Vendas de marca da filha de Donald Trump disparam após eleição do pai

Ivanka Trump tem motivos para sorrir. Não apenas é vista como uma assessora influente de seu pai, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como também está vendo florescer a sua marca de moda.

Há poucas semanas, a marca ganhou grande destaque na imprensa global após um tuíte de seu pai reclamando de uma rede de lojas que tinha desistido de vender seus produtos alegando pouca procura.

Sem mencionar cifras, Abigail Klem, coordenadora da marca, comentou recentemente à revista de moda Refinery29 que “as últimas semanas foram as melhores” da história da empresa.

E os números confirmaram sua declaração. A rede online de roupas Lyst informou que as vendas dos produtos Ivanka Trump aumentaram 346% em fevereiro na comparação com janeiro e 557% na comparação com a média do ano passado.

A porta-voz da Lyst nos Estados Unidos, Sarah Tanner disse que “ver um aumento desses em um mês é completamente inédito e nos pegou de surpresa”.

Outras lojas também apontam tendências semelhantes. Na Amazon, as vendas em fevereiro subiram 332% comparados ao mesmo período do ano anterior. Na rede de lojas de departamentos Macy’s, o acréscimo foi de 148%.

Klem acredita que as polêmicas ligadas ao presidente acabaram ajudando a empresa. As campanhas de boicote de grupos de oposição e as acusações de falta de ética feitas a funcionários da Casa Branca por terem promovido a marca não impediram seu sucesso.

Trajetória

Brenna Cammeron, correspondente da BBC News em Nova York, diz que Ivanka Trump, de 35 anos, está acostumada a estar no centro das atenções do público.

“Durante a adolescência, trabalhou como modelo; adulta, tornou-se uma bem-sucedida empresária cujo império abarca moda, mídia e autoajuda. Atribuem a ela um valor líquido de US$ 150 milhões“, acrescenta.

Além de vender roupas, sapatos, joias, bolsa e perfumes de sua marca, Ivanka escreveu livros de autoajuda e participou do programa O Aprendiz, apresentado por seu pai.

Com a chegada de Trump à Presidência, Ivanka e seu marido, Jared Kushner, se tornaram protagonistas nos bastidores políticos de Washington – o mesmo mundo que Donald Trump prometeu “drenar” como se fosse um pântano.

Kushner é visto como um poderoso assessor para temas de relações internacionais.

Ivanka é apresentada como um fator “moderador” no círculo de Trump, com voz em temas como política social – ela teria, por exemplo, levado-o a apoiar reformas que ajudassem mulheres trabalhadoras no país.

E, de certa forma, a filha do presidente vem cumprindo o papel que às vezes é atribuído às primeiras-damas, como participar de reuniões sociais com autoridades estrangeiras.

Ou seja, ela está mais perto do presidente do que qualquer outra pessoa. E ninguém duvida de sua influência política.

Mas muitos acreditavam que isto colocaria em xeque sua veia comercial.

O negócio

Ivanka se mudou para Washington no início do mandato do pai, deixando de lado a condução de seus negócios em Nova York.

Pouco depois de Trump assumir a Presidência, várias empresas de roupas, como a rede de lojas Nordstrom, anunciaram que retirariam de seus mostradores os produtos de Ivanka, argumentando baixas vendas.

Mas muitos ligavam a decisão dessas lojas a polêmicas ligadas à figura de Trump, o pai.

Após a decisão da Nordstrom, há cerca de dois meses, Trump reclamou no Twitter: “Minha filha Ivanka está sendo tratada tão injustamente pela @Nordstrom. Ela é uma ótima pessoa – sempre me levando para o lado certo! Terrível!”.

Logo em seguida, a assessora da Presidência, Kellyanne Conway, fez coro à declaração de Trump. Durante uma entrevista à rede de TV americana Fox News, Conway comentou que usava peças da marca e recomendou que telespectadores as comprassem.

Diversas organizações disseram ser inapropriada a intervenção de Conway em favor dos negócios da filha do presidente – e que seria pouco ético o presidente do país reclamar publicamente de uma empresa por ter desistido de vender roupas de sua filha.

Mas parece que toda essa discussão acabou funcionando como uma publicidade de peso.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …

Em último vídeo do mandato, Merkel pede que população se vacine

A chanceler alemã Angela Merkel, que deixará o poder na próxima quarta-feira (8), voltou a defender neste sábado (4) a vacinação contra a Covid-19, no último de uma série de mais de 600 vídeos …

Descobrem na China ferramenta de marfim de 99 mil anos, possivelmente a mais antiga do país

Pesquisadores desenterraram uma pá de marfim datada de há cerca de 99.000 anos em um sítio arqueológico do Paleolítico na província chinesa de Shandong. Acredita-se que o objeto seja uma das primeiras ferramentas de osso utilizadas …