“Todos os serviços públicos no Brasil deveriam ser privatizados”, diz pré-candidato à presidência pelo Novo

Na última pesquisa eleitoral do instituto Datafolha, no começo de abril, o economista João Amoêdo oscila entre 0% e 1% das intenções de voto, dependendo do cenário analisado.

O resultado talvez fosse outro se o levantamento tivesse sido feito somente no Itaim Bibi, bairro nobre de São Paulo onde fica a sede do Novo, o partido fundado por João Amoêdo. A BBC conversou com o pré-candidato à Presidência da República na sexta-feira passada na sede da legenda.

Na rua em frente, a reportagem da BBC viu o engenheiro e economista ser reconhecido por pelo menos uma dupla de passantes, enquanto andava da sede do Novo até um prédio residencial alguns metros adiante.

Amoêdo frisou várias vezes o ponto central de sua plataforma: diminuir a intervenção do Estado na economia (com privatização e menos impostos, por exemplo) para dar mais protagonismo aos cidadãos.

“A privatização, pra gente, não é um fim em si mesmo. É um meio. A gente gostaria de ter melhor qualidade na Saúde, na Educação. E, pra isso, é importante que o Estado defina prioridades, áreas onde deveria estar atuando, defina um foco”, declarou à BBC.

“E não faz sentido, portanto, ele [o Estado] estar fazendo gestão de empresas, estar fazendo gestão de distribuidora de petróleo, empresa de correios, instituições financeiras. No nosso entendimento, a população terá um ganho enorme na gestão desses outros negócios se o Estado sair”

Carioca, católico e pai de três filhas já adultas, Amoêdo não vê nenhuma razão para manter qualquer uma das empresas públicas existentes atualmente (inclusive Petrobras, Caixa Econômica e Banco do Brasil).

O pré-candidato acredita ainda que serviços como Saúde e Educação poderiam ser prestados pela iniciativa privada, com o Estado dando diretamente dinheiro para os menos abastados pagarem essas despesas. Esta última ideia foi formulada por um dos papas do liberalismo contemporâneo, o economista Milton Friedman (1912-2006).

Para Amoêdo e o Novo, porém, a defesa intransigente da liberdade individual termina no bolso: o pré-candidato se esquiva de temas polêmicos como o aborto; e conta que a sigla prefere deixar questões como estas a critério de cada um de seus candidatos.

Apesar de ter trabalhado a vida toda como executivo de bancos, Amoêdo diz que não é um mero representante do setor financeiro e muito menos um banqueiro (dono de banco); na verdade, o setor já está bem representado pelos partidos tradicionais e nunca lucrou tanto quanto nos governos do PT, argumenta Amoêdo.

Ao longo dos últimos oito anos, Amoêdo calcula ter tirado do próprio bolso algo como R$ 4,5 milhões para levantar o partido. Outras doações importantes vieram do banqueiro Pedro Moreira Salles, do Itaú (R$ 100 mil); e de Cecília Sicupira, mulher do investidor Beto Sicupira. Hoje, diz Amoêdo, o Novo é sustentado integralmente por cerca de 19 mil filiados, que contribuem cada um com R$ 29 mensais para a sigla.

Ciberia // BBC

COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. realmente, não há nada de novo, no NOVO.
    só falácia e um tom PSDB, na comunicação.
    idéias que nada tem de inovação ou pé na realidade do sistema político do Brasil.
    conversa fiada.
    quando olho para o João Amôedo vejo João Dória Jr.
    e todo o discurso vazio do neo-liberalismo.

  2. Esse é o comportamento do empresariado brasileiro, gostam só de boquinhas para faturar com benefícios do estado. Vamos privatizar tudo, porém não pode haver concorrência, se não não quero, é o que diz o empresários brasileiros que não gastam um tostão sem garantias do governo, ou de pires na mão pedem para não pagar impostos, pedem renegociação e até perdão de dívidas. Quer saber? O Brasil não fabrica equipamentos médicos complexos, como para ressonancia magnetica, tomografia computadorizada e outros equipamentos, sabem por quê? Tem de colocar dindim na frente em pesquisa e desenvolvimento e quem quer ter trabalho? A Petrobras líder em patentes e em excelência na atividade de petróleo, está sendo fatiada e vendida a preços de bananas, sabe por quê? Dindim fácil, melhor que trabalhar, melhor deixar com empresas multinacionais que até podemos supor pagar umas criptomoedas de comissão. Caso SHELL – Medida Provisória da Shell dá R$ 1 tri a multinacionais do petróleo e elimina 1 milhão de empregos – Associação de indústria de máquinas denunciam que a medida destrói indústria naval brasileira e põe o país “de joelhos” perante empresas como a Shell. Agora todos entendem porque João Amoêdo, do partido NOVO, mas velho de hábitos não republicanos querem?

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Especialista pode ter encontrado a resposta para estátuas egípcias com nariz quebrado

Na arte e na simbologia religiosa do antigo Egito, a representação da figura humana era celebrada como possível receptáculo de nossas almas ou mesmo de um Deus, em estátuas que possuíam profunda função ritualística. Passados alguns …

Estrela massiva desapareceu sem deixar traços

Um objeto espacial integrante da galáxia anã Kinman desapareceu de nossas vistas, de acordo com uma pesquisa publicada na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. Essa estrela excepcionalmente grande foi descrita em 2001 …

Vacina da covid-19 produzida no Brasil será distribuída em dezembro, se aprovada

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) pode começar a distribuir a vacina contra a COVID-19 em dezembro deste ano, caso os testes finais se mostrem efetivos para evitar a propagação da doença. A vacina vem sendo …

Hong Kong: um dia após adoção da lei de segurança nacional, polícia prende 180 manifestantes

Um homem que carregava uma bandeira a favor da independência de Hong Kong se tornou nesta quarta-feira (1°) a primeira pessoa presa com base na nova lei de segurança do território, promulgada na véspera …

Brasil tem 1.280 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas

A contagem das vítimas da epidemia do novo coronavírus no Brasil, divulgada pelo painel do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e pelo Ministério da Saúde, voltou a registrar mais de mil mortes pela …

Google compra startup de óculos inteligentes

Após um fim de semana de boatos, o Google confirmou na terça-feira (30) que é o novo proprietário da North. A startup canadense ficou conhecida por seus óculos de realidade aumentada Focals, que mais parecem …

Cientistas trazem à tona explicação por que chovem diamantes em Netuno

Uma equipe de cientistas teorizou que diamantes podem se formar através de metano em planetas como Netuno e Urano, que possuem temperaturas maiores que as esperadas em seus centros. As profundezas dos planetas mais afastados do …

França se despede de Fessenheim, sua mais antiga central nuclear

Após 43 anos de funcionamento, na noite desta segunda-feira (29) para terça-feira (30), a central nuclear francesa de Fessenheim, localizada no nordeste do país, deixará definitivamente de operar, antes de ser desmontada. Uma vitória para …

Inteligência artificial: robô real está sendo treinado para estrelar filme de ficção científica

Uma robô japonesa chamada Erica foi escalada para ser a protagonista de um filme de ficção científica chamado “b”. Criada por cientistas japoneses, a atriz não humana recebeu aulas de atuação seguindo o clássico método …

Ministro da Educação distorceu experiência acadêmica na Alemanha

O professor Carlos Decotteli mal havia sido anunciado como novo ministro da Educação quando passou a ter suas credenciais acadêmicas contestadas. Primeiro, foi revelado que ele nunca havia completado seu doutorado, ao contrário do que …