Família viveu isolada na Sibéria durante 42 anos sem saber da 2ª Guerra Mundial

Wikimedia

A família Lykov

A família Lykov

Durante mais de quatro décadas, a família Lykov viveu completamente isolada da civilização, no sul da Sibéria, para fugir da morte pelas mãos do regime soviético.

Enquanto viviam sem rádio ou televisão, Karp, Akulina, Savin, Dmitriy, Natalia e Agafia nunca tiveram conhecimento dos horrores da Segunda Guerra Mundial ou até do primeiro homem que foi à Lua.

A família só foi descoberta em 1978, quando quatro geólogos que exploravam a região de helicóptero avistaram o jardim dos Lykov e, depois, a cabana de madeira onde moravam há 42 anos. Até então, não havia qualquer registo de atividade humana naquela zona, e a civilização mais próxima ficava a 200 km de distância.

“Quando nos aproximamos da cabana, vimos um senhor com uma barba comprida um pouco assustado. Era Karp, o pai”, disse a geóloga Galina Pismenskaya ao jornalista russo Vasily Peskov, que revelou a história em 1994.

Segundo Peskov, o interior da cabana onde a família vivia parecia medieval – o chão era forrado com folhas do bosque, e as paredes não tinham janelas, porque não havia vidro para protegê-los do frio.

Wikimedia

A cabana onde a família Lykov morou, no sul da Sibéria

A cabana onde a família Lykov morou, no sul da Sibéria

“Cumprimentamos o homem mas não fomos logo correspondidos. Depois de alguns minutos, ele nos convidou a entrar”, destacou.

Pouco a pouco, os geólogos começaram a interrogar os membros da família para saber como tinham chegado até ali e, principalmente, como é que tinham conseguido sobreviver ao clima da Sibéria durante tanto tempo.

Depois de várias visitas à família, os geólogos conseguiram saber o motivo que os levou àquele lugar. Karp e sua mulher, Akulina, eram o que se chama na Igreja Ortodoxa Russa de “velhos crentes” – não aceitavam as profundas mudanças que ocorreram na igreja em 1654 com a chamada Reforma de Nikon e, por isso, foram perseguidos.

Assim, começaram uma nova vida, longe das patrulhas que queriam executá-los pelas suas crenças. Durante o tempo em que a família viveu isolada do resto do mundo aconteceram a 2ª Guerra Mundial, o assassinato do presidente americano John F. Kennedy, e a primeira ida do homem à Lua.

Enquanto isso, a família dedicava-se a ler a Bíblia, a semear e a caçar sua própria comida e a fazer roupas a partir da pele de animais. Foi só através de uma televisão disponibilizada pelos geólogos que a família se deu conta de tudo que aconteceu, desde os horrores da guerra aos avanços da ciência.

Quando souberam da existência de satélites, compreenderam o que tinham visto no céu, mas não conseguiam explicar: “Ah, essas são as estrelas que pareciam girar cada vez mais rápido”.

A princípio, a única coisa que a família recebeu dos geólogos foi sal. “Foi uma tortura viver por todos esses anos sem isso”, disse o patriarca, que, a não ser por isso, pretendia continuar a levar a mesma vida.

Ainda que Peskov e Dash digam que o que se passou a seguir não se deveu ao contato com a civilização, três dos cinco integrantes da família morreram em 1981 por causa de diferentes doenças.

O pai da família, Karp, morreu em 1988. A única sobrevivente, Agafia, decidiu ficar longe das cidades – queria morrer no mesmo lugar onde tinha aprendido a viver.

// BBC

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Sucesso nas apostas depende do apostador

Se você quer ter lucro nas apostas, precisa fundamentalmente de duas coisas: ter vantagem em relação à casa de apostas e um método de apostas bem rigoroso. Falamos disso porque muitos dos apostadores deixam dinheiro às …

Bezos doará US$ 10 bilhões para combater mudanças climáticas

Dono da Amazon anuncia fundo para financiar pesquisas voltadas a reduzir impactos do aquecimento global. Empresa tem enorme pegada de carbono por uso de combustíveis fósseis no transporte de produtos. O multimilionário americano Jeff Bezos afimou …

Jogador alvo de racismo toma atitude que todo mundo deveria ter e abandona gramado

Na última rodada da Liga Portuguesa, o Porto venceu fora de casa Vitória de Guimarães por 2 a 1. O gol que definiu a partida foi do malinês Marega. O ponta de lança recebeu um …

Ministra da Saúde de Macron vai disputar prefeitura de Paris em batalha de mulheres

O partido presidencial francês e seus aliados centristas encontraram neste domingo (16) na ministra da Saúde, Agnès Buzyn, 58, a sucessora ideal para Benjamin Griveaux. O candidato de Emmanuel Macron ao cargo de prefeito de …

Organização vende suposto DNA de Donald Trump e outros líderes globais

Nesta sexta-feira, uma organização chamada Earnest Project passou a oferecer a chance de possuir amostras de DNA de alguns líderes mundiais e outras celebridades. O grupo alega que coletou clandestinamente itens descartados pelos participantes do Fórum …

Tribunal alemão suspende derrubada de floresta para fábrica da Tesla

Justiça ordena que gigante americana interrompa corte de árvores nos arredores de Berlim enquanto analisa pedido de associação ambiental. Empresa de Elon Musk planeja construir ali sua primeira "gigafábrica" da Europa. Um tribunal na Alemanha determinou …

Satélites podem facilmente ser manipulados por hackers, alerta pesquisador

Talvez você já esteja por dentro da confusão toda em relação aos problemas que os satélites Starlink, da SpaceX, estão causando na comunidade astronômica. Os relativamente poucos satélites lançados (cerca de 240, como parte de um …

Na Índia, campanha faz semáforo voltar ao vermelho se os motoristas buzinarem demais

Se a Índia é um país famoso por sua religiosidade, sua culinária, suas belezas naturais e, sendo o segundo país mais populoso, por ser a maior democracia por eleitorado do mundo, ela também carrega a …

Secularismo e tolerância a minorias predizem a prosperidade de um país

Pesquisadores da Universidade de Bristol e Universidade do Tennesse analisaram dados de quase 500 mil pessoas de 109 países e concluíram que mudanças na cultura geralmente vêm antes da melhora na riqueza, educação e democracia. Os …

Estudo: declínio de abelhas se aproxima da extinção em massa

De acordo com um novo estudo liderado por cientistas da Universidade de Ottawa (Canadá), a probabilidade de uma população de abelhas sobreviver em qualquer lugar diminuiu 30% no curso de uma geração humana. Os pesquisadores sugerem …