EUA se retiram do Conselho dos Direitos Humanos da ONU

Justin Lane / EPA

A embaixadora norte-americana na Organização das Nações Unidas (ONU), Nikki Haley, disse nesta quarta-feira (20) que os EUA vão sair do Conselho dos Direitos Humanos da ONU, considerando que o órgão “não faz jus ao seu nome”.

Há um ano, Nikki Haley disse que os EUA só iriam se manter na organização se ela fizesse “reformas essenciais”, e agora considerou que está claro: os apelos por mudanças não foram ouvidos.

Ao lado do secretário de Estado, Mike Pompeo, Haley criticou a presença no órgão de países como China, Cuba e Venezuela, acusados de violação de Direitos Humanos, acrescentando que o conselho tem um “preconceito crônico contra Israel”.

Se o conselho mudar, os EUA “regressarão com satisfação”, garantiu Haley.

O porta-voz da ONU, Stéphane Dujarric, interrogado antes da divulgação desta posição dos EUA, recordou que “o secretário-geral António Guterres é um adepto fervoroso da arquitetura dos Direitos Humanos na ONU e na participação ativa de todos os Estados nesta arquitetura”.

A organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch criticou a decisão norte-americana, considerando, em comunicado, que o Conselho dos Direitos Humanos da ONU tinha “desempenhado um papel importante em países como Coreia do Norte, Síria, Myanmar ou Sudão do Sul”.

Mas, deplorou, “Donald Trump só está interessado na defesa de Israel”.

Há mais de um ano, os EUA ameaçam abandonar o Conselho dos Direitos Humanos da ONU. Em meados de 2017, Haley apelou a uma reforma profunda do órgão principal do sistema da ONU em matéria de Direitos Humanos, criado em 2006 para substituir a comissão homônima.

Desde então, está em curso uma reforma, mais para racionalizar o trabalho do conselho do que para tratar de questões políticas. Os EUA, cujo mandato no conselho acabaria em 2019, tinham reclamado que a exclusão de Estados-membros que cometem graves violações dos Direitos Humanos fosse votada por maioria simples, não por dois terços.

Também pretendiam um reforço do processo de seleção dos Estados-membros. Os EUA queriam que a questão dos “direitos humanos na Palestina” não esteja sistematicamente na ordem do dia do conselho.

Washington tem denunciado desde sempre o fato de Israel ser o único país do mundo com um ponto fixo dedicado na ordem de trabalhos de cada reunião, o ponto 7, o que acontece três vezes por ano.

Essa não é primeira vez que os EUA se ausentam do órgão. Sob a presidência do republicano George W. Bush, boicotaram o conselho desde a sua criação, antes de regressarem durante a presidência do democrata Barack Obama.

Desde a chegada de Donald Trump à Casa Branca, no início de 2017, os EUA se retiraram da UNESCO, cortaram vários financiamentos a órgãos da ONU e anunciaram sua saída do Acordo de Paris de combate às mudanças climáticas e do acordo nuclear com o Irã apoiado pela ONU.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Cientistas revelam nova razão que explica dependência do álcool

De acordo com um novo estudo, a dependência do álcool tem uma relação direta com as mudanças climáticas: quanto mais frio é o clima e menos incidência de sol, mais as pessoas tendem a consumir …

Cientistas encontraram pássaro que é três espécies em uma só

Cientistas encontraram um pássaro incomum na Pensilvânia, que guarda um incrível segredo genético: a toutinegra é o híbrido de três espécies diferentes de pássaros. Uma equipe de cientistas encontrou um pássaro incomum na Pensilvânia, cuja mãe …

Hitler abraçou uma menina judia; 85 anos depois, a foto foi a leilão

Uma foto de 1933 mostra o ditador nazista ao lado de uma menina de seis anos de idade cuja avó era judia. A imagem, com uma dedicatória assinada por Hitler, foi arrematada em leilão por …

No deserto mais seco do mundo, a chuva mata

No deserto mais seco e mais antigo da Terra, as coisas não funcionam da mesma maneira que em outros lugares. A água, por exemplo, não é uma bênção. No deserto do Atacama, no Chile, as …

CIA pensou em usar “soro da verdade” nos interrogatórios do 11 de setembro

O “Projeto Medicação” foi posto de lado em 2003, mas, até lá, os médicos da CIA estudaram a hipótese de substituir as violentas técnicas de interrogatório pelo uso de um “soro da verdade” que fizesse …

Distração de professora provoca ferimentos em 40 crianças na China

A distração de uma professora que se esqueceu de apagar uma luz ultravioleta em uma escola de Tianjin, perto de Pequim, causou ferimentos e queimaduras em mais de 40 crianças, informou nesta sexta-feira a imprensa …

Hábito diário pode ajudar a prever morte prematura

A velocidade com que caminhamos fornece muitas pistas sobre o nosso estado de saúde e pode mesmo ajudar a prever uma morte prematura.  Segundo um novo estudo, realizado o por cientistas da Universidade do Sul …

Assassino de John Lennon sente “mais vergonha” a cada dia que passa

Mark David Chapman, que assassinou John Lennon em 1980, disse a um conselho de condicional que se sente “mais e mais envergonhado” a cada ano que passa por ter assassinado o ex-Beatle. “Há 30 anos, eu …

Submarino argentino ARA San Juan é achado um ano após ter desaparecido com 44 tripulantes

A carcaça do submarino argentino Ara San Juan, desaparecido desde 15 de novembro de 2017 com 44 tripulantes a bordo, foi localizada no fundo do oceano Atlântico, a 800 metros de profundidade, a leste da …

Cientistas determinam qual foi o pior período na história da humanidade

Cientistas americanos chegaram à conclusão de que em 536 d.C., "um dos períodos mais terríveis" começou na história da humanidade. Segundo o historiador medieval Michael McCormick, arqueólogo da Universidade de Harvard, um "nevoeiro misterioso" caiu sobre a …