EUA: Estudo traz primeiros resultados ‘promissores’ de vacina de RNA mensageiro contra Aids

PAHO / WHO

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes em animais, disseram os pesquisadores norte-americanos nesta quinta-feira (9).

A vacina demonstrou ser segura quando administrada em macacos, e o risco de infecção por exposição foi reduzido em 79%. No entanto, o imunizante requer melhorias antes de poder ser testado em humanos.

“Apesar de quase quatro décadas de esforços da comunidade científica global, uma vacina eficaz para prevenir o HIV continua sendo um objetivo difícil”, disse o imunologista Anthony Fauci, co-autor do estudo e também conselheiro da Casa Branca para a crise sanitária causada pela pandemia de Covid-19.

“Esta vacina experimental de RNA mensageiro combina vários recursos que poderiam superar as falhas de outras vacinas experimentais contra o HIV e representa uma abordagem promissora”, acrescentou o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos (NIAD).

Cientistas do instituto realizaram este trabalho em colaboração com pesquisadores da Moderna, a empresa norte-americana responsável por uma das vacinas utilizadas contra a Covid-19. O estudo foi publicado nesta quinta-feira na prestigiada revista Nature.

Vacina bem tolerada por animais

A vacina foi testada primeiro em camundongos e depois em macacos do tipo rhesus. Estes receberam várias doses de reforço durante um período de um ano. Apesar das altas doses de RNA mensageiro, o produto foi bem aceito, causando moderados efeitos colaterais, como perda temporária de apetite.

Na semana de número 58, todos os macacos desenvolveram níveis detectáveis ​​de anticorpos. A partir da 60ª semana, os animais foram expostos semanalmente ao vírus, via mucosa retal.

Como os primatas não são vulneráveis ​​ao HIV-1, que infecta humanos, os pesquisadores usaram um vírus diferente, mas semelhante, o HIV símio (SHIV). Após 13 semanas, apenas dois dos sete macacos imunizados não estavam infectados. Mas enquanto outros macacos não vacinados desenvolveram a doença após cerca de três semanas, aqueles que estavam imunes demoraram em média oito semanas.

“Este nível de redução de risco pode ter um impacto significativo na transmissão viral”, disse o estudo. A vacina atua entregando instruções genéticas ao corpo, causando a criação de duas proteínas características do vírus. Estas são então montadas para formar partículas pseudovirais (VLPs), simulando uma infecção a fim de induzir uma resposta do sistema imunológico.

Os cientistas observam, no entanto, que os níveis de anticorpos produzidos foram relativamente baixos e que uma vacina que requer injeções múltiplas seria difícil de implementar em humanos. Eles desejam, portanto, melhorar a qualidade e a quantidade de partículas pseudovirais geradas, antes de testar a vacina em humanos.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …