EUA, França e Rússia apoiam quebra de patentes contra a Covid-19, mas laboratórios resistem

Osnei Restio / Prefeitura de Nova Odessa

A ideia de suspender as patentes da fabricação de vacinas contra a Covid-19 continuou a ganhar apoio em todo o mundo nesta quinta-feira, após o impulso inicial dado Estados Unidos. Porém, os laboratórios resistem, enquanto países pobres precisam de doses com urgência.

“Sim. Apoio completo a essa inciativa, devemos fazer dessa vacina um bem público mundial”, disse o presidente da França, Emmanuel Macron, pouco tempo depois de a União Europeia (EU) responder que aceita conversar sobre a questão.

O objetivo é acelerar a produção e a distribuição dos imunizantes, como afirmou a presidente da Comissão Europeia, Ursula Von der Leyen.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, também disse ser favorável à suspensão das patentes. Até agora, os russos criaram quatro vacinas anticovid, incluindo a Sputnik V e sua versão em dose única Sputnik Light, aprovada nesta quinta-feira.

A Organização Mundial da Saúde (OM) considerou o apelo de “histórico” e a Organização Mundial do Comércio também saudou “calorosamente” a medida, que poderia facilitar a vacinação, no momento que muitos países pobres precisam de doses. É o caso da Índia, que registrou um recorde de quase 4.000 mortes, em 24 horas.

A Alemanha, primeira economia da UE, no entanto, defendeu nesta quinta-feira a manutenção das patentes das vacinas contra o coronavírus. “A proteção da propriedade intelectual é uma fonte de inovação e deve permanecer assim no futuro”, disse o porta-voz do governo. “Os fatores limitantes na produção de vacinas são a capacidade de produção e os altos padrões de qualidade, não as patentes”, acrescentou.

Berlim disse que as empresas farmacêuticas já estão trabalhando com seus parceiros para aumentar sua capacidade de produção de vacinas. A Alemanha é o lar da BioNTech, que juntamente com a Pfizer desenvolveu a primeira vacina contra a Covid-19 a ser aprovada no ano passado em países ocidentais.

Por enquanto, as patentes são essencialmente propriedades de laboratórios americanos, contrários à suspensão. As empresas afirmam que a medida os privaria de terem reserva financeira para inovações dispendiosas.

BioNTech diz que patente não é fator limitante

Para a farmacêutica alemã BioNTech, a proteção de patentes das vacinas contra a Covid-19 não limita a produção e nem explica problemas de fornecimento em todo o mundo.

“As patentes não são o fator limitante para a produção ou fornecimento de nossa vacina. Não irão aumentar a produção global ou o fornecimento de doses a curto e médio prazo”, disse o laboratório.

A declaração sugere uma rejeição ao apelo dos Estados Unidos para liberar a proteção de patentes para vacinas. “Se todos os requisitos não forem atendidos, a qualidade, segurança e eficácia da vacina não podem ser garantidas pelo fabricante ou pelo inventor. E isso pode colocar em risco a saúde dos vacinados”, alertou a empresa.

A fabricante alemã ainda lembrou que se algumas das “raras e importantes matérias-primas” não forem utilizadas da melhor forma, menos vacinas serão produzidas. “Os especialistas já apontaram que a instalação e validação de novos locais de produção geralmente leva um ano”, acrescentou.

Além disso, a produção da vacina de RNA mensageiro, como a implementada pela BioNTech e pela americana Pfizer, “é um processo complexo desenvolvido ao longo de mais de uma década. Todas as etapas devem ser definidas e executadas com precisão”, por uma “equipe experiente”, completou.

A BioNTech, que estimava em 2021 a fabricação de até 2,5 bilhões de doses de sua vacina, agora afirma ter “capacidade” para produzir até 3 bilhões de doses este ano e mais de 3 bilhões em 2022.

Na União Europeia, duas fábricas, na Bélgica e na Alemanha, são as plataformas centrais para a fabricação de doses de RNA mensageiro. O laboratório favorece a transferência de tecnologia e a concessão de licenças específicas para aumentar a produção de sua vacina, reiterou. E destacou que tem uma estreita colaboração com mais de 15 parceiros, incluindo Merck, Novartis Sanofi e Baxter.

Diante da discussão, o presidente da Pfizer reiterou que “não é nada” a favor da iniciativa. Em vez da suspensão das patentes, Albert Bourla sugeriu acelerar a produção atual.

Até o momento, 3,2 milhões de pessoas morreram em decorrência do coronavírus em todo o mundo.

// RFI

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Brasil ultrapassa Índia e volta a ser líder mundial em mortes diárias por coronavírus

Em meio ao avanço da terceira onda da pandemia, o Brasil ultrapassou a Índia e voltou à liderança do número de mortes diárias por covid-19 registradas, em média. São mais de 2.000 óbitos registrados por …

Rajadas rápidas de rádio ajudarão a mapear distribuição de matéria no universo

O novo levantamento dos dados coletados pelo radiotelescópio CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment) resultou em mais de 500 rajadas rápidas de rádio devidamente catalogadas, todas feitas durante o primeiro ano de atuação do telescópio. Agora, …

Lider da UE chama lei húngara anti-LGBT de vergonha

Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, afirma que vai usar poderes de que dispõe para garantir direitos de todos os cidadãos do bloco. Países pediram à UE que agisse. A presidente da Comissão Europeia, …

Apesar de ter vacinado mais da metade da população, Israel teme 2ª onda de Covid

O primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, alertou nesta terça-feira que o país pode enfrentar uma nova onda de coronavírus. Segundo ele, o aumento do número de doentes, causado pela chegada da variante Delta, “importada” por …

Cientistas resolvem enigma de esculturas de pedra de 3.200 anos da Turquia

Um recente estudo permitiu descobrir finalmente o significado e a função dos relevos em pedra criados há 3.200 anos no santuário de Yazilikaya, na Turquia, após 200 anos de conjeturas. No século XIII a.C., a alguns …

EUA não devem esperar retomada do diálogo com Pyongyang, diz irmã de Kim Jong-un

As expectativas de retomada do diálogo entre os EUA e a Coreia do Norte são erradas, podendo levar a uma "decepção ainda maior", declarou a irmã do líder norte-coreano. Na terça-feira (22), Kim Yo Jong, alta …

Ministro da Saúde diz que não há mudança de estratégia para a Coronavac

No início desta segunda-feira (21), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, revelou que não haverá qualquer mudança de estratégia para a aplicação da CoronaVac. A declaração do ministro foi feita em audiência ao Senado Federal, revelando …

Há 80 anos, Hitler invadia a URSS – e começava a perder a guerra

Adolf Hitler e seus generais vinham planejando há meses para este momento. No domingo, 22 de junho de 1941, havia chegado a hora: às 3h15 da manhã, a Wehrmacht, forças armadas nazistas, atacou a União …

Com apenas 2% da população imunizada, África quer fabricar suas próprias vacinas anticovid

A África do Sul anunciou nesta segunda-feira a primeira etapa para capacitar seu continente na produção de vacinas anticovid. A conclusão do projeto ainda não tem data prevista, mas a iniciativa já é vista …

Pessoas feias superestimam drasticamente suas aparências

Pessoas pouco atraentes parecem menos capazes de julgar com precisão sua própria atratividade, e tendem a superestimar sua aparência. Não faltam disparidades entre pessoas atraentes e pouco atraentes. Estudos mostram que os mais belos entre nós …