Freira contesta virgindade de Maria e é ameaçada de morte

2e0e95de8332d70f699c17cefb9d2af5-783x450.jpg

Uma freira espanhola recebeu ameaças de morte depois de ter dito, num programa de televisão, que acredita que a Virgem Maria e José faziam sexo.

As declarações foram condenadas pela Igreja e levaram a religiosa a pedir desculpas, mas não sem repetir o que tinha dito e sublinhar que o “sexo é uma bênção”.

A freira Lucía Caram, uma monja dominicana, foi ao programa “Chester In Love”, do canal espanhol Cuatro TV, falar de sexo e não teve papas na língua.

Quando o apresentador Risto Mejide lhe perguntou sobre a virgindade de Maria, a irmã Lucía respondeu que acreditava que ela fazia sexo com José.

“Creio que Maria estava apaixonada por José e que eram um casal normal, e o normal é fazer sexo. Custa a crer e a digerir. Ficamos agarrados a normas que inventámos sem chegar à mensagem verdadeira”, atirou esta freira que é conhecida pelas suas opiniões contra a corrente da Igreja.

A irmã Lucía disse ainda, que a história da virgindade de Maria não tem “credibilidade” e que “tem que haver uma revolução” porque “as Igrejas estão vazias”.

 

Críticas, ameaças de morte e a condenação da Igreja

Estas declarações despoletaram muitas críticas e a freira até já recebeu ameaças de morte. Foi também lançada uma campanha no site Change.org pedindo à Congregação para a expulsar, considerando que está em causa “um escândalo gravíssimo” e uma “afronta à fé católica”.

Até a publicação deste artigo, a petição já tinha sido assinada por mais de 14 mil pessoas.

Entretanto, o bispo da diocese de Vic, onde se situa a Congregação a que a freira pertence, condenou as declarações, notando que “não são conformes com a fé da Igreja”.

“Faz parte da fé da Igreja, desde o início, que Maria foi sempre virgem e que esta verdade de fé foi recolhida e definitivamente proclamada pelo Concílio de Constantinopla, sendo o primeiro dogma mariano compartilhado por católicos e cristãos ortodoxos”, salienta o bispo num comunicado.

Perante a onda de críticas, a irmã Lucía sentiu-se obrigada a esclarecer as suas declarações e a fazer um pedido de desculpas público, por meio de uma nota à impressa que é transcrita na íntegra pelo site Catalunyareligio.cat.

“Se alguém se sentiu ofendido, peço desculpas”, destaca a freira, mas não sem repetir as mesmas ideias que defendeu no programa de televisão.

“Falei de sexo como uma bênção quando se vive sem egoísmos e com respeito pelo outro e manifestei a minha fidelidade à opção de vida que escolhi, vivendo a virgindade como uma opção que se antepôs às dificuldades, pela força da vocação e da missão”, escreve a irmã Lucía.

“Manifestei, como creio, que Maria estava, certamente, apaixonada por José e acredito que ela era uma mulher plena, como demonstra a sua presença discreta, mas contundente nos Evangelhos”, acrescenta.

“Quis manifestar que não me escandalizaria se tivesse tido uma relação de parceira com José, o seu esposo, e creio que tudo isto entra no mistério, no depósito da fé, e também de uma fé que uns vivem e aceitam simplesmente e outros, sem menos simplicidade, com a fé que também procuramos entender”, conclui a freira dominicana.

Ela reafirma também a sua “fidelidade e amor à Igreja, ao Evangelho e ao projeto de Jesus” e sublinha a “certeza de que o sexo não é sujo, nem algo condenável e que o matrimônio e o sexo são uma bênção”.

No seu perfil no Twitter, onde é particularmente ativa, a irmã Lucía também comentou o caso, assegurando que as suas palavras não a distanciam “da fé, nem da comunhão com a Igreja”.

A irmã Lucía nota ainda a sua preocupação com o que diz ser uma “leitura fragmentada, ideológica e perversa que alguns martelos de hereges, sedentos de vingança e animados pelo ódio” fizeram das suas palavras, reagindo com “calúnias” e “ameaças sérias” à sua própria vida.

E, a título de mensagem final, reforça que “somos homens e mulheres, livres para amar, e chamados para servir de diversos modos”. No caso dela, diz que está ao serviço dos “mais pobres”.

Uma freira com “cojones

A irmã Lucía é a mais conhecida das freiras espanholas, especialmente pelas suas posições controversas. Num outro programa de televisão, defendeu que ninguém pode condenar se duas pessoas homossexuais resolverem casar.

O jornal La Vanguardia fala dela como uma “monja dominicana que tem tudo menos pêlos na língua” e é conhecida como a “freira cojonera. “Se me chamam monja cojonera, é porque os toco”, disse numa outra entrevista a propósito disso.

Com vários livros publicados e com índices de vendas bem generosos, a irmã Lucía assume, no seu perfil do Twitter, que é “uma freira inquieta e inquietante” que só tenta “ser feliz e fazer felizes os demais”.

A religiosa de 49 anos é considerada uma ativista social, na Espanha, particularmente preocupada com os direitos das crianças e é fã do Barcelona, não se inibindo de celebrar no Twitter os gols de Messi.

No programa de televisão que despoletou toda a polémica, a freira também admitiu que já esteve apaixonada e que só não teve uma relação amorosa com um homem para “ficar absolutamente livre para a causa” religiosa.

Na sua típica frontalidade, não se esquivou a falar de assuntos mais íntimos relacionados com a sua sexualidade. “Assim como te disse que sou virgem e que nunca tive relações sexuais, também te digo que não me masturbo“, confessou a irmã Lucía.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

George W. Bush: o suposto plano para matar ex-presidente dos EUA desbaratado pelo FBI

Um simpatizante do Estado Islâmico planejava assassinar o ex-presidente dos EUA George W. Bush, mas o plano foi descoberto pelo FBI (polícia federal americana), segundo autoridades dos Estados Unidos. O suspeito, um residente de Ohio, supostamente …

O que se sabe sobre misterioso surto de varíola dos macacos

Casos recentes da doença na América do Norte e Europa acenderam o alerta entre especialistas. Endêmico na África, vírus é transmitido por animais contaminados e por contato próximo prolongado entre pessoas. Autoridades de saúde na América …

EUA: Estudo traz primeiros resultados 'promissores' de vacina de RNA mensageiro contra Aids

Uma vacina usando a tecnologia de RNA mensageiro, a mesma que algumas vacinas contra a Covid-19, pode ser usada desta vez contra a Aids. É o que mostram os primeiros resultados promissores de testes …

Viagem de Lula à Argentina visa fortalecer governo de Fernández e teoria de lawfare contra Kirchner

O ex-presidente Lula será o primeiro estrangeiro a discursar diante de uma multidão na Praça de Maio, em Buenos Aires, em um ato destinado a renovar o vínculo do governo argentino com o seu …

Após EUA, vários países se mobilizam em boicote aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim

Reino Unido, Austrália, Canadá, Nova Zelândia seguiram os passos dos Estados Unidos e anunciaram que também vão participar do “boicote diplomático” aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, previstos para fevereiro. Os países acusam …

Musk anuncia que Neuralink testará microchips neuronais em humanos em 2022

O bilionário e empreendedor norte-americano referiu que já testou com sucesso um implante cerebral em um macaco, e quer agora que essa tecnologia seja aplicada em humanos. Os humanos poderão ter implantes cerebrais da empresa Neuralink …

Cientistas americanos encontram substância contra coronavírus em algas para sushi

Biólogos americanos esperam que sua descoberta ajude na criação de tratamentos antivírus com base em plantas. Os cientistas determinaram que o sulfato de rhamnan – polissacarídeo componente das algas verdes Monostroma nitidum, utilizadas para embrulhar o …

Mulheres comandam metade dos ministérios no governo Scholz

Futuro chanceler confirma nomes finais do seu governo, que deverá começar os trabalhos ainda esta semana. Percentual de mulheres no comando de ministérios federais é o maior da história da Alemanha. O próximo chanceler federal da …

Biden e Putin fazem videoconferência para tentar resolver impasse na Ucrânia

Joe Biden e Vladimir Putin se preparam para uma vídeoconferência nesta terça-feira (7) em um momento em que as tensões entre Washington e Moscou se intensificam com rumores de uma iminente invasão da Ucrânia …

Aung San Suu Kyi é condenada a 4 anos de prisão

Líder deposta por golpe militar em Mianmar enfrenta série de acusações que a Anistia Internacional chama de falsas. Novo veredicto deve sair nos próximos dias. A líder deposta de Mianmar, Aung San Suu Kyi, foi condenada …