Comemos milhares de partículas de plástico por ano (e nem percebemos)

Estamos cada vez mais conscientes da forma como o plástico polui o meio ambiente. Recentemente, o foco da nossa atenção virou-se para os microplásticos – pedaços minúsculos que variam entre 100 nanômetros e 5 milímetros de diâmetro.

Estes plásticos enchem os mares e abrem caminho para os animais que lá vivem. Isto significa que estes resíduos entram, na cadeia alimentar e, em consequência, nos nossos corpos.

No entanto, o peixe e o marisco não são as únicas fontes de alimento que podem conter microplásticos. Há, de fato, outras fontes não provenientes do mar que podem ser muito mais preocupantes.

Uma porção de mexilhão de um consumidor na Europa pode conter cerca de 90 microplásticos. É muito provável que o consumo varie bastante de acordo com os países e as gerações, mas, os ávidos consumidores de mexilhão podem estar ingerindo até 11 mil plásticos por ano.

É difícil saber ao certo quantos microplásticos consumimos a partir do consumo de peixe. A maioria dos estudos realizados até o momento apenas analisou o conteúdo do estômago e do intestino dos peixes, partes que geralmente são removidas antes do consumo.

No entanto, um estudo encontrou microplásticos no fígado dos peixes, sugerindo que estas partículas podem migrar do sistema digestivo para outras partes do corpo.

Outro estudo também detectou microplásticos em peixes enlatados. Os números encontrados eram baixos, podendo, em média, um consumidor ingerir cinco microplásticos em uma porção de peixe enlatado. As partículas encontradas também podem ter vindo do processo de enlatamento ou do ar.

Outra fonte de microplásticos de origem marinha é o sal proveniente do mar. Um quilograma de sal pode conter mais de 600 microplásticos. Se, por dia, ingerirmos 5 gramas de sal, estaríamos consumindo três microplásticos por dia – porém, muitas pessoas ingerem muito mais sal do que a quantidade recomendada.

No entanto, outros estudos descobriram quantidades variáveis de microplásticos no sal marinho, possivelmente devido aos diferentes métodos de extração utilizados. Esse é um problema generalizado na pesquisa de microplásticos, que torna difícil comparar estudos.

Por exemplo, um estudo parece só ter procurado por microfibras – pequenas cadeias de materiais artificias, como é o caso do poliéster. Já um estudo adicional, apenas procurava microplásticos de tamanho superior a 200 micrômetros.

Os estudos do sal marinho acima mencionados não tentaram remover e contabilizar todos os microplásticos encontrados nas amostras de sal recolhidas. Em vez disso, os cientistas fizeram uma estimativa baseada na porção de partículas que recolheram. Ou seja, o estudo mostrou que 1 quilo de sal continha, pelo menos, 600 microplástico – mas o número real pode ser bem maior.

Fontes não marinhas

Apesar destas descobertas, outras pesquisas demonstram que é muito mais provável que os microplásticos encontrados nos nossos alimentos venham de outras fontes a não ser do mar. Os animais terrestres também comem plásticos embora – assim como acontece com os peixes – tendemos a não comer seus sistemas digestivos.

Existem poucos dados sobre esta parte da indústria alimentar, mas um estudo realizado com frangos criados em jardins do México encontrou, em média, 10 microplásticos por cada moela de frango – uma iguaria em algumas partes do mundo.

Os cientistas também encontraram microplásticos no mel e na cerveja. Podemos estar engolindo dezenas de microplásticos em cada garrafa de cerveja.

Talvez a maior fonte conhecida de microplásticos que consumimos seja a água engarrafada. Quando os pesquisadores examinaram um conjunto de águas engarrafadas em vidro e plástico, encontraram microplásticos na maioria delas.

As garrafas de água de uso único continham entre 2 a 44 microplásticos por litro, enquanto que as garrafas reutilizadas continha entre 28 a 241 microplásticos por litro. Os microplásticos vieram das embalagens, o que significa que podemos estar expondo-os a resíduos sempre que reutilizamos uma garrafa para reduzir o desperdício.

Isto também evidencia que os microplásticos presentes nos nossos alimentos provêm do pó dentro das nossas casas. Um estudo estimou que, anualmente, podemos obter uma dose de quase 70 mil microplásticos só a partir do pó que se instala no nosso jantar – e esta é apenas uma das nossas refeições diárias.

Então, sim, estamos ingerindo um pequeno número de microplásticos provenientes de produtos marinhos. Mas só o fato de bebermos um litro de água engarrafada por dia pode significar mais microplásticos do que um ávido comedor de marisco.

Outra questão que os cientistas ainda não responderam relativamente à ingestão de microplásticos, é o dano que eles realmente provocam.

Os estudos acima referenciados foram publicados entre 2015 e 2017 nas revistas Nature e Science Direct e no Environmental Science & Technologye Polish Journal of Food and Nutrition Sciences.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA:

Paleontólogos descobriram as “pegadas mais antigas da Terra”

Um grupo de cientistas da China afirma ter descoberto as “pegadas mais antigas” já encontradas. Os fósseis, localizados no Yangtze Gorges, no sul da China, foram formados em trilhas paralelas na lama e datam de …

Família de Anne Frank pode ter sido traída por mulher judia

Ans van Dijk. Esse é o nome da possível informante do regime que traiu a família de Anne Frank, afirma o livro De achtertuin van het Achterhuis. Um novo livro publicado na Holanda alega que a …

Freiras mexicanas estão empenhadas em salvar o axolote da extinção

O axolote está em perigo crítico de extinção. Mas há um grupo de freiras mexicanas que estão empenhadas em salvar a espécie. O axolote é uma espécie de salamandra aquática pequena que está atualmente em perigo …

Elon Musk vai construir túnel que liga aeroporto até o centro de Chicago

O próximo desafio de Elon Musk é nada mais do que um túnel entre o centro da cidade de Chicago e o aeroporto internacional O’Hare, com carros elétricos sem motorista. A cabeça de Elon Musk não para …

Macron promete óculos, próteses dentárias e aparelhos auditivos grátis

O presidente francês, Emmanuel Macron, se comprometeu a estabelecer gradualmente, até 1º de janeiro de 2021, um reembolso de 100% a óculos, aparelhos auditivos e próteses dentárias. Esta era uma das medidas que constava no …

Terremoto de magnitude 6,1 em Osaka faz três mortos e 200 feridos

Um sismo de magnitude 6,1 provocou, nesta segunda-feira (18), pelo menos três mortos e 200 feridos em Osaka, no Japão. O tremor causou estragos em estradas, residências e zonas industriais. De acordo com a televisão pública …

Preço do diesel diminui, mas ainda não chega às bombas R$ 0,46 menor

Pela segunda semana consecutiva, o preço do diesel nos postos do Brasil recuou, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A queda é resultado do programa de subsídios ao combustível que …

Brasil deixou de arrecadar quase R$ 355 bilhões com renúncias fiscais em 2017

Com meta de deficit primário de R$ 159 bilhões neste ano e com um teto de gastos pelas próximas duas décadas, o governo teria melhores condições de sanear as contas públicas, de acordo com o …

Após quatro meses de intervenção no Rio, tiroteios aumentaram 36%

O Observatório da Intervenção, que acompanha as ações da medida no Rio de Janeiro, fez um balanço dos quatro meses de intervenção, a partir dos números do Fogo Cruzado, laboratório de dados sobre violência. Com um …

Embaixada levará 50 estudantes brasileiros para intercâmbio nos EUA

A partir desta terça-feira (19), estudantes do ensino médio da rede pública podem se inscrever para a 17ª edição do programa Jovens Embaixadores, promovido pela Embaixada dos Estados Unidos. Em parceria com o Conselho Nacional de …