A depressão pode ser uma doença física

Em um novo estudo, cientistas dizem que há uma ligação definitiva entre depressão e inflamação causada por um sistema imunológico hiperativo. Essa conexão abre novas vias de tratamento e esperanças para os pacientes.

Os tratamentos atuais para a depressão se concentram principalmente em produtos químicos cerebrais como a serotonina. Porém, de acordo com o estudo publicado na European Neuropsychopharmacology, os cientistas agora pensam que a inflamação em todo o corpo (desencadeada por um sistema imune hiperativo) pode ser a causa do problema.

A inflamação generalizada pode produzir sentimentos de infelicidade, desesperança e fadiga. Se assim for, a depressão pode ser tratável com medicamentos anti-inflamatórios.

Também pode ser um sintoma: muitas pessoas ficam com o astral baixo quando estão doentes e seu sistema imunológico está ocupado lutando contra infecções ou vírus, sempre cansadas, desconfortáveis e sem vontade de fazer muita coisa.

No caso da depressão crônica, o sistema imunológico pode estar falhando em “desligar” após uma doença ou trauma, levando a sintomas persistentes.

As pesquisas e o efeito causal

Um conjunto crescente de pesquisas, incluindo artigos científicos e resultados de ensaios clínicos, parece revelar uma conexão entre o tratamento da inflamação e o alívio da depressão.

No final de julho, cientistas da Universidade de Stanford (EUA) afirmaram que poderiam criar um teste de diagnóstico para encefalomielite miálgica/síndrome de fadiga crônica, juntamente com um tratamento. Este trabalho confirmou outros anteriores que ligavam a síndrome à depressão e à inflamação.

Em outubro de 2016, uma revisão importante sobre medicamentos anti-inflamatórios também revelou uma ligação definitiva entre a inflamação e a depressão.

O trabalho mostrou que cerca de um terço das pessoas com depressão têm níveis mais elevados de citocinas, proteínas que controlam a maneira como o sistema imune reage. Isso pode indicar inflamação em seus cérebros. Também revelou que as pessoas com sistemas imunes “hiperativos” são mais propensas a desenvolver depressão.

Segundo Ed Bullmore, chefe do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Cambridge (Reino Unido), um novo campo de “imuno-neurologia” deve surgir em breve. “É bastante claro que a inflamação pode causar depressão”, disse durante uma conferência do Academy of Medical Sciences FORUM.

“Em relação ao humor, além de qualquer dúvida razoável, existe uma associação muito robusta entre a inflamação e os sintomas depressivos. A questão é se a inflamação leva a depressão ou vice-versa, ou se é apenas uma coincidência”, explicou.

“Nos estudos de medicina experimental, se você tratar um indivíduo saudável com uma droga inflamatória, uma porcentagem substancial dessas pessoas ficará deprimida. Então, pensamos que há provas suficientes para um efeito causal”, concluiu.

Uma consequência importante desses trabalhos seria tratamentos mais efetivos para a depressão, que talvez não precisem durar a vida toda. Outra implicação é que, se esse conhecimento melhorar nossa compreensão de como tratar a depressão, poderíamos transformar a percepção que as pessoas têm hoje da doença.

Socialmente, ver a depressão como uma condição com uma causa física definitiva poderia ajudar a reduzir o estigma em torno de doenças mentais, que muitas vezes impedem as pessoas de procurar e obter tratamento.

Ciberia // HypeScience

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Arqueólogos revelam restos mortais de cachorro de 8.400 anos descoberto na Suécia

Após vários meses de meticulosos trabalhos de escavação, foram finalmente revelados os restos mortais de um cachorro, de uma raça há muito tempo desaparecida, enterrado há mais de 8.400 anos na Suécia ao lado de …

“Cogumelos mágicos” são 4x melhores do que antidepressivos, descobre estudo

Quando a psilocibina, a molécula psicodélica descoberta nos cogumelos mágicos (Psilocybe cubensis), é usada durante a psicoterapia, parece possuir efeitos antidepressivos rápidos, substanciais e duradouros contra a depressão maior, de acordo com um novo ensaio …

Sem Trump, Putin e Bolsonaro ensaiam aproximação

Moscou sabe que a troca de poder na Casa Branca abre brecha na política externa brasileira. O elogio do presidente russo às "qualidades masculinas" de Bolsonaro pode ser apenas o primeiro sinal de uma aproximação. "O …

Crimes por preconceito de cor, raça ou orientação sexual podem ter punição maior

Projeto passa no Senado e vai à Câmara, mas falta definir tamanho da pena. Proposta entrou na pauta a pedido de Paulo Paim para "dar uma resposta" ao assassinato de João Alberto Silveira Freitas. Falta a …

Vacinação contra a Covid-19 será obrigatória em voos da companhia aérea australiana Qantas

A vacina contra a Covid-19 ainda não está pronta, mas as companhias aéreas já começam a se preparar. É o caso da australiana Qantas, que anunciou a futura exigência de um certificado de vacinação …

Galinhas substituem agrotóxicos em ação contra veneno na agricultura

A presença de insetos é uma frequente preocupação para agricultores. Os animais são capazes de prejudicar plantações e, para evitá-los, é comum que fazendeiros recorram a pesticidas. A utilização de produtos químicos, no entanto, é nociva …

França aprova projeto de lei que prevê punir filmagem de policiais em ação

Deputados franceses aprovaram nesta terça-feira (24), em primeira leitura, o polêmico projeto de lei sobre a "segurança global", que prevê punir a gravação e divulgação de policiais em ação. O texto será votado pelo …

Astrônomos revelam que 2ª minilua da Terra é do tamanho de carro pequeno

A minilua chamada 2020 CD3 conta com um diâmetro de entre um metro e 1,5 metro e chegou a ficar a 13 mil quilômetros do nosso planeta. A minilua 2020 CD3, que orbita a Terra nos …

Diego Maradona morre aos 60 anos

O ex-jogador argentino Diego Maradona, maior astro da história do futebol do país sul-americano, morreu nesta quarta-feira (25/11) aos 60 anos, após sofrer uma parada cardiorrespiratória em sua casa em Tigre, ao norte de Buenos …

Incêndios na Amazônia deixam rastro de destruição por décadas

Entre galhos e folhas esturricados sobre o solo que abrigava uma área de floresta intacta, o cheiro de queimada ainda é forte. Próximo a uma das aldeias da Terra Indígena Uru-Eu-Wau-Wau, em Rondônia, vazios surgiram …