Túmulo da Rainha Vermelha guarda vários segredos da civilização maia

Instituto Nacional de Antropología e Historia

Os restos mortais da “Rainha Vermelha”

Os restos mortais da “Rainha Vermelha”, encontrados em 1994, em Palenque, no México, mostram que ela era uma figura da alta sociedade.

Parecia cena de crime: cadáveres de uma criança com a garganta cortada e de uma mulher, cujo coração foi removido, deitados ao lado de um sarcófago, esculpido em um único pedaço de pedra, com 2,40 metros de comprimento e 1,18 metro de largura.

Além das pedras de jade no interior do túmulo, havia também ossos e conchas cobertos por um tipo de poeira avermelhada, proveniente de um minério chamado cinábrio que era usado para preservar restos mortais.

O sarcófago foi encontrado em junho de 1994, em Palenque, no México, e, a partir daí, a mulher enterrada há 1.346 anos, ou seja, mais precisamente no ano de 672, ganhou o título de “Rainha Vermelha”.

Os restos mortais já circularam por várias cidades dos EUA, Canadá e México e agora, 24 anos depois da descoberta, o enxoval funerário da rainha vai finalmente chegar ao público. O material será exibido pela primeira vez no Museu do Templo Mayor, na Cidade do México, onde pode ser visitado até 9 de setembro.

Mas, afinal, quem era essa mulher e o que ela pode nos dizer sobre o mundo maia? A análise dos restos mortais da aristocrata levou os pesquisadores a concluir que tinha 1,54 metro de altura, morreu quando tinha entre 50 a 60 anos e tinha o crânio deformado, com uma testa achatada, para seguir os padrões de beleza da sociedade maia.

Com esse material, os cientistas também conseguiram concluir que a “Rainha Vermelha” sofria de osteoporose, de sinusite crônica e teve filhos. Além disso, na sua tíbia esquerda, encontraram um casulo de larvas de vespa. Acredita-se que, quando morreu, estaria bastante debilitada.

Aristocrata da alta sociedade

Os dentes indicam que não nasceu na região de Palenque, onde seus restos mortais foram encontrados, que sofria de tártaro, abcessos e cáries, e tinha uma dieta rica em carne – uma característica que mostra: fazia parte da alta sociedade.

No entanto, não foi só a dentição que provou que era uma mulher de classe privilegiada. Que o diga a arqueóloga Fanny López Jiménez, quem encontrou a urna da rainha.

Durante a pesquisa, leu repetidas vezes os relatos dos arqueólogos Alberto Ruz e Jorge Acosta, que fizeram grandes descobertas no mesmo templo nas décadas de 50 e 70. “Não entendi como foi possível eles terem deixado este presente, o que na verdade não me desagradou nem um pouco”, escreveu a arqueóloga na revista Arqueología Mexicana.

Devido à localização do sarcófago, ao lado do Templo das Inscrições, perto do rio Usumacinta, em Chiapas, seu alto posto já estava praticamente comprovado. O templo em questão foi construído para guardar os restos mortais de Pacal, o Grande, um homem que viveu entre os anos 603 e 683.

Pacal foi rei desde os 12 anos, liderou uma campanha militar que deu grande renome a Palenque e fez com que a história do seu povo fosse registrada em glifos. Seus restos mortais foram encontrados em 1949.

Graças a esses escritos, Fanny conseguiu fazer uma lista de quem eram as mulheres mais importantes da sua vida: a avó Yohl Ik Nal, rainha de Palenque, a mãe Sak Kuk e a esposa, Tzakbu Ajaw.

Porém, análises de DNA feitas pelo arqueólogo Carney Matheson, da Universidade de Lakehead, em Ontário, revelaram que não havia relação de parentesco entre Pacal e a “Rainha Vermelha”.

Dessa forma, foi possível descartar que o cadáver da mulher pudesse ser da avó ou da mãe de Pacal. Restava a indicação de que pudesse ser a esposa e a mãe de seus dois filhos: K’inich Kan Bahlam II, que o sucedeu no reinado, e K’inich K’an Joy Chitam II, que também foi rei de Palenque durante nove anos.

Se um dia forem encontrados os túmulos de qualquer um deles, poderia vir a ser confirmada a real identidade da “Rainha Vermelha”.

Indícios de mortes sangrentas

Segundo o livro “A Rainha Vermelha: o segredo dos maias em Palenque”, da jornalista mexicana Adriana Malvido, os ossos da mulher e da criança encontrados ao lado do sarcófago foram analisados em Miami, nos EUA, onde se concluiu que foram sacrificados entre os anos 620 e 680, datas que correspondem ao tempo em que a esposa de Pacal estava viva.

O arqueólogo mexicano Arnoldo González disse ao Discovery Channel que esses corpos foram sacrificados para fornecer “um novo e fresco suprimento de sangue”, o que diz muito sobre as circunstâncias das mortes.

No livro “Janaab’ Pakal de Palenque”, de Vera Tiesler e Andrea Cucina, destaca-se o fato de os dois cadáveres terem sido encontrados no chão. “Nenhum dos corpos foi depositado com cuidado”, dizem.

A mulher, com idade entre 20 e 30 anos, sofreu várias facadas em duas costelas e estava deitada de bruços, com os braços cruzados sobre as costas: “As várias marcas profundas e multidirecionais indicam um padrão complexo de violência”.

Inclusive, acredita-se que o corpo da mulher sofreu “uma separação em duas metades ou simplesmente uma carnificina que fazia parte de uma mutilação ritual logo após a remoção do coração”.

A criança, por sua vez, estava decapitada, como indica sua terceira vértebra cervical, com uma marca contínua de corte horizontal – o que só poderia ser feito “com o impacto violento na nuca de um elemento pontiagudo”.

As descobertas podem ser relacionadas não só com a crença de que os maias tinham sobre a vida além da morte, mas também da existência de uma forte hierarquia social, onde pessoas de baixa posição eram sacrificadas para fins rituais.

Porém, enquanto no túmulo da “Rainha Vermelha” havia apenas dois corpos, no de Pacal foram encontrados os restos mortais de seis pessoas.

Especialistas acreditam que nos mais de 1.500 edifícios existentes em Palenque, apenas cerca de 15% já foram estudados. Por isso, ainda há muitos segredos dos maias para serem revelados.

Ciberia // BBC / ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

'Síndrome de Havana': lesão cerebral atinge ao menos 130 diplomatas e oficiais americanos, dizem EUA

Diplomatas, agentes da CIA e oficiais de defesa dos EUA relataram sintomas graves da perturbação conhecida como "síndrome de Havana" nas últimas semanas. O elevado número de casos causa espanto. Nas últimas semanas, foram relatados mais …

RJ comunica 1º caso de raiva em cachorro em quase três décadas

Pela primeira vez desde 1995, o Laboratório Municipal de Saúde Pública (Lasp) do Rio de Janeiro diagnosticou um caso de raiva animal. A descoberta parte do resultado de perícia no corpo de um cão morto …

O que dizem cientistas sobre isenção de máscaras para vacinados nos EUA

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (13/05) o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras de proteção na maioria das situações para pessoas que já foram completamente vacinadas contra a covid-19. Segundo a nova orientação do …

Putin: Rússia reagirá de maneira devida às ameaças perto de suas fronteiras

Durante reunião com membros do Conselho de Segurança da Rússia nesta sexta-feira (14), o presidente da Rússia pediu que lhe fosse reportado sobre o agravamento do conflito israelo-palestino, que toca diretamente os interesses de segurança …

Covid: 16 mil pessoas foram imunizadas com doses de vacina trocadas no Brasil

Um levantamento de dados da Folha de São Paulo com informações do DataSUS, base de dados do Ministério da Saúde, mostrou que pelo menos 16 mil pessoas receberam doses de vacinas diferentes em seu processo …

Covid-19: diretor do Butantan prevê vacinação lenta até setembro no Brasil

Como diretor do Instituto Butantan desde 2017, Dimas Covas sempre precisou aliar o conhecimento técnico e científico com as particularidades do mundo político que, na visão dele, não parecem seguir uma lógica. E essa necessidade se …

Escalada de violência entre israelitas e palestinianos já fez mais de 100 mortos

O conflito entre israelitas e palestinianos subiu de tom na madrugada de hoje, com o Exército israelita a bombardear a faixa de Gaza. Desde segunda-feira já morreram 119 palestinianos nestes ataques, entre eles 31 …

Maduro diz estar disposto a negociar com oposição

Declaração é feita após líder oposicionista Juan Guaidó propor diálogo mediado por comunidade internacional. Noruega já estaria em contato com regime e oposição. O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta quarta-feira (12/05) que está disposto …

CPI da Covid ouve Pfizer para entender como Brasil foi para o 'fim da fila' das vacinas

O depoimento do comando da farmacêutica Pfizer na sessão desta quinta-feira (13/5) da CPI da Covid tem o objetivo de esclarecer as circunstâncias da recusa do governo Bolsonaro à compra de vacinas da empresa, ainda …

Google é multado pela Itália em mais de € 100 milhões

A Autoridade Garantidora da Concorrência e do Mercado da Itália multou a Google por abuso de posição dominante no mercado, acusando-a de restrições do aplicativo Enel X no sistema Android Auto. A Autoridade Garantidora da Concorrência …