Cientistas testam (com sucesso) dispositivo capaz de extrair água potável do ar

Berkeley News

O coletor de água que usa MOFs para retirar água do ar seco

Um grupo de cientistas da Universidade da Califórnia em Berkeley (EUA) diz ter testado com sucesso um novo dispositivo coletor de água no deserto, capaz de produzir água potável a partir do ar.

Nos resultados, publicados no dia 8 de junho na revista Science Advances, a equipe avança que a máquina coletora pode recolher água potável todos os dias e em ciclos noturnos, em condições de baixa umidade e com baixo custo. O novo dispositivo poderia, por isso, ser usado em partes áridas do mundo que são desprovidas de água.

“Não há nada semelhante a isto”, disse Omar Yaghi, da Universidade da Califórnia em Berkeley, que inventou a tecnologia por trás do “harvester”, em comunicado. “Essa jornada do laboratório para o deserto nos permitiu realmente transformar a captação de água de um fenômeno interessante para uma ciência.”

O dispositivo inventado opera à temperatura ambiente e à luz do Sol. Não requer nenhuma entrada adicional nem fonte de energia. A chave para a descoberta é um pó que se encontra espalhado no topo do dispositivo em forma de caixa, chamada de estrutura metalorgânica (MOF), que já tinha sido testado antes em outros lugares.

O MOF é um pó cristalino composto por átomos orgânicos e metálicos que absorve a água como uma esponja durante a noite, quando as temperaturas são mais baixas, mas a umidade é maior.

Depois, quando as temperaturas aumentam durante a manhã, as moléculas de água são empurradas para fora dos cristais, produzindo um pequeno copo d’água. Na realidade, o que acontece é que o coletor usa a luz solar para aquecer o pó, expulsando o vapor de água e condensando-o para ser usado.

O dispositivo é uma “caixa dentro de uma caixa”, nota a Universidade da Califórnia. O coletor contém uma caixa interna com grãos de MOF, com cerca de 0,2 metro quadrado.

Ao envolver este cubo, está outro cubo de plástico de tamanho semelhante que tem as extremidades e os lados transparentes. O topo é deixado aberto à noite para que o ar entre, mas é coberto durante o dia para aquecer o interior, como se fosse uma estufa.

Foi realizado um teste no dispositivo em Scottsdale, no Arizona, em outubro de 2017. Nesta região, a umidade atinge os 40% durante a noite, mais cai para 8% durante o dia. E o teste provou ser um grande sucesso.

Ao usar 1 quilograma de MOF, a equipe disse que podia conseguir produzir cerca de 200 mililitros de água – o que não é uma enorme quantidade de água, mas é suficiente para despertar o interesse, pois pode ser posta em escala maior.

“O principal avanço aqui é que o dispositivo opera em baixa umidade, porque é isso que encontramos nas regiões áridas do mundo”, explicou Yaghi.

E também já existem planos para melhorar o design, com um novo MOF feito a partir de alumínio. O novo pó é 150 vezes mais barato e pode capturar cerca de duas vezes mais água. A equipe planeja fazer um teste de campo com o novo MOF ainda este ano, no Vale da Morte, uma das regiões mais quentes da Califórnia.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Um designer de produto e um engenheiro já havia inventado isso a 5 anos atrás, e não levaram em consideração a patente, agora exaltam cientistas como se fosse uma novidade.

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Vacina contra covid-19: a estratégia do país que decidiu vacinar os jovens antes dos idosos

A Indonésia lançou um programa de vacinação em massa gratuito contra a covid-19 em uma tentativa de impedir a propagação do vírus e fazer sua economia voltar a se aquecer. Mas o país está adotando uma …

Com popularidade a mil, Signal vai contratar mais pessoas e otimizar recursos

Recentemente, o Canaltech noticiou que um simples tweet publicado pelo empresário Elon Musk fez com que o Signal, um mensageiro instantâneo conhecido por respeitar a privacidade de seus usuários e ser 100% em código aberto, …

Palácio mais antigo da China de 5.300 anos é descoberto perto de antiga capital

Palácio descoberto no sítio arqueológico de Shuanghuaishu, nos arredores da cidade de Zhengzhou, uma das oito capitais antigas, foi construído por volta de 3300 a.C., ou seja, tem cerca de 5.300 anos, sendo possivelmente a …

Bolsonaro colocou vida de brasileiros em risco, diz Human Rights Watch

O novo relatório mundial da ONG Human Rights Watch (HRW) de 2021 acusa o presidente Jair Bolsonaro de tentar sabotar os esforços para retardar a disseminação da Covid-19 no Brasil e investir em políticas …

Novo navio insígnia da Rússia é considerado 'maior ameaça' pelo Ocidente

Com novos mísseis, modernos equipamentos a bordo e uma capacidade de combate única, o cruzador nuclear pesado do projeto 1144 Orlan, Admiral Nakhimov, deverá assumir o posto de navio insígnia da Marinha russa em 2022. O …

Biden anuncia pacote de estímulo de quase US$ 2 trilhões

Para revitalizar a maior economia do mundo em meio à pandemia, "Plano de resgate americano" apresentado pelo presidente eleito inclui auxílio a desempregados e escolas e investimento na vacinação. O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe …

Coronavírus: Reino Unido proíbe entrada de viajantes vindos da América do Sul e de Portugal por variante encontrada no Brasil

Chegadas ao Reino Unido da América do Sul e Portugal serão proibidas a partir de sexta-feira (15/01) devido a preocupações com a variante brasileira do coronavírus. O secretário de transportes, Grant Shapps, disse que a mudança …

Vacinação nacional contra a COVID-19 começa no dia 20, às 10h

Ao que tudo indica o Brasil já tem uma data oficial para o início da vacinação, em massa, contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2). Nesta quinta-feira (14), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, informou que a …

"Futuro assustador de extinção em massa" nos espera, elite dos cientistas alerta

O planeta enfrenta um “futuro assustador de extinção em massa, declínio da saúde e distúrbios climáticos” que ameaçam a sobrevivência humana por causa da ignorância e da inação, de acordo com um grupo internacional de …

Oferta de perfuração do Ártico tem fracasso histórico por falta de interessados

O recente leilão que oferecia arrendamentos de perfuração de petróleo no Ártico foi um fracasso. Esperava-se que a chamada atraísse muitos interessados em explorar a área no Alasca, mas a realidade foi outra. A notícia é …