Saída dos EUA do Acordo de Paris pode gerar aumento de temperatura de 0,3°C

A retirada dos Estados Unidos do Acordo de Paris provocará, no pior dos casos, um aumento adicional de 0,3 graus centígrados no aquecimento global até o final do século em comparação com os níveis pré-industriais, apontou nesta sexta-feira um especialista da Organização Mundial da Meteorologia (OMM).

“Não criamos novos modelos, mas as indicações são que (o impacto no aquecimento global) poderia ter no pior cenário um aumento de 0,3 graus centígrados“, apontou em coletiva de imprensa o diretor do Departamento de Pesquisa Atmosférica e Meio ambiental da OMM, Deon Terblanche.

“Provavelmente não será o que vai ocorrer”, apontou este especialista em clima.

Terblanche explicou que inclusive uma redução nas emissões “não levará a uma diminuição da concentração de gases de efeito estufa na atmosfera, porque isto tem um efeito acumulativo e o CO2 permanece na atmosfera durante centenas de anos“.

“A temperatura seguirá aumentando em qualquer caso, de modo que teríamos 0,3 graus adicionais no aquecimento devido à retirada dos EUA”, indicou.

Com a negativa dos EUA ao principal instrumento mundial de luta contra as mudanças climáticas, que marca como objetivo evitar que o aquecimento global supere 2 graus no final deste século com relação aos níveis pré-industriais, entre novas metas, será preciso pelo menos três anos para entender e quantificar o impacto exato desta ação, disse.

No acordo, adotado por 195 países em Paris em 2015 e que hoje já está em vigor com a ratificação de 147 estados, incluído os EUA, Washington se comprometia a reduzir para 2025 as emissões de gases de efeito estufa entre 26% e 28% com relação aos níveis de 2005.

O porta-voz do Grupo Intergovernamental sobre Mudança Climática da ONU (IPCC), Jonathan Lynn, disse por sua vez que “não se sabe qual será a tendência das emissões americanas como resultado desta decisão e há muitos fatores que influenciarão”.

“É bastante possível que as emissões americanas continuem caindo, o país estando ou não no Acordo, por exemplo. Há muitas incertezas em torno do anúncio de ontem do presidente dos EUA, Donald Trump”, destacou.

“Não está claro neste momento como a retirada dos EUA do Acordo de Paris afetará as emissões”, apontou o IPPC, cujo porta-voz disse que em qualquer caso a evidência científica “é clara” e o clima “está mudando devido à atividade humana”.

“Sem esforços adicionais, além dos que já existem, no final do século XXI haverá riscos muito altos de impactos irreversíveis graves e estendidos”, segundo o porta-voz.

O ICC considera que a ciência é “mais necessária do que nunca para informar aos legisladores e políticos sobre riscos relacionados com o clima e sobre as opções para reduzi-los”.

A porta-voz da OMM, Clare Nullis, disse que a implementação do Acordo de Paris depende de maneira importante das ações dos estados, das cidades, dos municípios, do setor privado e que a mensagem que seus responsáveis enviaram após o anúncio de Trump “é que estão preparados para assumir as rédeas” na luta contra a mudança climática.

O diretor da organização do Departamento para o Clima e a Água, Johannes Cullmann, admitiu que atualmente há quem põe em dúvida a base científica da mudança climática e explicou que a OMM trabalhou durante anos com cientistas americanos proeminentes, mas que agora existe uma oportunidade para comunicar e divulgar os achados de maneira mais entendida para o público.

// EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Senado oficializa criação da CPI da Pandemia

Presidente do Senado diz que foco deve estar nas ações e omissões do governo federal e no repasse de recursos da União para estados e municípios. STF julgará determinação do ministro Barroso que ordenou abertura …

Bernie Madoff, maior golpista da história, morre em prisão norte-americana, diz relato

Bernard Madoff, o ex-financista que realizou a maior fraude de investimento na história dos Estados Unidos, morreu aos 82 anos de idade, de acordo com relatos da mídia. Em 2009, o notório financista recebeu uma sentença …

Salvator Mundi, obra mais cara de Da Vinci avaliada em R$2,6 bi, é vista em iate de príncipe

A obra de arte mais cara do mundo é ‘Salvator Mundi’, atribuída a Leonardo da Vinci. Com valor estimado em mais de 400 milhões de dólares ou superior aos 2,6 bilhões de reais, seu paradeiro …

Variante indiana da Covid-19 se propaga mais rápido e é menos detectada por testes PCR

A Índia enfrenta a pior onda de contaminações da Covid-19 desde o início da pandemia, com mais de 165 mil casos registrados nas últimas 24 horas: duas vezes mais do que no último pico, em …

Tipo sanguíneo não afeta risco de contrair COVID-19, diz novo estudo

Um estudo buscou entender se determinados tipos sanguíneos trazem mais riscos de contrair a COVID-19, e concluiu que não é o caso. Com a pandemia, muito se questiona em relação ao comportamento da COVID-19 em nosso …

Buracos negros são famintos, mas possuem boas maneiras à 'mesa', aponta estudo

Todos os buracos negros supermassivos nos centros das galáxias possuem períodos nos quais devoram a matéria situada de seus arredores. De acordo com um estudo publicado na revista científica Astronomy & Astrophysics, as galáxias ativas têm …

Pnad e Caged: No auge do desemprego, Brasil enfrenta falhas nas estatísticas do mercado de trabalho que confundem e desorientam

Num momento em que o país tem registrado números diários de mortes por covid-19 que ultrapassam 4 mil e diversos Estados e municípios reforçam medidas de distanciamento social, na tentativa de conter a propagação do …

Jovem negro de Minnesota morreu por “disparo acidental”, afirma polícia

Policial teria confundido arma de descarga elétrica com arma de fogo. Incidente em meio a julgamento da morte de George Floyd acirra tensões e agrava protestos. Mineápolis e outras cidades ampliam toque de recolher. A policial …

Bia, assistente de voz do Bradesco, vai responder mensagens de assédio

O Bradesco precisou tomar providências para proteger uma mulher de assédio. No caso, uma mulher que nem existe fisicamente. A mulher que dá voz ao sistema de inteligência artificial do aplicativo, a Bia (sigla para Bradesco …

Covid-19: Médicos pressionam governo francês para aumentar controles de pessoas vindas do Brasil

Especialistas acreditam que medidas do governo francês para frear entrada de variante P1 no país são insuficientes e pressionam para aumento de controles de passageiros provenientes do Brasil nos aeroportos ou pela suspensão dos …