Setembro tem recuperação de preços e queda menor de importações

(dr) Pedro Kirilos / Riotur

-

O mês de setembro foi marcado pela recuperação nos preços dos bens exportados e continuidade da queda das importações em um ritmo menor do que o que vinha sendo verificado até junho.

Este último fator é considerado pelo governo um possível indicativo de recuperação da atividade econômica, já que está associado à compra de insumos para produção industrial.

No mês passado aumentaram os preços do açúcar bruto, dos semimanufaturados de ferro e aço, do minério de ferro, da soja em grão, do café em grão e do farelo de soja.

A maior parte desses produtos teve redução da quantidade embarcada e do valor vendido, por questões de mercado ou sazonais.

A exceção foi o açúcar, com crescimento de 90,9% no quantum negociado e alta de 147% no valor exportado.

A recuperação nos preços, contudo, ajudou a evitar perdas mais expressivas. Em 2015, a balança foi fortemente impactada pela redução nos preços das commodities, que são produtos básicos com cotação internacional.

“O que há de novo é aumento dos preços. O efeito da queda dos preços vem se dissipando ao longo do ano.

É um aumento que não ocorria desde novembro de 2014”, destacou Herlon Brandão, diretor do Departamento de Estatística e Apoio à Exportação do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Outros destaques das exportações foram os aviões e automóveis de passageiros. Os primeiros cresceram 31,3% em valor e 59,3% na quantidade vendida em relação a setembro de 2015.

No caso dos automóveis, o valor vendido foi 41,5% maior e quantidade, 43,4%.

O petróleo bruto também teve bom desempenho, com alta de 39,8% no valor e de 41,8% na quantidade exportada pelo Brasil. A conta-petróleo, tradicionalmente deficitária, teve superávit de US$ 340 milhões no mês passado.

“Não é novidade. Ocasionalmente, ocorrem superávits mensais”, ressaltou Herlon Brandão. No acumulado do ano, o déficit da conta-petróleo, de US$ 446 milhões, é bem menor que o resultado negativo de US$ 3,5 bilhões registrado no mesmo período de 2015.

Segundo Brandão, a queda no déficit é associada à queda nas exportações e a um recuo bem maior nas importações.

Importações

Do lado das importações, o governo avalia que prossegue a tendência a uma redução menor, o que pode sinalizar futura reversão do quadro atual. No mês passado, pelo critério da média diária, as importações caíram 9,2% em relação a setembro de 2015. Em agosto, a queda ficou em 8,3%.

“Há uma expectativa. Notamos leve melhora desde junho. Essas taxas têm se reduzido, e é possível que nos próximos meses haja reversão. A tendência, pelos sinais, é a economia voltar a crescer no futuro e isso começa a se refletir nas importações”, afirmou Brandão.

Ele lembrou que, em janeiro deste ano, por exemplo, a queda das importações chegava a 35,8%.

O diretor Departamento de Estatística e Apoio à Exportação disse que o governo continua trabalhando com estimativa de superávit comercial entre US$ 45 bilhões e US$ 50 bilhões para este ano.

Brandão considera factível a projeção, já que, tradicionalmente, nos meses de dezembro há tendência a um superávit maior.

De janeiro a setembro, a balança comercial acumula superávit de US$ 36,2 bilhões, recorde para o período desde o início da série histórica, em 1989. O resultado do ano pode bater o atual recorde, que foi um saldo positivo de US$ 46,4 bilhões em 2006.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

"Vão ter que mudar", diz Greta sobre Bolsonaro e Trump em retorno à Europa

A ativista chegou em Lisboa na tarde desta terça-feira (3), 21 dias depois de sair dos EUA a bordo de um veleiro. A jovem sueca retorna à Europa para participar da COP 25, a conferência …

Museu decide comprar apenas obras de mulheres por um ano por reparação histórica

Para se transformar a velha normalidade repleta de preconceitos, violências e desigualdades embutidas é preciso atitudes efetivas e concretamente transformadoras. Da mesma forma que a dívida histórica racial deve ser reparada não somente no discurso, mas …

Black Friday no Brasil superou a dos EUA nos apps de compras, segundo estudo

Neste ano, a Black Friday fez a sua marca entre as compras dos brasileiros. O próprio Canaltech fez uma cobertura muito especial em torno da Black Friday deste ano.Importada dos EUA, a tradição está mesmo …

Para acalmar a crise, presidente chileno propõe ajuda de R$ 520 para 1 milhão de famílias

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, propôs nesta terça-feira (3) a criação de um bônus de 100.000 pesos chilenos (cerca de R$ 520), que serão distribuídos para 1,3 milhão de famílias. O objetivo da medida, …

Anvisa dá aval à venda de maconha medicinal em farmácias

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta terça-feira (03/12) um novo marco regulatório para o registro e venda de produtos à base de cannabis em farmácias no país, tornando o Brasil a nação …

Visitante interestelar pode 'morrer' ao se aproximar do Sol

Um visitante interestelar, observado em nosso Sistema Solar, pode estar próximo de "morrer", isso porque, o 2I/Borisov provavelmente será desintegrado ao se aproximar do Sol. Os cientistas acompanham cada movimento do cometa, que está se aproximando …

Messi e Rapinoe levam o Bola de Ouro

Argentino bate recorde histórico ao ser eleito pela sexta vez o melhor jogador do mundo pela "France Football". Americana é a segunda mulher a receber a premiação na categoria futebol feminino. O atacante argentino Lionel Messi, …

Chuvas já mataram 12 pessoas em dez dias no sul da França

As fortes chuvas que atingiram no domingo (1) a Riviera Francesa (sul) deixaram seis mortos e sérios danos materiais. Temporais de intensidade semelhante ocorridos na semana passada já tinham matado seis pessoas e deixado um desaparecido. …

Butão: o ‘país mais feliz do mundo’ é eleito o ‘melhor lugar para visitar em 2020’

2019 ainda não acabou, mas nós já estamos planejando e sonhando com as viagens que faremos em 2020. Que tal fugir do roteiro óbvio e conhecer um país pouquíssimo explorado? O tradicional e respeitado guia Lonely …

Trump acusa Brasil de desvalorização "maciça" do real e anuncia retaliação

Presidente dos EUA promete impor tarifas sobre importação de aço e alumínio do Brasil e Argentina, acusando-os de desvalorizarem suas moedas de forma "maciça". Bolsonaro diz que vai falar com Trump. O presidente dos Estados Unidos, …