Pela primeira vez, Arábia Saudita autoriza as mulheres a dirigir

Nesta terça-feira (26), o reino da Arábia Saudita anunciou que, a partir de junho de 2018, as mulheres serão autorizadas a dirigir no único país do mundo que impede as mulheres de conduzirem.

O rei saudita, Salman, emitiu um decreto que alegrará muitos ativistas pelos direitos humanos no país, no qual permite que as mulheres dirijam pela primeira vez. A Arábia Saudita era, até hoje, o único país que proibia as mulheres de conduzir, avança a BBC.

Na Arábia Saudita, só os homens tinham autorização para dirigir e as mulheres que fossem flagradas em público como motoristas arriscavam prisão e/ou uma multa.

A comunidade internacional já reagiu à iniciativa, com o presidente dos Estados unidos, Donald Trump, salientando o “avanço positivo” que promoverá os direitos das mulheres, e António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas, afirmando um “passo na direção certa” para os sauditas.

Mas as reações não se fizeram sentir apenas fora do país. Sahar Nassif, empresária, mostrou-se radiante com a decisão. “Estou muito, muito animada. Vou, finalmente, comprar o carro dos meu sonhos: um Mustang conversível! E vai ser preto e amarelo”, afirmou.

Manal al Sharif, uma das organizadoras da campanha “Women2Drive” disse acreditar que a Arábia Saudita “nunca mais será a mesma”.

O embaixador para os Estados Unidos, Khaled bin Salman, confirmou que as mulheres não precisariam de permissão masculina para ter aulas de condução e poderiam, depois disso, dirigir para onde quisessem. O príncipe falou em um “dia histórico” e numa “decisão certa na altura certa”.

Ativistas no reino da Arábia Saudita têm lutado, durante anos, pela permissão das mulheres dirigirem. Algumas mulheres chegaram a ser presas por defenderem essa liberdade e por causa dessa proibição, várias famílias tiveram que empregar motoristas privados.

Agora, os próximos passos do país são preparar o sistema para ensinar mulheres a conduzir e adaptar as forças policiais para interagir com mulheres em uma sociedade onde homens e mulheres não podem demonstrar afeto ou contato direto.

O New York Times cita alguns oficiais e clérigos que apontam várias razões para a proibição de mulheres ao volante e que podem espelhar a mentalidade da sociedade em questão. Alguns dos testemunhos acreditam que é inapropriado uma mulher dirigir, ou que os homens não saberiam reagir ao ver uma mulher por perto.

Alguns dos clérigos acreditam que este é o primeiro passo para a promiscuidade e o colapso da cultura saudita e há até um clérigo que acredita que dirigir poderia ferir os ovários das mulheres.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Dinossauros foram extintos por impacto de asteroide, defende pesquisa científica

O mistério que levou ao fim da era dos dinossauros motiva pesquisadores do mundo inteiro a debater o que teria provocado essa extinção. Um novo estudo busca descartar a teoria de que a atividade vulcânica …

Microsoft assume compromisso de ser uma empresa carbono negativo até 2030

A Microsoft fez uma transmissão ao vivo para contar ao mundo o seu engajamento com o meio ambiente, a fim de trazer um futuro mais sustentável. Em apresentação conduzida por Satya Nadella (CEO), Amy Hood (CFO) …

Marine Le Pen se lança em pré-campanha presidencial

A líder da extrema direita francesa, Marine Le Pen, anunciou nesta quinta-feira (16) o lançamento de sua campanha “pré-presidencial”. O pleito acontece apenas em 2022, mas a candidata derrotada no segundo turno em 2017, que enfrenta …

Bolsonaro é autor de mais da metade dos ataques a jornalistas em 2019

Em todo o ano foram registrados 208 casos de ataques a veículos de comunicação e jornalistas, um aumento de 54%. Presidente foi responsável por 121 deles, afirma a entidade. O presidente Jair Bolsonaro, sozinho, é responsável …

Qual a idade em que somos mais infelizes, segundo a ciência

A chamada crise dos 40 deixou de ser um mito, pelo menos de acordo com uma ampla pesquisa realizada em 134 países pelo economista David Blanchflower, professor da universidade Dartmouth College, nos EUA, e ex-membro …

Trump fecha acordo e sinaliza fim da "guerra fiscal" com a China

Na última quarta-feira, os Estados Unidos e a China firmaram um acordo que pode ser o primeiro passo para o fim da chamada “guerra comercial” entre as potências. O pacto, que foi anunciado em dezembro do …

YouTube vincula anúncios em vídeos controversos sobre mudanças climáticas

Uma notícia deixou algumas empresas anunciantes do YouTube surpresas. Segundo estudo feito pela Avaaz, a plataforma de vídeos da Google tem vinculado anúncios de grandes companhias em vídeos que têm como propósito desinformar as pessoas …

Premiê renuncia após Putin propor reformas constitucionais

Líder russo propõe pacote de mudanças com as quais, segundo críticos, poderia permanecer no poder após fim do mandato. Premiê Medvedev renuncia com todo o gabinete para "abrir espaço" às reformas. O presidente da Rússia, Vladimir …

Musculação: detonando o grande mito da nutrição para ganhar massa muscular

Dietas com alto teor de carboidratos costumam ser recomendadas como parte de protocolos de exercícios para melhorar a recuperação e aumentar o desempenho. No entanto, pesquisas recentes tem mostrado que os carboidratos talvez não ajudem …

Austrália: aviões jogam alimentos para animais sobreviventes dos incêndios

Os incêndios que ardem por toda a Austrália desde setembro do ano passado vem atingindo e ameaçando a vida dos animais locais não só diretamente – mais de 500 milhões de animais já morreram por …