EUA se retiram do Conselho dos Direitos Humanos da ONU

Justin Lane / EPA

A embaixadora norte-americana na Organização das Nações Unidas (ONU), Nikki Haley, disse nesta quarta-feira (20) que os EUA vão sair do Conselho dos Direitos Humanos da ONU, considerando que o órgão “não faz jus ao seu nome”.

Há um ano, Nikki Haley disse que os EUA só iriam se manter na organização se ela fizesse “reformas essenciais”, e agora considerou que está claro: os apelos por mudanças não foram ouvidos.

Ao lado do secretário de Estado, Mike Pompeo, Haley criticou a presença no órgão de países como China, Cuba e Venezuela, acusados de violação de Direitos Humanos, acrescentando que o conselho tem um “preconceito crônico contra Israel”.

Se o conselho mudar, os EUA “regressarão com satisfação”, garantiu Haley.

O porta-voz da ONU, Stéphane Dujarric, interrogado antes da divulgação desta posição dos EUA, recordou que “o secretário-geral António Guterres é um adepto fervoroso da arquitetura dos Direitos Humanos na ONU e na participação ativa de todos os Estados nesta arquitetura”.

A organização de defesa dos direitos humanos Human Rights Watch criticou a decisão norte-americana, considerando, em comunicado, que o Conselho dos Direitos Humanos da ONU tinha “desempenhado um papel importante em países como Coreia do Norte, Síria, Myanmar ou Sudão do Sul”.

Mas, deplorou, “Donald Trump só está interessado na defesa de Israel”.

Há mais de um ano, os EUA ameaçam abandonar o Conselho dos Direitos Humanos da ONU. Em meados de 2017, Haley apelou a uma reforma profunda do órgão principal do sistema da ONU em matéria de Direitos Humanos, criado em 2006 para substituir a comissão homônima.

Desde então, está em curso uma reforma, mais para racionalizar o trabalho do conselho do que para tratar de questões políticas. Os EUA, cujo mandato no conselho acabaria em 2019, tinham reclamado que a exclusão de Estados-membros que cometem graves violações dos Direitos Humanos fosse votada por maioria simples, não por dois terços.

Também pretendiam um reforço do processo de seleção dos Estados-membros. Os EUA queriam que a questão dos “direitos humanos na Palestina” não esteja sistematicamente na ordem do dia do conselho.

Washington tem denunciado desde sempre o fato de Israel ser o único país do mundo com um ponto fixo dedicado na ordem de trabalhos de cada reunião, o ponto 7, o que acontece três vezes por ano.

Essa não é primeira vez que os EUA se ausentam do órgão. Sob a presidência do republicano George W. Bush, boicotaram o conselho desde a sua criação, antes de regressarem durante a presidência do democrata Barack Obama.

Desde a chegada de Donald Trump à Casa Branca, no início de 2017, os EUA se retiraram da UNESCO, cortaram vários financiamentos a órgãos da ONU e anunciaram sua saída do Acordo de Paris de combate às mudanças climáticas e do acordo nuclear com o Irã apoiado pela ONU.

Ciberia // ZAP

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA:

Nova Constituição de Cuba reconhecerá propriedade privada

Esboço de reforma apresentado em diário do Partido Comunista acena com mudanças profundas na política, judiciário, economia e sociedade cubanas. Comissão encarregada é liderada por ex-presidente Raúl Castro. O governo de Cuba revelou novos detalhes sobre …

Naufrágio do século XVI é encontrado na Flórida, mas seu tesouro pertence à França

Um naufrágio do século XVI, sobrevivente de uma das primeiras viagens europeias à América, foi descoberto na costa da Florida. O achado guarda tesouros que valem milhões de dólares, mas uma juíza americana determinou que a …

NASA pode ter destruído as primeiras provas de vida em Marte

A NASA pode ter destruído provas da existência de vida em Marte nos anos 1970. O carbono esteve no solo marciano o tempo todo, mas, infelizmente, os Vikings podem ter incendiado tudo. Em 1976, a NASA …

Evo Morales inaugura linha mais veloz do teleférico de La Paz

O presidente da Bolívia, Evo Morales, inaugurou neste sábado a linha mais veloz do sistema de teleféricos da capital do país, o mais longo e extenso do mundo, uma das obras entregues por ocasião dos …

Fungo mortal (que queria ser bactéria) está se tornando um problema de saúde mundial

Um patógeno que resiste a quase todos os medicamentos desenvolvidos para tratá-lo está se movendo rapidamente pelo mundo: infecções foram relatadas em 27 países, com diversas mortes. O mais estranho de tudo? Não é uma bactéria …

França conquista segunda Copa e se iguala a Uruguai e Argentina

A França venceu a Croácia por 4 x 2 e é campeã da Copa do Mundo da Rússia. O time francês foi aplicado taticamente, apostou na solidez de sua defesa e na eficiência de seus …

"Trump me sugeriu processar a União Europeia", diz primeira-ministra britânica

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, revelou neste domingo, 15, que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lhe disse para "processar a União Europeia" em meio às tratativas de negociações do Brexit - …

Descoberta "oficina de múmias" próximo a pirâmides de Gizé

Arqueólogos alemães e egípcios anunciaram neste sábado (14) ter descoberto uma "oficina de mumificação" perto da necrópole de Saqqara, no Egito. Arqueólogos egípcios anunciaram a descoberta de um antigo sepultamento e de uma oficina de mumificação …

Os romanos podem ter sido os primeiros caçadores de baleias

Ossadas de baleias cinzentas e baleias-francas do Atlântico Norte foram encontradas no Estreito de Gibraltar. Esses ossos sugerem que, nos primeiros séculos depois de Cristo, as baleias não só circulavam por mares europeus como também …

Cabine de avião da Ryanair despressuriza e 33 passageiros vão parar no hospital

Trinta e três passageiros de um avião da companhia low-cost Ryanair tiveram que ser hospitalizados depois que a cabine do aparelhou sofreu uma despressurização. O piloto precisou fazer uma aterrissagem de emergência em Frankfurt, na …