Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência.

Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós tendem a ter maiores salários, tem mais facilidade para receber ajuda, evitar punições e ser percebido como uma pessoa competente. (Sim, pesquisas também sugerem que pessoas belas têm relacionamentos mais curtos, mas também têm mais parceiros sexuais, e mais opções para relacionamentos românticos.)

Agora, novas pesquisas revelam outra disparidade: pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Em contraste, pessoas bonitas tendem a se classificar com mais precisão ou subestimar o quão são atraentes.

A pesquisa, publicada no Scandinavian Journal of Psychology, envolveu seis estudos que pediram para que os participantes avaliassem a sua própria atratividade e a de outros participantes, que eram desconhecidos. Os estudos também pediram aos participantes para prever como outros voluntários os classificariam.

No primeiro estudo, o autor principal Tobias Greitemeyer constatou que os participantes mais propensos a superestimar sua atratividade estavam entre as pessoas menos atraentes do estudo, com base nas classificações médias.

“No geral, os participantes pouco atraentes se julgaram com uma atratividade média e mostraram muito pouca consciência de que desconhecidos não compartilham dessa visão. Em contraste, os participantes atraentes tinham mais insights sobre o quão atraentes eles realmente são. […] Parece, portanto, que pessoas pouco atraentes mantêm auto-percepções ilusórias de sua atratividade, enquanto as visões das pessoas atraentes são mais fundamentadas na realidade.”

Por que pessoas pouco atraentes superestimam sua atratividade? Poderia ser porque eles querem manter uma autoimagem positiva, então eles se iludem? Afinal, pesquisas anteriores mostraram que as pessoas tendem a desacreditar ou “esquecer” o feedback social negativo, o que parece ajudar a manter um senso de autoestima.

Para descobrir, Greitemeyer realizou um estudo que teve como objetivo colocar os participantes em uma mentalidade positiva e não defensiva antes de classificar a atratividade. Ele fez isso fazendo perguntas aos participantes que afirmavam partes de sua personalidade que não tinham nada a ver com a aparência física, como: “Você já foi generoso e altruísta com outra pessoa?” No entanto, isso não mudou a forma como os participantes se classificaram, sugerindo que pessoas pouco atraentes não estão superestimando sua aparência fora da defensiva.

Os estudos continuaram chegando na mesma conclusão: pessoas pouco atraentes superestimam sua atratividade. Esse viés soa familiar? Você pode estar pensando no efeito Dunning-Kruger, que descreve como pessoas incompetentes tendem a superestimar sua própria competência. Por que? Porque eles não têm as habilidades metacognitivas necessárias para discernir suas próprias deficiências.

Greitemeyer descobriu que pessoas pouco atraentes eram piores em diferenciar pessoas atraentes e pouco atraentes. Mas a constatação de que pessoas pouco atraentes podem ter diferentes ideais de beleza (ou, mais claramente, capacidade mais fraca de julgar a atratividade) “não teve um impacto na forma como elas se percebem”.

Em suma, permanece um mistério exatamente por que pessoas pouco atraentes superestimam sua aparência. Greitemeyer concluiu que, embora a maioria das pessoas seja capaz em julgar a atratividade dos outros, “parece que aqueles que não são atraentes não sabem que não são atraentes”.

Pessoas pouco atraentes não são completamente inconscientes

Os resultados de um estudo sugeriram que pessoas pouco atraentes não estão completamente no escuro sobre sua aparência. No estudo, pessoas pouco atraentes mostraram um conjunto de fotos de pessoas altamente atraentes e pouco atraentes, e foram solicitadas a selecionar fotos de pessoas com atratividade comparável. A maioria das pessoas pouco atraentes optou por se comparar com pessoas igualmente pouco atraentes.

“A constatação de que os participantes pouco atraentes selecionaram pessoas de pouco atraentes com as quais comparariam sua atratividade sugere que eles podem ter uma noção de que são menos atraentes do que gostariam”, escreveu Greitemeyer.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Não vacinados ameaçam combate à covid nos EUA

Em meio à disseminação de teorias da conspiração e a uma alta das infecções pelo coronavírus entre não vacinados, autoridades de saúde dos EUA lutam para convencer mais pessoas a se imunizarem contra a covid-19. Em …

Helicóptero da NASA estabelece novo recorde durante seu 10º voo em Marte

Neste sábado (24) o pequeno helicóptero da NASA em Marte, Ingenuity, conseguiu ultrapassar a marca de 1,6 km de distância percorrida acumulada após sobrevoar uma região rochosa na cratera Jezero. No sábado, o helicóptero robótico completou …

A curiosa rejeição de parte dos franceses ao passaporte sanitário na pandemia

No país onde o debate é uma espécie de esporte nacional, qualquer imposição verticalizada do governo pode ser considerada um acinte. Desde a Revolução, os franceses alimentam uma espécie de ojeriza ao compulsório que …

Astrônomo amador descobre nova lua na órbita de Júpiter

O corpo celeste recebeu o nome provisório de EJc0061 e mais provável é que seja um novo membro do grupo Carme, que orbita o planeta junto a outras 78 luas. O estudante Kai Ly se tornou …

Microsoft diz que 70% dos brasileiros já foram alvos do golpe de suporte técnico

Imagine estar navegando pela internet e se deparar com uma janela afirmando que há algo de errado com sua instalação do Windows. Ao clicar, você consegue entrar em contato com um técnico, que dá instruções …

Orçamento recorde não salva Jogos Olímpicos de Tóquio do desânimo causado pela Covid-19

Os jornais franceses desta detalharam o desafio dos organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, que começaram oficialmente nesta sexta-feira (23) sob a ameaça da Covid-19 e uma impopularidade recorde no Japão. Para a imprensa …

Comunidade LGBTQ da Hungria teme repressão e perseguições

Nos últimos meses, Boldizsár Nagy teve que lidar com situações que nunca imaginara. Por muito tempo, ele foi um jornalista e editor de livros infantis desconhecido, "ninguém especial", em suas próprias palavras. Quando, em 2020, ele …

68 anos! Conheça a história do homem com a maior crise de soluço do mundo

Você provavelmente já teve soluços ao longo da vida, certo? Alguns minutos de soluço são suficientes para deixar qualquer um emburrado. Mas já pensou soluçar por nada menos que 68 anos seguidos? Pois foi isso …

Mesmo após crise gerada por pandemia, Brasil terá 10 milhões de desempregados, dizem economistas

Com a aceleração da vacinação na maior parte do país, os brasileiros já começam a vislumbrar uma luz no fim do túnel da pandemia do coronavírus. Diante da perspectiva de gradual volta à normalidade, espera-se …

Pentágono confirma que 7 colombianos presos no Haiti passaram por treinamento militar nos EUA

Pentágono revelou que sete dos ex-militares colombianos acusados de assassinar o presidente haitiano Jovenel Moïse receberam treinamento nos EUA enquanto estavam no serviço militar colombiano. Além disso, os militares participaram de um programa de elite do …