Trump apoia reforma migratória em duas fases, mas não cede em construir muro

Kevin Lamarque / Reuters

Donald Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, abriu nesta terça-feira (9) as portas para a negociação de uma reforma, dividida em duas fases, que resolva a situação dos 11 milhões de imigrantes ilegais no país. A primeira trata da situação dos chamados “sonhadores” e da destinação de recursos para a construção de um muro na fronteira com o México.

Em reunião com congressistas republicanos e democratas na Casa Branca, que pôde ser acompanhada por jornalistas, Trump defendeu as duas etapas da reforma. A primeira lei traria quatro de suas prioridades de campanha e a segunda, mais ampla, teria como objetivo resolver outros problemas do sistema migratório do país.

A [reforma migratória] integral será a fase dois. Aprovaremos a primeira e depois entraremos com a integral no dia seguinte. Eu assumo a (carga) política, não me importa”, afirmou.

Essa foi a resposta dada pelo presidente a uma pergunta feita pelo senador republicano Lindsey Graham, que pediu que Trump aproveitasse a oportunidade para ir além de solucionar o problema dos milhares de jovens sem documentos no país, o grupo chamado de “sonhadores” (dreamers, em inglês), e concedesse cidadania americana a todos os que vivem ilegalmente no país.

Trump não esclareceu, no entanto, se apoia a ampliação da medida para os 11 milhões de imigrantes ilegais, uma proposta que poderia irritar sua base eleitoral, que aprovou o discurso anti-imigração do presidente na campanha de 2016.

Durante a entrevista coletiva diária, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, evitou esclarecer a postura do presidente, ao afirmar que o tema ainda não está sendo negociado com o Congresso.

Segundo Sarah, na reunião, que teve a presença de cerca de 25 congressistas, foi firmado acordo para negociar uma reforma migratória, o que representa a primeira fase do projeto.

O primeiro projeto de lei focaria em quatro áreas: uma substituição do Programa de Ação Diferida para os Chegados na Infância (Daca) para os sonhadores, medidas de segurança na fronteira, o combate à migração em cadeia, que permite que alguns imigrantes facilitem a entrada de familiares no país e o fim da chamada “loteria de vistos”.

O Daca, encerrado por Trump em setembro, foi implementado por Barack Obama em 2012 e protegia da deportação cerca de 690 mil jovens que chegaram aos EUA ainda crianças. Esse grupo é conhecido como “sonhadores”.

Os vistos que garantiam a permanência de muitos deles no país perderam a validade desde setembro, deixando-os expostos à deportação se o Congresso não aprovar uma solução permanente para substituir o Daca antes de 5 de março, data limite imposta por Trump.

A oposição democrata quer aprovar o mais rápido possível uma lei que proteja os “sonhadores” da deportação e vinculou a discussão do tema às negociações para aprovar o orçamento do governo federal, que devem ser concluídas até 19 de janeiro.

Trump, porém, condicionou qualquer projeto para substituir o Daca a uma série de exigências, entre elas a aprovação de recursos para a construção de um muro na fronteira com o México e o fim da chamada “loteria de vistos”, que anualmente beneficia cidadãos de países com baixa taxa de imigrantes nos EUA.

O presidente reforçou que uma mudança do Daca deve incluir “segurança na fronteira”, que para ele é sinônimo de recursos para a construção do muro com o México. A Casa Branca pediu US$ 18 bilhões para a obra, que duraria cerca de uma década. “Gostaria de não construir o muro, mas precisamos dele”, disse.

A exigência dificulta a negociação, já que o financiamento do muro é inaceitável para os democratas, que deixaram claro que o único objetivo do partido continua sendo a substituição do Daca.

“Os republicanos expuseram suas quatro prioridades, e os democratas mostraram a nossa: o Dream Act, um projeto de lei que regularizaria a situação dos ‘sonhadores'”, disse em comunicado o senador democrata Dick Durbin, que participou do encontro com Trump.

O inédito acesso que a imprensa teve à negociação entre Trump e os congressistas faz parte, segundo vários veículos, de uma estratégia da Casa Branca para pôr fim às especulações sobre a estabilidade mental do presidente.

Ciberia // EFE

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Fábrica russa eliminará deficiências na produção da Sputnik V de acordo com recomendações da OMS

Em resultado de inspeções efetuadas na Rússia, o grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde fez várias observações sobre a fabricação da vacina Sputnik V. Estas são ligadas principalmente à proteção do meio ambiente …

Brasil ultrapassa Índia e volta a ser líder mundial em mortes diárias por coronavírus

Em meio ao avanço da terceira onda da pandemia, o Brasil ultrapassou a Índia e voltou à liderança do número de mortes diárias por covid-19 registradas, em média. São mais de 2.000 óbitos registrados por …

Rajadas rápidas de rádio ajudarão a mapear distribuição de matéria no universo

O novo levantamento dos dados coletados pelo radiotelescópio CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment) resultou em mais de 500 rajadas rápidas de rádio devidamente catalogadas, todas feitas durante o primeiro ano de atuação do telescópio. Agora, …

Lider da UE chama lei húngara anti-LGBT de vergonha

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, afirma que vai usar poderes de que dispõe para garantir direitos de todos os cidadãos do bloco. Países pediram à UE que agisse. A presidente da Comissão Europeia, …

Apesar de ter vacinado mais da metade da população, Israel teme 2ª onda de Covid

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, alertou nesta terça-feira que o país pode enfrentar uma nova onda de coronavírus. Segundo ele, o aumento do número de doentes, causado pela chegada da variante Delta, “importada” por …

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …