Estudo sugere que lítio em água potável reduz riscos de demência

Pessoas que bebem água com níveis mais elevados de lítio parecem ter um risco menor de desenvolver demência, sugere uma pesquisa dinamarquesa. O lítio é comumente encontrado na água da torneira ou outras fontes de água corrente, ainda que em quantidades variadas.

A descoberta, baseada em um estudo com 800 mil pessoas, pode dar pistas de como avançar na busca pela prevenção da demência e do mal de Alzheimer. O estudo da Universidade de Copenhague, publicado no periódico JAMA Psychiatry, analisou os registros médicos de 73.731 dinamarqueses com demência e 733.653 sem a doença.

Os resultados do estudo mostram que níveis moderados de lítio – entre 5,1 e 10 microgramas por litro – aumentavam o risco de demência em 22%, em comparação com níveis baixos – menos de 5 microgramas por litro.

Por outro lado, as pessoas que beberam água com níveis elevados de lítio – acima de 15 microgramas por litro – tinham menos 17% de risco de desenvolver a doença.

A diferença de impacto das doses de lítio pode ser explicada pelo facto de apenas algumas dosagens específicas mudarem a atividade cerebral de modo benéfico. “A exposição mais alta e de longo prazo ao lítio na água potável pode estar associada com uma incidência menor de demência”, disseram os pesquisadores.

O lítio já é conhecido pelos efeitos protetores em diversos processos biológicos cerebrais, sendo, inclusive, utilizado para tratamento da bipolaridade.

O tema já tinha sido estudado por pesquisadores. Em 2007, artigo científico coassinado pelo médico Wagner Gattaz, do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, concluiu que “o tratamento com lítio reduziu a prevalência de Alzheimer em pacientes com bipolaridade“.

“O lítio inibe uma enzima crucial no desenvolvimento do Alzheimer”, explicou Gattaz.

O médico brasileiro também testou o lítio em pessoas com transtorno cognitivo leve – como perdas moderadas de memória, casos que muitas vezes evoluem para um quadro de demência – e identificou novamente que a substância tinha um efeito benéfico.

Ainda assim, é cedo para recomendar que o lítio seja acrescentado à água que todos bebemos, segundo o médico.

“Antes de fazer qualquer recomendação desse tipo, ainda temos que estudar os efeitos (no corpo) das micro doses de lítio a longo prazo”, explica Gattaz, lembrando que a substância tem alguns efeitos colaterais, como tremores e o comprometimento da tiroide e dos rins, dependendo da quantidade que se acumula no sangue.

O lítio pertence ao grupo dos metais alcalinos, com sódio e potássio. É usado em baterias, produtos farmacêuticos, cerâmicas e carros, e encontrado naturalmente em rochas, água, grãos, verduras e legumes.

Ciberia // BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Mais da metade dos brasileiros entrevistados por uma pesquisa declararam que sua saúde emocional e mental piorou desde o início da pandemia, em índice superior à média dos 30 países e territórios pesquisados. Segundo pesquisa do …

Senado oficializa criação da CPI da Pandemia

Presidente do Senado diz que foco deve estar nas ações e omissões do governo federal e no repasse de recursos da União para estados e municípios. STF julgará determinação do ministro Barroso que ordenou abertura …

Bernie Madoff, maior golpista da história, morre em prisão norte-americana, diz relato

Bernard Madoff, o ex-financista que realizou a maior fraude de investimento na história dos Estados Unidos, morreu aos 82 anos de idade, de acordo com relatos da mídia. Em 2009, o notório financista recebeu uma sentença …

Salvator Mundi, obra mais cara de Da Vinci avaliada em R$2,6 bi, é vista em iate de príncipe

A obra de arte mais cara do mundo é ‘Salvator Mundi’, atribuída a Leonardo da Vinci. Com valor estimado em mais de 400 milhões de dólares ou superior aos 2,6 bilhões de reais, seu paradeiro …

Variante indiana da Covid-19 se propaga mais rápido e é menos detectada por testes PCR

A Índia enfrenta a pior onda de contaminações da Covid-19 desde o início da pandemia, com mais de 165 mil casos registrados nas últimas 24 horas: duas vezes mais do que no último pico, em …

Tipo sanguíneo não afeta risco de contrair COVID-19, diz novo estudo

Um estudo buscou entender se determinados tipos sanguíneos trazem mais riscos de contrair a COVID-19, e concluiu que não é o caso. Com a pandemia, muito se questiona em relação ao comportamento da COVID-19 em nosso …

Buracos negros são famintos, mas possuem boas maneiras à 'mesa', aponta estudo

Todos os buracos negros supermassivos nos centros das galáxias possuem períodos nos quais devoram a matéria situada de seus arredores. De acordo com um estudo publicado na revista científica Astronomy & Astrophysics, as galáxias ativas têm …

Pnad e Caged: No auge do desemprego, Brasil enfrenta falhas nas estatísticas do mercado de trabalho que confundem e desorientam

Num momento em que o país tem registrado números diários de mortes por covid-19 que ultrapassam 4 mil e diversos Estados e municípios reforçam medidas de distanciamento social, na tentativa de conter a propagação do …

Jovem negro de Minnesota morreu por “disparo acidental”, afirma polícia

Policial teria confundido arma de descarga elétrica com arma de fogo. Incidente em meio a julgamento da morte de George Floyd acirra tensões e agrava protestos. Mineápolis e outras cidades ampliam toque de recolher. A policial …

Bia, assistente de voz do Bradesco, vai responder mensagens de assédio

O Bradesco precisou tomar providências para proteger uma mulher de assédio. No caso, uma mulher que nem existe fisicamente. A mulher que dá voz ao sistema de inteligência artificial do aplicativo, a Bia (sigla para Bradesco …