Polícia é responsável por 3 em cada 10 mortes violentas no Rio em 2019

Tânia Rêgo / Agência Brasil

Sob Witzel, mortes em ações policiais em julho registram maior número para um mês desde 1998. Desde janeiro, 1.075 pessoas já morreram em intervenções policiais. Secretário diz que “tendência é de subida até dezembro”.

Dados divulgados nesta quarta-feira (21/08) pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) revelam que o número de mortes oficiais decorrentes de intervenções de agentes do Estado no Rio de Janeiro aumentou exponencialmente, chegando a 194 casos no mês de julho.

Os números do ISP, uma autarquia ligada ao governo estadual, são os maiores registrados para um mês desde o início do levantamento, em 1998, e representam um aumento de 49% em relação a julho do ano passado. Em comparação ao mês de junho deste ano, o aumento foi de 29%. Anteriormente, o maior número de mortes em um mês foi registrado em agosto de 2018, com 176 óbitos.

Segundo a avaliação do ISP, os dados revelam uma média de cinco pessoas mortas por dia pela polícia do Estado desde o início do ano. No acumulado de janeiro a julho, são 1.075 casos – cerca de 20% a mais do que no mesmo período do ano passado.

Em todo o Estado do Rio, agentes foram responsáveis em julho por 37,4% dos casos de letalidade violenta – que engloba homicídios dolosos, roubos seguidos de morte, lesões corporais seguidas de morte e mortos em ações policiais.

No acumulado do ano, policiais foram responsáveis por 30,14% de todas as mortes violentas no Estado. Com as 1.075 mortes registradas nos sete meses de 2019, agentes do Rio já superaram a marca de outros 15 anos contabilizados pelo ISP desde 1998, que consideraram períodos de 12 meses. No ano em que o levantamento teve início, 397 pessoas morreram em ações policiais no Rio ao longo de 12 meses.

Em julho de 2019, a região metropolitana do Rio – que engloba a capital e 16 munícipios do entorno – teve o maior número de mortes por agentes do Estado, com 178 ocorrências, o que corresponde a 49,5% dos casos de letalidade violenta registrados na área.

A maioria dessas mortes ocorreu na região metropolitana e em bairros suburbanos. O mais violento, com 20 mortes no mês de julho, foi o município de São Gonçalo.

O secretário estadual da Polícia Civil no Rio de Janeiro, delegado Marcus Vinícius Braga, declarou em entrevista ao jornal Bom Dia Rio, da rede Globo, que o número de pessoas mortas por polícias deve aumentar até ao final do ano.

A tendência é de subida até dezembro, porque as ações estão sendo feitas. Conforme formos trabalhando as investigações, a inteligência, a integração com a Polícia Militar, a tendência é diminuir. É um número alto, não é o número que desejamos“, afirmou o secretário.

Desde que assumiu o cargo em janeiro, o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel , adotou uma forte retórica de combate ao crime, alinhado com as políticas de segurança do presidente Jair Bolsonaro. Após a morte de um sequestrador de um ônibus com 37 passageiros nesta terça-feira por atiradores de elite da polícia, Witzel foi criticado por exagerar na comemoração do ocorrido.

Desde o início de seu governo, o número de pessoas mortas pela polícia no Rio aumentou significativamente. Nos primeiros cinco meses, 731 pessoas morreram em operações policiais, o que corresponde a um aumento de 19,1% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo estatísticas oficiais.

Por outro lado, os índices de homicídios dolosos – com intenção de matar – para o mês de julho foram os mais baixos desde 2005. No total, segundo o ISP, foram 309 mortes, percentual 25% menor do que o registrado no mesmo mês do ano anterior.

De janeiro a julho foram registradas 2.392 mortes, o menor valor para esse período desde 1991. Em relação ao ano passado, a queda foi de 23%, o que corresponde a 709 mortes a menos em comparação com o mesmo período de 2018. Segundo ISP, morreram 12 policiais em serviço entre janeiro e julho – contra 22 no mesmo período do ano passado. Quatro desses policiais morreram em julho.

No mês passado, os roubos de veículos diminuíram 9% e os assaltos nas ruas tiveram redução de 8%, em comparação a julho de 2018.

// DW

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cidade na Itália proíbe Google Maps porque pessoas 'se perdem' o tempo todo

Serviços de emergência de Baunei já tiveram que resgatar 144 perdidos em dois anos devido ao Google Maps. O prefeito da cidade italiana de Baunei, Salvatore Corrias, proibiu o uso do aplicativo de localização geográfica Google …

Emma Watson lança consultoria jurídica gratuita para mulheres assediadas no local de trabalho

A atriz Emma Watson acaba de lançar uma consultoria jurídica gratuita para mulheres que sofreram assédio no local de trabalho. O serviço está disponível na Inglaterra e no País de Gales. De acordo com o texto …

Polícia do Rio perdeu imagens que poderiam identificar assassinos de Marielle

A Polícia Civil do Rio de Janeiro perdeu imagens do carro dos suspeitos de matar a vereadora Marielle Franco gravadas no dia do homicídio, em 14 de março de 2018. A informação foi publicada neste domingo …

Protestos se espalham pela Catalunha após condenação de separatistas

Manifestantes bloqueiam principal aeroporto de Barcelona, além de ruas e uma via férrea, após nove líderes catalães serem condenados pela tentativa de independência da região. Confrontos com a polícia deixam feridos. A condenação de nove líderes …

Erdogan revela objetivos da operação turca na Síria

Nesta terça-feira (15), o presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse que a operação militar no norte da Síria está progredindo com sucesso, tendo 1.000 km de território ao longo da fronteira sido libertados de terroristas. "Temos …

Cientista da NASA revela possível localização de vida extraterreste em Marte

Alfonso Davila, cientista da NASA, acredita que haja vida em Marte e afirma que a NASA elaborou um plano para realizar uma investigação do subsolo do planeta. O cientista também revela que há diversos desafios na …

Em contexto de tensão na Síria, diplomacia boicota jogo entre França e Turquia

A polícia reforçou suas equipes nos arredores do estádio. Já os responsáveis pela segurança dentro do Stade France passarão dos 1.200 habituais para 1.400 homens. Há temores de que torcedores turcos e militantes pró-curdos se enfrentem …

Enterros verdes: Paris inova e inaugura seu primeiro cemitério sustentável

O cemitério de Ivry-sur-Seine, no subúrbio de Paris, reservou uma área de 1.560 metros quadrados para enterros sustentáveis. A nova ala deverá ajudar a diminuir o impacto gerado pelos enterros tradicionais. A contaminação do solo e …

Microsoft quer levar internet a mais de 40 milhões de pessoas em 2022

A inicativa Airband, desenvolvida pela Microsoft, está sendo expandida com a meta de conectar mais de 40 milhões de pessoas à internet até julho de 2022. Lançado em 2017, o programa visa o aprimoramento da internet …

Abandonados, curdos encontram em inimigo dos EUA um aliado

Regime sírio, um aliado russo, desloca tropas para a fronteira em apoio a milícias curdas, que estão sendo atacadas pela Turquia desde que perderam apoio de Trump. Nova aliança representa reviravolta no conflito. As Forças Armadas …