Brasileiros criam curativo à base de abacaxi que facilita cicatrização

A associação de uma proteína do abacaxi com celulose produzida por bactérias resultou em um curativo eficiente como anti-inflamatório cicatrizante de ferimentos, ulcerações e queimaduras, segundo trabalho de pesquisadores das universidades de Sorocaba (Uniso) e Unicamp, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Ele produziram um composto na forma de gel ou emplastro que tem como base a proteína do abacaxi, chamada de bromelina, e a celulose bacteriana – dois elementos que já vinham sendo estudados há tempos para aplicações nas áreas médica, farmacêutica e cosmética.

A bromelina tem a propriedade de quebrar moléculas de outras proteínas – o chamado debridamento celular – e, por isso, é usada até para amaciar carne.

“Essa mesma característica faz com ela remova as células mortas na ferida, limpando-a e acelerando sua cicatrização”, explica Janaína Artem Ataide, da Unicamp, autora principal do artigo publicado nos Scientific Reports em dezembro do ano passado, que mostra os resultados do trabalho conjunto.

A celulose é o biopolímero mais abundante da natureza, produzido principalmente por plantas. Mas também há alguns micro-organismos, como a bactéria Gluconacetobacter xylinus, capazes de sintetizá-la.

“Essa bactéria é uma biofábrica”, explica a pesquisadora Angela Faustino Jozala, do Laboratório de Microbiologia Industrial e Processos Fermentativos da Uniso, outra autora do artigo.

(dv)

“Ela produz a celulose como se tricotasse polímeros de glicose (açúcar). Como o produto é tecido em nanoestruturas (um nanômetro equivale a um milionésimo de milímetro ou um bilionésimo de metro) o chamamos de nanocelulose.”

Em termos mais técnicos, Jozala explica que a “celulose bacteriana é um polímero linear de glicose, altamente cristalino, sintetizado extracelularmente pela bactéria Gluconacetobacter xylinus na forma de nanofibras. Como ela é produzida livre de outros polímeros (como hemicelulose e lignina), pode ser considerada um material biocompatível”.

Por isso já vem sendo utilizada em diversas aplicações médicas, como, por exemplo, em enxertos e substitutos temporários de pele ou curativos no tratamento de lesões.

Unir esforços

As duas equipes conheciam o trabalho uma da outra e resolveram unir esforços para produzir o novo curativo. “Como a nanocelulose bacteriana já vem sendo aplicada como produto cicatrizante, nós tivemos a ideia de associar a ela uma proteína com propriedades anti-inflamatória e antimicrobiana”, conta Jozala.

“Escolhemos a bromelina porque já conhecíamos suas características e porque a indústria de alimentos, quando produz a polpa de abacaxi, joga a casca e o talo da fruta fora. É fonte barata de obtê-la. Aproveitamos que a equipe da Unicamp já a vinha extraindo desses resíduos para trabalhar em conjunto.”

A pesquisadora Priscila Gava Mazzola, da Unicamp, orientadora de Ataide e outra autora do artigo, diz que a extração da bromelina de resíduos de abacaxi diminui o impacto ambiental da industrialização da fruta e gera um produto de alto valor agregado. Além disso, ela destaca outro pontos importantes do trabalho.

“As biomembranas de nanocelulose são promissoras na entrega de princípios ativos“, diz. “Suas características interessantes para o desenvolvimento de um produto farmacêutico ou cosmético foram alinhadas com as da bromelina. O curativo final tem potencial uso para auxiliar os processos de cicatrização.”

Ataide, por sua vez, conta que há alguns anos a bromelina tem sido objeto de pesquisa na Unicamp. “Passamos da extração dessa biomolécula a partir de resíduos do abacaxi para o estudo de sua aplicação em produtos farmacêuticos e cosméticos para via tópica”, explica.

“Nesse cenário, surgiu a ideia de inseri-la na nanocelulose bacteriana, que se mostrou como o sistema mais promissor para sua veiculação. Hoje, temos pesquisado o aumento da estabilidade da proteína com o uso de nanopartículas de quitosana (substância encontrada no exoesqueleto de crustáceos, que tem propriedades cicatrizantes).”

Os primeiros testes em laboratório foram feitos para verificar se a bromelina criava de fato uma barreira antimicrobiana. “Ferimentos não cuidados são uma porta aberta para micro-organismos, o que pode levar a infecções graves”, diz Jozala.

“Por isso, necessitam de um bom curativo, que ajude na cicatrização e evite contaminação. Além disso, deve ser capaz ainda de propiciar atividade antioxidante, para diminuir o processo inflamatório de células mortas e pus.”

A proteína do abacaxi se mostrou capaz de preencher esses requisitos.

(dv)

Fase de testes

Para realizar os testes, as membranas de nanocelulose bacteriana foram mergulhadas por 24 horas em uma solução de bromelina. Os pesquisadores observaram que, 30 minutos após ela ser incorporada à celulose, houve maior liberação e aumento de nove vezes na atividade antimicrobiana da membrana.

“Ou seja, foi criada uma barreira seletiva, que potencializou a atividade proteica e outras ações importantes para a cicatrização, como o aumento de antioxidantes e da vascularização”, conta Jozala.

De acordo com ela, o novo curativo já passou da primeira fase de desenvolvimento de um medicamento, que é feito em laboratório, para verificar se tem o efeito desejado e não é tóxico.

Agora, virá a fase dois, que são os testes com animais. Os trabalhos estão sendo feitos no novo laboratório da Uniso. Além do curativo, as novas instalações servirão para testes, produção e purificação de biomoléculas de interesse em diversos segmentos industriais (biotecnológico, ambiental, alimentício, farmacêutico).

Ciberia // BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Trump anuncia sanções contra Banco Nacional do Irã

O presidente norte-americano, Donald Trump, declarou nesta sexta-feira (20) que os EUA estão introduzindo sanções ao banco nacional do Irã. O anúncio foi feito durante coletiva de imprensa na Casa Branca. O presidente dos EUA não …

Jovem convidado à cúpula do clima da ONU foi bloqueado por ministro Ricardo Salles

João Henrique Alces Cerqueira, estudante de engenharia ambiental e militante ecologista de 27 anos, é um dos 100 jovens “campeões do clima” que receberam o chamado “tíquete verde” da ONU, um convite para viajar a …

Área 51: começam os preparativos para invadir a base

Cidadãos de diferentes partes dos Estados Unidos iniciam preparativos para suposta invasão da Área 51 para libertar alegados seres alienígenas. Hoje é dia 20, dia de invadir a base americana Área 51. É exatamente com esta …

Pesticidas teriam causado "síndrome de Havana"

Estudos clínicos sugerem que sintomas misteriosos que afetaram diplomatas americanos e canadenses em Cuba podem ter sido provocados por agentes neurotóxicos usados em pesticidas para combater mosquito da dengue. Os sintomas misteriosos que afetaram nos últimos …

Marielle, Raoni, Claudelice, Jean Wyllys: brasileiros concorrem ao Prêmio Sakharov 2019

A ex-vereadora do PSOL Marielle Franco, assassinada em março do ano passado no Rio de Janeiro, o líder Caiapó Raoni, o ex-deputado federal Jean Wyllys (PSOL) e a defensora da Amazônia Claudelice Silva dos Santos …

Protestos pelo mundo pedem ações contra mudanças climáticas

Manifestações iniciadas pelo movimento Greve pelo Futuro ocorrem em mais de 150 países, inclusive no Brasil. Na Austrália, 300 mil pessoas saíram às ruas. Greta Thunberg lidera manifestações em Nova York. Manifestações pedindo ações políticas concretas …

Tiroteio deixa morto e vários feridos em Washington

Uma pessoa morreu e várias outras ficaram feridas em um tiroteio ocorrido na noite desta quinta-feira nas ruas de Washington, D.C., conforme relatou a imprensa local. Até o momento, são poucas as informações disponíveis sobre o …

Nada de ETs: escurecimento da estrela mais estranha da galáxia poderia ter outra explicação

Astrofísicos teriam desvendado misterioso escurecimento da estrela de Tabby após levantarem hipótese de ação alienígena e de cometas. Trata-se da estrela mais estranha da Via Láctea. Desde o fim do século XIX, a estrela de Tabby …

Ex-ditador da Tunísia Ben Ali morre aos 83 anos na Arábia Saudita

O ex-presidente da Tunísia Zine Ben Ali, 83 anos, morreu nesta quinta-feira. Ben Ali sofria de câncer e estava hospitalizado há uma semana, informou seu advogado Mounir Ben Salha. O ex-ditador tunisiano vivia exilado em Jeddah …

A luta pela vida de bebê com doença rara que recebeu doações de quase 1 em cada 10 belgas

Quase um em cada dez belgas colaborou com a campanha de um casal para arrecadar 1,9 milhão de euros (cerca de R$ 8,6 milhões) e salvar a vida de seu bebê. Pia, de nove meses, tem …