Embaixada americana pede que cidadãos deixem Bagdá depois de morte de general iraniano

Líderes em todo mundo pedem prudência e temem a escalada de violência no país depois do presidente americano, Donald Trump, ter autorizado o bombardeio que matou o general iraniano Qassim Suleimani em um aeroporto de Bagdá.

A representação diplomática dos Estados Unidos na capital iraquiana aconselhou seus cidadãos a deixarem o Iraque “imediatamente”, poucas horas depois da morte de Suleimani. A recomendação é que os cidadãos deixem o país “de avião enquanto é possível”, já que o bombardeio aconteceu no aeroporto de Bagdá, ou “sigam para outros países por via terrestre”.

O Iraque divide fronteira com o Irã e a Síria em guerra, além da Arábia Saudita e daTurquia – as alternativas mais recomendadas aos americanos.

O primeiro-ministro do Iraque, Adel Abdel Mahdi, afirmou nesta sexta-feira (3) que o ataque americano que matou o general iraniano Qassim Soleimani e o líder paramilitar iraquiano Abu Mehdi Al Muhandisva vai “desencadear uma guerra devastadora no Iraque”.

Luto e vingança

Para o presidente iraniano, Hassan Rohani, a morte de Suleimani faz com que o país esteja ainda mais determinado “a resistir ao expansionismo dos Estados Unidos e a defender os valores islâmico.” Segundo ele, “não há dúvidas de que o Irã e as outras nações em busca da liberdade na região vão querer vingança.” Ali Khamenei, guia supremo da Revolução Iraniana, declarou que o ataque americano “dobrou a motivação do país”, e decretou três dias de luto no país.

O presidente americano, por enquanto, não fez nenhum comentário, mas o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, declarou que “os iraquianos dançam nas ruas pela liberdade, felizes que o general Suleimani “não esteja mais entre nós.”

“O assassinato de um comandante militar iraquiano que ocupava um posto oficial é uma agressão contra o Iraque, seu Estado, seu governo e seu povo”, afirmou Abdel Mahdi, em um comunicado. Abu Mehdi Al Muhandis era o número dois da Hashd Al Shaabi, uma coalizão de paramilitares pró-Irã integrada ao Estado.

Preocupação em Israel

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, decidiu, nesta sexta-feira (3), interromper sua viagem na Grécia depois da morte do general iraniano Qassim Suleimani. A morte do general causa bastante preocupação em Israel, onde são esperadas represálias dos aliados do Irã na região, como o Hezbollah, o Hamas ou o Jihad Islâmico em Gaza.

O ministro da Defesa, Naftali Bennet, convocou em Tel Aviv os responsáveis militares do país para avaliar a situação.

Outros países reagiram ao bombardeio. Na Rússia, o presidente da comissão de Negócios Internacionais, Konstantin Kosachev, disse que a operação americana vai “certamente aumentar a tensão na região.”

Para o ministro britânico das Relações Exteriores, Dominic Raab, é preciso evitar a escalada da violência. “Um outro conflito não nos interessa”, declarou. Esta também é a opinião da secretária para os Assuntos Europeus, Amélie de Montchalin, Paris busca criar “condições para a paz na região, ou pelo menos mais estabilidade.

”Já a China pediu aos Estados Unidos devem evitar novas tensões. “Pedimos instantaneamente a todas as partes “que tenham calma”.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …