Funcionário de empresa aérea antecipa voo de homem para transplante

Ontem, 28 de agosto, foi o Dia Nacional do Voluntariado, que lembra a importância de ajudar ao próximo sem esperar nada em troca, apenas para construir um mundo melhor para todos. A Gol tem mais de mil razões para comemorar a data. Só em 2017, através do programa Asas do Bem, a empresa transportou 1.335 órgãos gratuitamente para transplante.

O Asas do Bem foi criado em 2014, para ajudar a divulgar o transporte gratuito de órgãos que as empresas aéreas realizam todos os dias. Juntas, a Gol e outras aéreas trabalham para que o Brasil tenha o maior sistema público de transplantes.

No primeiro semestre de 2018, a Gol transportou 757 órgãos, nas cabines dos pilotos das aeronaves, o local mais seguro para o transporte. Uma ação voluntária que ajuda a salvar centenas de vidas, e que emociona os funcionários da empresa, como o Luiz Nogueira, de 47 anos, há 12 anos na Gol.

“É um sentimento muito intenso porque a gente sabe a importância que tem para as pessoas que aguardam um órgão para o transplante. É gratificante saber que uma vida pode ser salva. Infelizmente uma vida se perde, mas alguém pode dar continuidade através do nosso trabalho”, diz Nogueira em entrevista ao RPA.

Além de transportar órgãos, a empresa também já transportou um paciente que estava na fila de doação. Um rapaz, de Porto Seguro, na Bahia, tinha que correr contra o tempo para fazer um transplante de rim. Ele foi notificado de que havia um rim disponível no Rio de Janeiro, mas que precisaria viajar o mais rápido possível para não perder o órgão.

O paciente chegou a Salvador e pegou o voo em que Nogueira estava trabalhando. Ele explicou sua situação para o chefe de cabine e mostrou os documentos que comprovavam a urgência do transplante. O homem faria uma escala em São Paulo e só depois seguiria para o Rio de Janeiro.

Levaria um tempo para ele embarcar no voo, então, durante o voo de Salvador para São Paulo, Nogueira sugeriu ao piloto da aeronave antecipar o voo do paciente de São Paulo para a capital fluminense.

“Após o nosso pouso em Congonhas, o voo dele seria o segundo para o Santos Dumont. Nós o colocamos no primeiro voo. Isso com a ajuda dos nossos colaboradores de solo. Além disso, ele nem precisou desembarcar, porque o mesmo avião fez o primeiro voo para o Santos Dumont”, explica Nogueira.

(dr)

A essa altura, o rapaz chorava muito e transpirava, uma mistura de gratidão à empresa com a ansiedade para desembarcar no Rio de Janeiro. “Ele ria ao mesmo tempo, e confesso que a gente chorou com ele. Apesar do sentimento de transportar um órgão, você levar o receptor, a emoção estava viva ali junto com você.”

Curiosamente, pode-se chamar de “destino” também, a escala de Nogueira terminava em São Paulo. Dali ele voltaria para Vitória, no Espírito Santo. Porém, ele chegaria mais rápido se pegasse um voo no Rio de Janeiro. Então, ele resolveu permanecer no voo e, no desembarque, acompanhou o paciente até seus familiares.

“Todos choravam muito. Como era um momento da família, me despedi brevemente e fiquei bastante emocionado porque é bacana participar disso. Eu digo como ser humano, não como funcionário da empresa. E saber também que eu não estava sozinho, que todos os funcionários colaboraram, foi bacana demais”, conta Nogueira.

Uma semana depois, a família do paciente ligou para Nogueira pqra dizer que tinha dado tudo certo no transplante e que o rapaz estava reagindo bem. Esse foi o último contato do chefe de cabine com a família, pois ele acabou perdendo seu celular.

Logística

Embalado e dentro de um cooler, o órgão é transportado na cabine do piloto da aeronave, o lugar mais seguro para o transporte. Antes de qualquer passageiro, o órgão é o primeiro a desembarcar para agilizar a entrega ao receptor.

“Ele fica na cabine porque não corre o risco de alguém esbarrar nele e danificar. Existe uma série de formulários que devem ser ativados. Essa responsabilidade é do comandante. O funcionário do solo leva o órgão para o comandante, ele assina a documentação e acomoda o órgão na cabine dele. E quando nós pousamos, antes de qualquer procedimento adicional, o foco é sempre no órgão. Ele é o primeiro a sair”, explica Nogueira.

Reação dos passageiros

A Gol divide esse trabalho com os passageiros do voo para sensibilizar a todos sobre a importância da doação. Em todos os voos que ocorrem o transporte de órgãos, o piloto da aeronave, em seu discurso de boas-vindas, anuncia que aquele voo está com um órgão a bordo. Os passageiros recebem a notícia da melhor forma possível.

“É comum eles elogiarem e muitos ficam surpresos porque acham que o transporte de órgãos só acontece em uma aeronave executiva, num avião menor ou em um helicóptero, que também fazem o transporte. Mas eles ficam surpresos em ver um avião comercial fazer o transporte”, afirma o chefe de cabine.

COMPARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. No meio de tanta confusão e violência no mundo, esta noticia não nos deixa esquecer o aspecto bom e solidário que ainda vai sendo mantido por pessoas de bem.

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Em nome da ciência, polvos tomaram ecstasy (e teve muito amor envolvido)

O que acontece quando um polvo consome drogas, mais precisamente ecstasy? Cientistas norte-americanos tiveram a oportunidade de descobrir. De acordo com o Science Alert, a equipe de pesquisadores deu MDMA, substância psicoativa também conhecida por ecstasy, …

Companhia austríaca cria método que transforma plástico em petróleo

A companhia petrolífera austríaca OMV apresentou nesta quinta-feira um inovador procedimento que permite a produção de petróleo a partir de resíduos de plástico (material fabricado a partir desse recurso natural). A inovadora tecnologia, batizada de ReOil, …

Múmia e amuletos divinos são descobertos no Egito

Um grupo de arqueólogos descobriu várias múmias antigas no Egito – incluindo os restos de um misterioso indivíduo extremamente bem conservado – em uma sepultura comum na margem oeste do Rio Nilo.  A tumba foi encontrado …

Em caso raro, mulher doa órgãos e transmite câncer a quatro pessoas

Quatro pessoas que receberam órgãos da mesma doadora desenvolveram posteriormente câncer de mama, revelou um novo estudo. O caso, que remota a 2007, representa uma situação extremamente rara. Rins, pulmões, fígado e coração foram retirados de …

Criatura “alienígena” é encontrada em praia na Nova Zelândia

Uma família neozelandesa passeava ao longo de uma praia no norte de Auckland quando encontrou uma bizarra criatura vermelha em forma de bolha. A criatura, que foi identificada como uma espécie específica de medusa, tem um …

Veneza quer proibir turistas de sentarem ou deitarem no chão

Veneza, famosa pelos seus canais, testemunhou um dilúvio de turistas nos últimos anos, que ultrapassa em muito a população residente e sobrecarrega a cidade. As autoridades da cidade italiana têm tomado várias medidas para travar …

Teia de aranha gigantesca cobre praia na Grécia

Um enorme teia de aranha com cerca de 300 metros cobriu uma área à beira-mar na cidade de Aitoliko, na região oeste da Grécia. A época de acasalamento das aranhas transformou a praia no pior …

Depois dos morangos, agulhas chegam às maçãs e bananas na Austrália

As autoridades australianas investigam mais de 100 casos por todo o país. Agora, além dos morangos, as agulhas também já chegaram a frutas como maçãs, bananas e mangas. A Austrália investiga uma série de casos misteriosos …

Proibição de doações empresariais não blinda política de interesses privados, afirma cientista político

Apesar da proibição do financiamento empresarial de campanhas, que vigora no país desde 2015 por força de uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), a classe empresarial continua engajada em diferentes candidaturas. Se, por um lado, …

Brasileiros são finalistas em Campeonato Mundial de Cubo Mágico

Criado nos anos 80, o cubo mágico é um dos brinquedos mais simples e fascinantes que existem. Quem nunca passou horas, dias, semanas ou até meses tentando acertar as cores de todas as faces ou …