Suspeitos de COVID-19 podem ter dados compartilhados com a polícia na Inglaterra

 

As informações pessoais de suspeitos de contaminação pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) podem ser utilizadas pela polícia da Inglaterra para garantir que eles não quebrem o isolamento.

De acordo com as informações oficiais, as autoridades poderão ter acesso aos dados de forma individual em casos que envolvam a investigação de crimes ou a própria quebra do isolamento, que é obrigatório para quem for suspeito de contaminação após a realização de testes pelos órgãos de saúde.

A informação foi divulgada neste final de semana em um acordo entre o Departamento de Saúde e Cuidado Social (DHSC, na sigla em inglês) e o Conselho Nacional dos Chefes de Polícia, entidade que regula as autoridades policiais do país.

Por outro lado, autoridades e instituições de saúde do país criticaram a decisão, acreditando que o compartilhamento de informações pessoais de possíveis pacientes podem levar a uma redução no número de testes e a indivíduos ocultando sintomas para que não sejam alvo de vigilância.

Segundo as leis inglesas, os indivíduos suspeitos de contaminação pelo novo coronavírus encaram multas a partir de 1 mil libras (cerca de R$ 7.230) em caso de quebra confirmada no isolamento, com a gravidade da exposição de outros cidadãos ou reincidência podendo elevar o valor a até 10 mil libras, ou mais de R$ 70 mil.

A quarentena vale tanto para indivíduos testados positivos como para familiares e outras pessoas de seu círculo direto, desde que tenham sido notificados a se manterem assim.

A ideia de que as normas não estariam sendo cumpridas, contribuindo para o aumento de casos no país, levou à cooperação entre as autoridades de saúde e a polícia.

De acordo com o memorando divulgado neste final de semana, o compartilhamento de dados não envolve o aplicativo de rastreamento da COVID-19 do país, que anonimiza as informações dos usuários, mas apenas para os testes oficiais realizados pelo Serviço Nacional de Saúde, o equivalente britânico ao nosso Ministério da Saúde.

Associação médica critica ação

Em nota contrária à decisão, a Associação de Medicina da Grã-Bretanha afirmou que o sistema de testes e rastreamento do país precisa da confiança do público para ser eficaz, com a compartilhamento dos dados indo contra essa necessidade.

De acordo com a organização, já era possível sentir uma redução no número de declarações de sintomas e verificações desde que as leis que obrigam o isolamento entraram em vigor, com o envolvimento policial, na visão da organização, apenas piorando as coisas.

A medida teria opositores até mesmo dentro do próprio DHSC, que falando em condição de anonimato à imprensa britânica, afirmaram que o acordo constitui um verdadeiro risco à segurança pública. Além disso, existem preocupações quanto à confiança da população nos próprios sistemas de saúde pública do país, com o público, há meses, mostrando desconfiança na habilidade dos governantes em lidar com a crise do novo coronavírus. A medida, então, seria uma maneira de aumentar ainda mais esse abismo.

Já o Serviço Nacional de Saúde, em comentário oficial sobre o caso, afirmou que os dados são compartilhados apenas em caso de necessidade e com todas as salvaguardas legais, com apenas a obrigatoriedade do isolamento sendo passada às autoridades, sem nenhum outro dado pessoal ou de saúde adicional. Para o governo, se trata de uma maneira de garantir o cumprimento das normas da mesma maneira que já vinha sendo feito antes no país.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …