Doleiros levavam até R$ 500 mil dentro de meias elásticas

tychay / Flickr

O dinheiro da propina circulava aos milhões e era levado por doleiros até em meias elásticas de salas consideradas caixas-fortes para clientes no Rio de Janeiro.

A revelação é do doleiro Cláudio Barbosa, conhecido como Tony, que depôs nesta terça-feira (26) ao juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, em inquérito decorrente da Operação Eficiência, um desdobramento da Operação Lava Jato.

Os portadores carregam dinheiro na perna. Eles não carregam em mochila. Eles têm essas meias Lupo, põem para cima, e ali cabe R$ 250 mil em cada perna, em notas de R$ 100 e R$ 50. Então ele sai andando normalmente, não chama atenção. Não está com uma mochila nem com uma mala. Um segurança ia ao lado e outro atrás. São procedimentos normais”, disse Tony.

Tony e o também doleiro Vinícius Claret, mais conhecido pelo apelido Juca Bala, foram ouvidos pela primeira vez por Bretas. Ambos são brasileiros, mas residiam há anos no Uruguai, trabalhando com Dario Messer, conhecido como o reis dos doleiros, com atuação no Brasil, Uruguai e Paraguai, a quem os demais doleiros, incluindo os irmãos Renato e Marcelo Chebar, recorriam para transferências mais altas.

Os dois são réus colaboradores e terão suas sentenças proferidas nos próximos dias pelo titular da 7ª Vara.

Juca Bala respondeu a questionamento de Bretas, sobre se ele tinha dúvida de que os valores que transacionava tinham origem ilegal. O doleiro respondeu claramente que não. “A maioria de movimentos que tínhamos era dinheiro de campanhas”.

Ele disse ainda que grande parte dos recursos que girava vinham da Odebrecht. “Eles começaram pequenos, mas depois aumentaram muito com o governo do PT, em uma escala muito grande”.

Banco para facilitar negócios

Antes dos doleiros, falou o operador financeiro Enrico Machado, sócio de Dario Messer no banco EVG, criado para facilitar os negócios de compra e venda de moedas, servindo principalmente aos doleiros que precisavam remeter ou receber recursos de um país para outro. Machado confirmou ao juiz que Messer, atualmente foragido, tem empresas no Panamá, Paraguai, Uruguai e Brasil.

“Existem quatro empresas imobiliárias em nome dele aqui no Brasil. Ele tem duas empresas no Paraguai. As empresas imobiliárias brasileiras têm contrapartes paraguaias, que têm contrapartes panamenhas e BVI [Ilhas Virgens Britânicas, em português]”, disse Enrico.

Também foram interrogados os irmãos Chebar e a diretora comercial da joalheria H. Stern, Maria Luiz Trota. Ela reafirmou que negociou um total de R$ 6 milhões, em 20 vendas de joias, ao ex-governador Sérgio Cabral e à ex-primeira-dama Adriana Ancelmo.

Ciberia // Agência Brasil

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Argélia expulsa 390 pessoas (incluindo grávidas e crianças); e as envia para o deserto

Neste domingo (15), a Argélia expulsou 391 pessoas em condições precárias, incluindo crianças e grávidas, para o deserto do Níger. A Organização Internacional para as Migrações (OIM) indicou que as pessoas expulsas, oriundas de países da …

Presidente eleito do México quer cortar o próprio salário pela metade

Andres Manuel Lopez Obrador, o presidente eleito do México, disse que quer receber cerca de metade do salário que seu antecessor recebia, assim que assumir o cargo em dezembro. “O que nós queremos é que o …

Mais de 3,3 milhões de contribuintes recebem restituição do IR

O crédito bancário para mais de 3,3 milhões de contribuintes contemplados no segundo lote de restituições do Imposto de Renda é feito nesta segunda-feira (16). A consulta ao segundo lote foi aberta no último dia …

STF suspende resolução da ANS sobre coparticipação em planos de saúde

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, suspendeu temporariamente nesta segunda-feira (16) a Resolução Normativa 433, de 28 de junho de 2018, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) da Agência Nacional de …

Trump e Putin na Finlândia: "Nosso relacionamento nunca foi pior"

Os presidentes dos EUA e da Rússia realizam, nesta segunda-feira (16), em Helsinque, sua primeira cúpula bilateral, sob o espectro da ingerência russa nas eleições presidenciais norte-americanas de 2016 e ainda da situação na Ucrânia …

Após 25 anos em queda, mortalidade infantil volta a subir no país

O índice de mortalidade infantil voltou a aumentar no Brasil, pela primeira vez, desde 1990. Segundo dados do Ministério da Saúde, a taxa de mortalidade de 2016 ficou em 14 óbitos infantis a cada mil …

Cinco meses de intervenção no Rio: chacinas aumentam e apreensão de arma diminui

O Observatório da Intervenção, do Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Universidade Cândido Mendes, divulgou nesta segunda-feira (16) um balanço dos cinco meses de intervenção federal no Rio de Janeiro. A conclusão? “Muito …

Feminicídio: funcionária do Ministério dos Direitos Humanos é assassinada

Uma funcionária terceirizada do Ministério dos Direitos Humanos foi assassinada neste sábado (14), em Santa Maria, região administrativa do Distrito Federal a cerca de 26 quilômetros do centro de Brasília. A 33ª Delegacia de Polícia …

Mergulhador manda Elon Musk enfiar submarino onde dói mais; empresário reage: "Pedófilo"

Elon Musk, o multimilionário da Tesla, se envolveu em uma troca de insultos no Twitter com um dos mergulhadores que participaram do resgate dos 12 adolescentes da Tailândia, chegando mesmo a chamá-lo de “pedófilo”. O CEO …

Brasil é ouro na Olimpíada Internacional de Matemática

Um estudante brasileiro conquistou medalha de ouro na Olimpíada Internacional de Matemática (IMO) em Cluj-Napoca, na Romênia. Pedro Lucas Lanaro Sponchiado, de 17 anos, é de São Paulo. Desde 2012 o Brasil não conseguia um …