Busto de Tutancâmon é leiloado por US$ 6 milhões em Londres, apesar de protestos do Cairo

Um busto de 3 mil anos, que representa o jovem faraó egípcio Tutancâmon, foi leiloado nesta quinta-feira (4) em Londres por US$ 6 milhões. A venda foi marcada por protestos da parte do Cairo, que pede a devolução da relíquia.

A casa de leilões Christie’s não forneceu nenhuma informação sobre o comprador do busto de Tutancâmon. Mas antes mesmo da última batida de martelo, os protestos começaram.

A embaixada do Egito no Reino Unido lamentou a venda do busto, “sem garantir (a obtenção) de documentos” necessários. Os ministérios egípcios das Relações Exteriores e das Antiguidades também lamentaram em um comunicado que a Christie’s tenha organizado uma venda de objetos, apesar das “legítimas reclamações egípcias das últimas semanas”, relativas, entre outras coisas, à obtenção de certificados de aquisição das obras.

Dezenas de manifestantes se reuniram diante da sala de leilões em Londres carregando cartazes nos quais diziam que “a história do Egito não está à venda”. Há anos o Cairo reivindica a restituição de obras de arte descobertas e levadas para o Ocidente por arqueólogos e aventureiros, e o busto faz parte dessas peças.

Menino faraó

Coroado por volta do ano 1333 a.C., Tutancâmon é o faraó egípcio mais famoso da História devido à incrível descoberta de sua tumba, intacta, no Vale dos Reis em 1922 pelo arqueólogo britânico Howard Carter e seu rico mecenas Lord Carnarvon. Filho do faraó Akhenaton, marido da lendária rainha Nefertiti, o “menino faraó” chegou ao poder aos nove anos de idade e morreu dez anos depois de malária combinada com uma doença óssea.

O busto em litígio, constituído por uma cabeça em quartzito, de 28,5 centímetros de altura, faz parte da Coleção Resandro, uma das coleções privadas mais renomadas do mundo, e foi exposto em várias ocasiões nos últimos anos, ressalta a Christie’s.

A escultura foi comprada em 1985 de Heinz Herzer, um vendedor com sede em Munique. Anteriormente estava nas mãos de Joseph Messina, um austríaco, que a havia adquirido por volta de 1973-1974 do príncipe Wilhelm von Thurn und Taxis, que a teria tido em seu poder desde os anos 1960.

Proprietários teriam fornecido informações falsas

Mas o arqueólogo egípcio e ex-ministro das Antiguidades Zahi Hawass considera que a obra saiu de seu país nos anos 1970 “porque nessa época outros objetos antigos da mesma natureza foram roubados do Templo de Karnak”, em Luxor.

“A Christie’s não sabe nos dizer quando foi roubado” e “os proprietários forneceram informações falsas”, afirmou, depois que o executivo do Cairo pediu, em junho, que a casa de leilões cancelasse a venda desta peça e de outros objetos do antigo Egito.

A polêmica se enquadra em um debate de longa data sobre o retorno das obras de arte a seus países de origem, como ilustrado na questão dos frisos do Partenon conservados no Museu Britânico de Londres e reivindicados por Atenas durante décadas.

O Chile também negocia há meses com este museu para recuperar, talvez como empréstimo a longo prazo, o moai Hoa Hakananai’a, o de maior valor espiritual para a Ilha de Páscoa, situada no Pacífico sul.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Investigação revela terras protegidas da Amazônia à venda no Facebook

Pessoas que invadem e desmatam ilegalmente trechos da Floresta Amazônica estão anunciando as áreas no Facebook em busca de compradores. Uma investigação da BBC encontrou na plataforma dezenas de anúncios em que vendedores negociam pedaços da …

Primeiro ataque militar da era Biden mata pelo menos 17 no leste da Síria

Os Estados Unidos atacaram, nesta quinta-feira (25), infraestruturas utilizadas pelas milícias pro-iranianas no nordeste da Síria, deixando 17 mortos. Esta é a primeira operação militar organizada pelo governo de Joe Biden. A ação é …

Tiranossauros jovens impediram o desenvolvimento de espécies menores, diz estudo

A pesquisa demonstrou que grandes dinossauros, como o T-rex, que cresceram de um pequeno tamanho até se tornarem criaturas enormes, modificaram seus ecossistemas ao competirem com espécies rivais menores. Um estudo publicado nesta sexta-feira (26), no …

UE quer passaporte para vacinados até meio do ano

A União Europeia quer estabelecer um sistema de passaportes para vacinados contra covid-19 ainda antes de suas férias de verão, no meio do ano. O setor turístico é fundamental para várias economias do bloco, sobretudo …

Facebook encerra contas do exército birmanês devido ao recurso à violência

A rede Facebook anunciou hoje em comunicado ter encerrado as contas vinculadas à junta militar birmanesa devido ao uso da "violência mortífera" contra os manifestantes que têm protestado contra o golpe militar perpetrado no …

Malcolm X: carta indica plano do FBI e polícia de NY para assassinar líder negro

Morto em 1965, aos 39 anos, em Nova York, o ativista negro norte-americano Malcolm X não teve, até hoje, o assassinato totalmente esclarecido. Contudo, o surgimento recente de uma carta aponta para uma possível conspiração entre …

NVIDIA e Stefanini anunciam que desenvolverão Inteligência Artificial no Brasil

A Nvidia Enterprise e a Woopi, empresa do Grupo Stefanini focada em Inteligência Artificial (IA) anunciaram nesta quarta-feira (24) uma parceria para desenvolver soluções de IA e processamento de linguagem natural. E o primeiro projeto …

250 mil mortos por covid no Brasil: o que significa esse número

O Brasil acumula um quarto de milhão de mortes por covid-19, às vésperas de se completar um ano desde o primeiro caso de coronavírus ter sido identificado no país. Segundo as contas do consórcio de imprensa …

Na diplomacia das vacinas, Israel troca imunizante por reconhecimento de Jerusalém como capital

No combate à Covid-19, Israel é exemplo mundial. A metade da população do Estado hebreu já recebeu pelo menos uma dose da vacina contra o coronavírus e um terço está completamente imunizada, com as …

"Subestimar Rússia de Putin é sempre um erro", diz indicado de Biden para chefiar CIA

Nesta quarta-feira (24), William Burns, o indicado do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para o cargo de diretor da CIA, disse que subestimar a Rússia é sempre um erro e acusou a China de …