminérgicas, antes do início do movimento, para que decorra normalmente.

“Mostramos, pela primeira vez, que a alteração de atividade neuronal serve efetivamente para facilitar e promover o movimento. E também pela primeira vez, o pico de dopamina que antecede a iniciação de um movimento não modula apenas a iniciação, mas também o vigor do movimento”, explica Alves da Silva.

Os ratos foram colocados em uma espécie de arena onde podiam se movimentar livremente. Os cientistas conseguiam medir se os animais se movimentavam ou não e, através de um laser, conseguiam ativar e inativar as células dopaminérgicas dos animais.

Segundo Alves da Silva, para os ratos imóveis bastava “ativar os neurônios durante meio segundo para promover o movimento – e com maior vigor – do que sem a atividade desses neurônios”. Pelo contrário, os neurônios ativados quando os ratinhos já estavam em movimento não provocavam alterações.

Os autores do estudo defendem que as novas descobertas podem incentivar o desenvolvimento de novos tratamentos com menos efeitos secundários. Estes resultados “permitem explicar por que a dopamina é tão importante na motivação e também por que a falta de dopamina no mal de Parkinson conduz aos sintomas conhecidos”.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Fortnite dá desconto por fora, é banido pela Apple e caso vai parar na justiça

A Epic está processando a Apple pela retirada de Fornite da App Store. Após um embate jurídico entre as duas companhias, o jogo foi bloqueado na loja do iOS, criando reação imediata da desenvolvedora. A história, …

Com 1000 anos, maior cidade pré-colombiana da região dos EUA fica sob a cidade St Louis

Por mais que tenhamos sido ensinados que a história do continente americano começa pela chegada por aqui dos navegadores europeus – e o próprio nome de tal território sublinha essa recorrente doutrinação – o fato …

Asteroide Psyche poderia ser núcleo de planeta que não se formou, dizem cientistas

Cientistas examinaram um asteroide que deve ser visitado por uma missão da NASA em 2022, encontrando provas que suas propriedades atraíram sucessão de outros asteroides. Após realizar diversas simulações em 2D e 3D usando um supercomputador, …

Essa “formiga-diabo” pré-histórica ataca sua presa há 99 milhões de anos

Uma linhagem extinta há tempos, nomeada afetuosamente de “formiga do inferno” ou “formiga-diabo”, foi encontrada presa em âmbar há 99 milhões de anos atrás, com sua mandíbula em formato de foice agarrada firme na presa. No …

Mataram um crocodilo de meia tonelada e 4,5 metros depois de 50 anos de perseguição

Notícia triste para quem luta pela preservação do meio ambiente. Conhecido como Demônio, um crocodilo de meia tonelada e 4,5 metros, que segundo moradores aterrorizava vilarejos na ilhas Bangka Belitung (Indonésia), foi morto na semana …

China diz que encontrou traços de coronavírus em frango brasileiro

Carga de asas de frango que chegou a Shenzhen, no sul do país asiático, foi confiscada. Funcionários da alfândega que entraram em contato com alimentos foram testados, mas exames deram negativo. Traços do novo coronavírus foram …

Vacinação em SP começa em janeiro, segundo diretor do Butantan

Com a pandemia, inúmeras empresas estão dedicadas ao desenvolvimento de uma vacina que possa ajudar na luta contra a COVID-19. Nesta quarta-feira (12), o diretor do Instituto Butantan, Dimas Tadeu Covas, afirmou que o estado …

Descoberto "Stonehenge de madeira" de 4.500 anos em Portugal

A estrutura de madeira achada é a "única na pré-história da Península Ibérica", explicou o arqueólogo que lidera as escavações. Durante uma escavação no sítio arqueológico de Perdigões, arqueólogos descobriram uma estrutura para fins cerimoniais de …

Coronavírus reaparece na "protegida" Nova Zelândia e gera alerta

A detecção de quatro casos de transmissão local do novo coronavírus, depois de mais de 100 dias sem o vírus, levou as autoridades da Nova Zelândia a restaurar a quarentena em Auckland, cidade mais populosa …

Viagem aos anos 90: Airbnb abrirá reservas para pernoites na última Blockbuster

Quem viveu o boom das locadoras nos anos 90 sabe que ir até uma Blockbuster ou redes semelhantes de VHS e DVDs era um verdadeiro programa de final de semana: a experiência de assistir a …