Campus Party: reciclagem de lixo eletrônico dá origem a projetos sociais

A cada dia surgem novos modelos de computadores, smartphones, câmeras digitais e outros diversos produtos eletrônicos. A velocidade dos lançamentos e atualizações faz com que esses equipamentos se tornem obsoletos rapidamente, e assim cresce a demanda por uma destinação correta para o lixo eletrônico. Projetos que atuam na reutilização desses objetos foram apresentados na Campus Party em Brasília, que se encerrou no último fim de semana.

O descarte correto é importante para a preservação do meio ambiente e pode ser combustível para iniciativas que beneficiam comunidades inteiras, como o projeto do Instituto Caxinguelê, do município de Janaúba, localizado no norte de Minas Gerais.

Há um ano e meio, a startup social recebe doação de material eletrônico, que, após uma triagem, é encaminhado para a reciclagem, feita por meio de atividades educativas livres, destinadas a qualquer pessoa interessada na cidade de 70 mil habitantes.

Segundo o criador do instituto, Diêgo Geovani, o projeto trabalha com diversas áreas do conhecimento. “Ensinamos a programar jogos, robótica, fazemos pesquisas, montamos computadores com partes de vários outros”, conta.

O objetivo principal da startup é promover a chamada metarreciclagem: além de reciclar, dividir conhecimento. “Tudo no Instituto é de livre acesso a toda comunidade. Nós damos preferência para hardwares e softwares livres, para que tudo possa ser compartilhado”, afirma Diêgo Geovani.

A meta do instituto agora é conseguir expandir a ideia. “A gente precisa de conexão com pessoas que gostem de alguma forma do que a gente está fazendo. Quando nos conectamos com mais de 10 pessoas em uma cidade, já temos o inicial para começar a ideia lá”, destaca.

Lixo transformado

Em Valparaíso de Goiás, cidade a 30 quilômetros de Brasília, o lixo eletrônico também recebe destinação sustentável com a atuação da organização não governamental (ONG) Programando o Futuro. Uma das ações da ONG é transformar carcaças de computadores em filamentos (plástico derretido e posteriormente modelado) para impressoras 3D.

“Foi uma solução encontrada para a quantidade de plástico que a gente recebe”, afirma o analista de sistemas Refael Aguilar, um dos colaboradores do projeto, que recebe cerca de 10 toneladas de lixo eletrônico anualmente.

Segundo Aguilar, atualmente no Brasil há poucas empresas que produzem filamentos para impressoras 3D. Com a reciclagem, a Programando o Futuro consegue fabricar esse material com preços cerca de 40% mais baixos.

O projeto, apoiado pelo Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, tem uma estação de metarreciclagem, que além de fazer o reuso de computadores e equipamentos de informática, promove cursos de capacitação técnica na área para jovens e adultos da comunidade.

Todo ano, entre 700 e 800 pessoas passam pelas atividades. “Os alunos consertam computadores e encaminham para doação a instituições da cidade. A gente tenta prepará-los para o mercado de trabalho”, ressalta Aguilar.

// EcoD

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Nosso sistema solar será destruído antes do que pensávamos

Embora o solo sob nossos pés pareça sólido e reconfortante (na maioria das vezes), nada neste Universo dura para sempre. Um dia, nosso sol morrerá, ejetando uma grande proporção de sua massa antes que seu núcleo …

Mãe em Estocolmo não é mais suspeita de aprisionar filho

Promotores suecos estão retirando seu caso contra uma mulher acusada de prender o filho por vários anos. De acordo com as últimas informações, não há provas suficientes de que ele havia sido detido contra sua …

Mistério de galáxia desprovida de matéria escura é revelado

As observações astronômicas apontam para forças de "maré" e comportamento "canibal" de uma galáxia vizinha, que explicariam a escassez deste componente invisível. Se alguma galáxia é pobre em matéria escura, pode ser devido a uma interação …

Maioria das vacinas da Moderna será reservada no início para os Estados Unidos

A Moderna espera disponibilizar entre 100 e 125 milhões de doses de sua vacina contra a Covid-19 no primeiro trimestre de 2021. A empresa anunciou, nesta quinta-feira que, no início, entre 85 e 100 …

Amazonas é 3º estado com mais queimadas, emissões e desmatamento

Pela primeira vez, o Amazonas assume a terceira posição nos três principais rankings que indicam o avanço da degradação florestal na Amazônia brasileira, incluindo indicadores de queimadas, emissões de gases de efeito estufa e desmatamento …

Sudão bane casamento infantil e mutilação genital feminina, mas prática apresenta desafios

Depois de derrubar o ditador Omar al-Bashir no ano passado, o Sudão deu importante passo para reverter alguns dos tantos horrores cometidos contra a população feminina no país – e tornou ilegal tanto o casamento …

Namíbia elege deputado chamado Adolf Hitler

O nome de um recém-eleito político da Namíbia, vem chamando atenção na mídia nacionais e internacionais. "Adolf Hitler teve uma vitória esmagadora nas eleições regionais na Namíbia", relatou o portal de notícias alemão Spiegel Online nesta …

Astrônomos mapeiam 1 milhão de galáxias previamente desconhecidas

Cerca de um milhão de galáxias previamente desconhecidas para além da Via Láctea foram adicionadas a um mapa detalhado de seção de espaço. Pesquisas sobre o espaço normalmente demoram anos para serem completas, mas um novo …

Brasil recebe vacina de Oxford em janeiro, promete Pazuello

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que o primeiro lote das vacinas de Oxford chega ao Brasil em janeiro. Serão 15 milhões de doses entre janeiro e fevereiro, totalizando 260 milhões ao longo do …

Cingapura é primeiro país a aprovar venda de carne de laboratório

Empresa californiana obteve autorização da cidade-Estado para usar sua carne de frango produzida a partir de cultura celular em chicken nuggets e garante que preço será competitivo. Cingapura é o primeiro país do mundo a aprovar …