Busto de Tutancâmon é leiloado por US$ 6 milhões em Londres, apesar de protestos do Cairo

Um busto de 3 mil anos, que representa o jovem faraó egípcio Tutancâmon, foi leiloado nesta quinta-feira (4) em Londres por US$ 6 milhões. A venda foi marcada por protestos da parte do Cairo, que pede a devolução da relíquia.

A casa de leilões Christie’s não forneceu nenhuma informação sobre o comprador do busto de Tutancâmon. Mas antes mesmo da última batida de martelo, os protestos começaram.

A embaixada do Egito no Reino Unido lamentou a venda do busto, “sem garantir (a obtenção) de documentos” necessários. Os ministérios egípcios das Relações Exteriores e das Antiguidades também lamentaram em um comunicado que a Christie’s tenha organizado uma venda de objetos, apesar das “legítimas reclamações egípcias das últimas semanas”, relativas, entre outras coisas, à obtenção de certificados de aquisição das obras.

Dezenas de manifestantes se reuniram diante da sala de leilões em Londres carregando cartazes nos quais diziam que “a história do Egito não está à venda”. Há anos o Cairo reivindica a restituição de obras de arte descobertas e levadas para o Ocidente por arqueólogos e aventureiros, e o busto faz parte dessas peças.

Menino faraó

Coroado por volta do ano 1333 a.C., Tutancâmon é o faraó egípcio mais famoso da História devido à incrível descoberta de sua tumba, intacta, no Vale dos Reis em 1922 pelo arqueólogo britânico Howard Carter e seu rico mecenas Lord Carnarvon. Filho do faraó Akhenaton, marido da lendária rainha Nefertiti, o “menino faraó” chegou ao poder aos nove anos de idade e morreu dez anos depois de malária combinada com uma doença óssea.

O busto em litígio, constituído por uma cabeça em quartzito, de 28,5 centímetros de altura, faz parte da Coleção Resandro, uma das coleções privadas mais renomadas do mundo, e foi exposto em várias ocasiões nos últimos anos, ressalta a Christie’s.

A escultura foi comprada em 1985 de Heinz Herzer, um vendedor com sede em Munique. Anteriormente estava nas mãos de Joseph Messina, um austríaco, que a havia adquirido por volta de 1973-1974 do príncipe Wilhelm von Thurn und Taxis, que a teria tido em seu poder desde os anos 1960.

Proprietários teriam fornecido informações falsas

Mas o arqueólogo egípcio e ex-ministro das Antiguidades Zahi Hawass considera que a obra saiu de seu país nos anos 1970 “porque nessa época outros objetos antigos da mesma natureza foram roubados do Templo de Karnak”, em Luxor.

“A Christie’s não sabe nos dizer quando foi roubado” e “os proprietários forneceram informações falsas”, afirmou, depois que o executivo do Cairo pediu, em junho, que a casa de leilões cancelasse a venda desta peça e de outros objetos do antigo Egito.

A polêmica se enquadra em um debate de longa data sobre o retorno das obras de arte a seus países de origem, como ilustrado na questão dos frisos do Partenon conservados no Museu Britânico de Londres e reivindicados por Atenas durante décadas.

O Chile também negocia há meses com este museu para recuperar, talvez como empréstimo a longo prazo, o moai Hoa Hakananai’a, o de maior valor espiritual para a Ilha de Páscoa, situada no Pacífico sul.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Sobreviventes retornam a Auschwitz nos 75 anos da libertação

Autoridades de 50 países participam da solenidade no antigo campo de concentração na Polônia, em meio a temores pelo aumento do antissemitismo. "Precisamos tomar cuidado para que não volte a acontecer", diz sobrevivente. Mais de 200 …

Por que cientistas querem tanto provar que Einstein e Galileu estavam errados

Ano entra, ano sai, e tanto a lei dos corpos em queda de Galileu Galilei quanto a teoria da relatividade de Albert Einstein são testadas novamente apenas para os pesquisadores confirmarem pela enésima vez que …

Morreu Kobe Bryant, um dos maiores astros da NBA

Neste domingo (26), o astro do basquete norte-americano, Kobe Bryant, faleceu em acidente de helicóptero, na cidade de Los Angeles, nos EUA. Autoridades e testemunhas levantam as primeiras hipóteses sobre a causa da queda. O lendário …

Coronavírus terá impacto no PIB chinês e na economia global

A nova epidemia de coronavírus é um balde de água fria na cabeça do mundo. A começar pelos chineses. Em 2003, o último vírus mortal se propagando pelo mundo inteiro – o SARS – …

Abelhas adoram cannabis e este caso de amor pode ajudar a salvar a espécie

Consideradas os seres vivos mais importantes do planeta, as abelhas são animais insubstituíveis, dos quais dependemos para viver. No entanto, nas últimas décadas, devido ao aquecimento global e o uso execessivo de pesticidas, elas estão …

Cientistas finalmente descobriram como capturar o espectro todo da luz solar para gerar hidrogênio

Pela primeira vez, cientistas da Universidade Estadual de Ohio (EUA) desenvolveram uma molécula que é capaz de coletar a energia de todo o espectro da luz solar. O processo, 50% mais eficiente que as atuais …

Você agora pode ouvir a voz de uma múmia de 3 mil anos

Com uso de tomografia computadorizada, impressão 3D e laringe eletrônica, pesquisadores do Reino Unido reconstruíram o trato vocal de uma múmia egípcia. Para a realização do projeto que teve início em 2013, foi preciso combinar medicina, …

Krakatoa, o inferno de Java: a erupção há 137 anos que foi sentida no planeta inteiro

Em 1883, o mundo presenciou um evento natural tão bombástico e violento que pôde ser notado de alguma forma por praticamente todos os habitantes do planeta. A erupção do vulcão Krakatoa, na Indonésia, lançou detritos a …

Educação e confiança fazem da Dinamarca país menos corrupto do mundo

Imagine poder almoçar tranquilamente num restaurante ou fazer compras enquanto deixa o seu bebê no carrinho, estacionado do lado de fora na calçada. Essa cena, que faz parte do cotidiano dos dinamarqueses, só é …

Brasil adianta ponteiros do Relógio do Juízo Final

O Relógio do Juízo Final teve seus ponteiros ajustados nesta quinta-feira (23/01) para a marca de apenas 100 segundos para a meia-noite, simbolizando o maior perigo para a humanidade registrado desde criação do dispositivo em …