Greve global pelo clima está marcada para o dia 19 de março

As mudanças climáticas costumam ser tratadas como uma pauta menos urgente e com maior prazo para ser resolvida, mas a verdade é que, pela gravidade do quadro e pela totalidade de sua abrangência, ela é hoje uma das pautas mais imediatas e gritantes – e é esse o tom que as manifestações do dia 19 de março pretendem impor às lideranças de todo o mundo.

Intitulada Mobilização Global pelo Clima e reunindo movimentos e ativistas de todo o planeta, a rodada de ações tem como objetivo a cobrança de ações imediatas e eficazes por parte dos governos e lideranças para se lidar com a crise do clima – significada pelo slogan #ChegaDePromessasVazias.

A movimentação irá propor uma greve global como forma de pressionar os estados a assumirem como pauta imediata a redução das emissões e o compromisso com o meio-ambiente.

“Se não agirmos agora, não teremos a oportunidade de cumprir as metas de 2030 e 2050 das quais os líderes mundiais continuam falando”, afirmou Mitzi Jonelle Tan, ativista climática das Filipinas. “O que precisamos agora não são promessas vazias, mas metas anuais obrigatórias e cortes imediatos nas emissões em todos os setores de nossa economia”.

O movimento segue os moldes, em escala global, do que a jovem Greta Thunberg fez há 4 anos, ao começar uma greve escolar contra as mudanças climáticas – por isso o dia 15 de março foi decretado informalmente como dia da greve pelo clima.

Por conta da atual pandemia, a mobilização será virtual, através de uma série de eventos online que serão transmitidos de todo o mundo.

O pano de fundo da Mobilização Global pelo Clima em março de 2021 não poderia ser mais agudo: para além da própria pandemia, o ano de 2020 foi repleto de sinais da gravidade do quadro atual, como os incêndios descontrolados na Austrália, no Brasil, na Argentina e nos EUA, a seca na África e em diversos outros cantos do planeta, assim como as tempestades inclementes que castigaram a América Central, o Sudeste Asiático e mais.

Em 2019 o movimento levou mais de 7 milhões de pessoas às ruas nas principais cidades, e no ano passado as ações virtuais englobaram 150 países em milhares de frentes.

Agora, no entanto, com a proposição da greve, a ideia é que as ações deixem somente o campo simbólico e dos debates, e passem a efetivamente pressionar as lideranças capazes de fazer a diferença com a mesma força que as mudanças climáticas já nos afetam.

“A ciência é cristalina: as mudanças climáticas estão exacerbando os desastres naturais, ao tornar esses eventos mais intensos e mais frequentes, ou seja, mais destrutivos”, afirma o ativista brasileiro João Duccini.

O movimento é encabeçado pelo grupo Fridays For Future – e as maiores informações sobre a Mobilização Global pelo Clima de 2021 podem ser encontradas em seu site.

COMPARTILHAR

DEIXE UM COMENTÁRIO:

Mudanças climáticas: cientistas treinam vacas para usar banheiro contra aquecimento global

Vacas podem ser treinadas para usar um banheiro para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, segundo uma experiência realizada na Alemanha por pesquisadores alemães e da Nova Zelândia. No estudo, os cientistas treinaram os …

Reprovação a Bolsonaro volta a subir, afirma Datafolha

O Instituto Datafolha apurou que a reprovação ao governo do presidente Jair Bolsonaro aumentou ainda mais, passando para 53% entre as pessoas consultadas, segundo uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira (17/02) pelo jornal Folha de S. …

Empresa norueguesa assegura que pode 'eliminar' furacões antes que se tornem destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de cortina de bolhas proposto pela empresa poderia ela própria provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, startup norueguesa, assegura que sua tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem poderosos …

Limitar aquecimento global a 1,5ºC exige redução drástica de gases poluentes, mostra relatório

Manter a temperatura da Terra a 1,5°C será impossível sem uma redução massiva das emissões de gases poluentes. É o que mostra um novo relatório divulgado pela ONU nesta quinta-feira (16). O documento "United …

Alemanha libera entrada para brasileiros que apresentem teste negativo

A Alemanha vai deixar de considerar o Brasil como área de alto risco na pandemia do novo coronavírus a partir deste domingo, anunciou nesta sexta-feira (17/09) o Instituto Robert Koch (RKI), a agência governamental alemã …

Assembleia-Geral da ONU: exigência de vacina ainda não está decidida, mas é improvável que Bolsonaro seja barrado

Perdeu força a possibilidade de que líderes de países tenham que comprovar que se vacinaram contra a covid-19 para participar da 76ª Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece na semana que vem …

Submarinos: França perde o "contrato do século" para a Austrália, que opta por EUA e Reino Unido

O jornal econômico Les Echos estampa em sua primeira página desta quinta-feira (16) uma notícia, ainda no condicional, que se concretizaria durante a madrugada: "A Austrália desiste de uma encomenda de 12 submarinos franceses …

VSR: o pouco conhecido vírus que se espalha entre crianças no mundo e também no Brasil

No início de 2021, a equipe do Hospital Infantil de Maimonides, no Brooklyn, em Nova York (EUA), começou a experimentar uma cautelosa sensação de alívio. Os casos de covid-19 na cidade estavam em queda. Como …

Com popularidade em queda, premiê britânico Boris Johnson reforma equipe de governo

Após semanas de boatos, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, decidiu modificar o governo nesta quarta-feira para formar uma "equipe unida" e enfrentar os desafios depois de um ano e meio de pandemia e em …

Relatório lista mais de uma dezena de crimes atribuídos a Bolsonaro

Um grupo de juristas liderados pelo ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior entregou nesta terça-feira (14/09) à CPI da Pandemia um relatório de 226 páginas com possíveis crimes cometidos pelo presidente Jair Bolsonaro durante a …